PUBLICIDADE

Se você conferir qualquer lista de melhores filmes nos últimos anos, é muito provável que encontre títulos da A24. O estúdio, com base em Nova York, se tornou um fenômeno por apostar em obras originais e dar carta branca a cineastas.

A produtora nasceu em 2012 pelas mãos de Daniel Katz, David Fenkel e John Hodges, veteranos da indústria de cinema. No começo, o trio focou na distribuição de filmes para grandes salas, mas com o radar apontado para relíquias independentes exibidas em festivais.

Embora As Loucuras de Charlie (2013), dirigido por Roman Coppola (filho de Francis Ford), tenha sido a primeira investida da produtora, foi o polêmico Spring Breakers, de Harmony Korine (Kids), que impulsionou a fama da A24 naquele mesmo ano. No filme, quatro amigas assaltam um restaurante para bancar as férias da faculdade e se envolvem com um traficante de drogas, depois de passarem a noite na cadeia. Com James Franco no elenco, o longa fez barulho pela participação das cantoras Selena Gomez e Vanessa Hudgens no papel das adolescentes rebeldes. O rápido sucesso da A24 foi também alavancado pelo marketing de seus longas, que inclui a venda de produtos exclusivos inspirados na história dos filmes ou mistério nas divulgações, quase sempre flertando com o público jovem e utilizando as redes sociais, construindo uma relação afetiva com os cinéfilos.

PUBLICIDADE

Produtos Livro de receitas de "Minari", quebra-cabeça de "Lady Bird", pin de "Midsommar" e roteiro de "Moonlight" estão entre os produtos vendidos pela A24.Divulgação

Produtos

Além de Korine e Coppola, outros diretores contaram suas histórias com total liberdade criativa, entre eles o grego Yorgos Lanthimos (O Lagosta), o argentino Gaspar Noé (Climax) e, recentemente, Sofia Coppola (On the rocks). Em menos de dez anos, os filmes da A24 já arrecadaram 31 indicações ao Oscar, incluindo três para Moonlight, que saiu da cerimônia de 2017 com as estatuetas de melhor filme, melhor roteiro adaptado e melhor ator coadjuvante. Um ano antes, O quarto de Jack rendeu a estatueta de melhor atriz para Brie Larson.

Já em 2021, os olhos estão voltados para Minari, sobre uma família de imigrantes sul-coreana nos anos 1980 em busca do sonho americano. Escrito e dirigido por Lee Isaac Chung, o filme foi bem recebido pela crítica e faturou prêmios no Globo de Ouro e no Critics' Choice Awards. Neste, Alan Kim, de apenas 8 anos, venceu a categoria melhor jovem ator.

Minari concorre em seis categorias no Oscar e pode ser considerado vitorioso antes mesmo da premiação, em 25 de abril. Isso porque Steven Yeun, que vive o pai obstinado a prosperar longe de casa, se tornou o primeiro homem asiático-americano a ser indicado como melhor ator, enquanto Yoon Yeo-jeong, que interpreta sua divertida sogra, a primeira sul-coreana indicada à melhor atriz coadjuvante.

PUBLICIDADE

Pegando carona no sucesso de Minari, confira outros dez filmes que também possuem a assinatura da A24 e estão disponíveis no streaming:

Ex_Machina: Instinto artificial (2015) - Telecine


Ava (Alicia Vikander) é uma robô dotada de inteligência artificial. Seu criador, o empresário Nathan Bateman (Oscar Isaac), convida o funcionário Caleb (Domhnall Gleeson) para passar uns dias em sua isolada mansão e participar do teste de Turing com a humanoide, cujo objetivo é descobrir se a máquina demonstra algum comportamento inteligente equivalente ao humano. Os dois se envolvem em um jogo de segredos e são manipulados pelos desejos de Ava. Mesmo rodado com baixo orçamento, Ex_Machina: Instinto artificial arrecadou US$ 36 milhões de bilheteria e ainda levou o Oscar de melhores efeitos especiais em 2016, desbancando Mad Max: Estrada da Fúria.

A Bruxa (2016) - Netflix


Destaque entre os filmes de terror produzidos na década de 2010, A Bruxa, do diretor Robert Eggers, dispensa sustos gratuitos e aposta no terror psicológico. Em 1630, na Nova Inglaterra (EUA), um agricultor se muda com a esposa e os filhos para um lugar isolado e próximo de uma floresta. Logo, estranhos fenômenos começam a perturbar a fé e a sanidade da família, enquanto a filha mais velha, Thomasin – primeiro papel de destaque de Anya Taylor-Joy, de O Gambito da rainha –, é acusada de praticar feitiçaria pelo pai religioso.

Eggers conquistou a crítica nesta sua estreia na direção e saiu do Festival Sundance como melhor diretor. O brasileiro Rodrigo Teixeira, também responsável por Frances Ha (2012), foi coprodutor do filme. A Bruxa ainda trouxe mais visibilidade ao gênero, quase sempre negligenciado ou esquecido pelas grandes premiações.

Mulheres do século 20 (2016) - YouTube


Dorothea (Annette Bening) é uma mãe solteira, preocupada com o filho Jamie, que está entrando na adolescência. Ela conta com Abbie (Greta Gerwig), uma artista punk, e Julie (Elle Fanning), a melhor amiga dele, para guiá-lo em seu amadurecimento, ao mesmo tempo em que discutem sobre maternidade, sexualidade e feminismo. Mesmo que o filme se passe em 1979, soa atual hoje. Com referências autobiográficas, o diretor Mike Mills – indicado ao Oscar de melhor roteiro original pelo longa – faz uma homenagem às mulheres que o criaram.

Lady Bird: A hora de voar (2017) - YouTube


Lady Bird: A hora de voar deu a Greta Gerwig uma indicação ao Oscar em sua estreia como diretora. O filme mostra uma complicada relação entre mãe (Laurie Metclaf) e filha (Saoirse Ronan), que tenta se encontrar no mundo, rumo à faculdade. Entre o drama e o humor, o longa é livremente inspirado nas experiências de Greta, que, assim como a protagonista, também nasceu em Sacramento, na Califórnia, e frequentou uma escola católica.

Projeto Flórida (2017) - Amazon prime


Projeto Flórida mostra a rotina de uma jovem mãe solteira e sua filha, em uma parte pobre de Orlando, nos arredores dos parques da Disney. A menina de 6 anos lidera um grupo de crianças em uma série de aventuras, em contraponto à realidade niilista em que vivem. Willem Dafoe, gerente do hotel modesto onde elas moram, foi indicado ao Oscar de 2018 de melhor ator coadjuvante. O diretor Sean Baker filmou a cena final com um iPhone, a exemplo de seu longa anterior, Tangerina (2015), inteiramente filmado com o aparelho.

Midsommar - O mal não espera a noite (2019) - Amazon prime


Depois de A Bruxa, a A24 continuou explorando o terror psicológico graças à criatividade de Ari Aster. O roteirista e cineasta estadunidense formou uma legião de seguidores com Hereditário (2018). Em Midsommar - O mal não espera a noite (2019), ele volta a transformar dramas familiares em pesadelo sobrenatural. O longa segue Dani (Florence Pugh), traumatizada pela morte dos pais e da irmã, em uma viagem à Suécia com o namorado e seu grupo de amigos para participar de um misterioso festival pagão. Aster também já revelou que escreveu o roteiro após o fim de um namoro, o que (spoiler) é sugerido na cena final.

A despedida (2019) - Telecine


A matriarca Nai Nai está prestes a partir por conta de um câncer terminal. Mas sua família decide não revelar o diagnóstico. Em vez disso, seus filhos e netos inventam um casamento às pressas para que todos possam encontrá-la uma última vez na China. Protagonizado pela rapper e compositora Awkwafina – que venceu o Globo de Ouro de melhor atriz em comédia –, o filme diverte ao mesmo tempo em que emociona.

O farol (2019) - Telecine


Estrelado por Willem Dafoe e Robert Pattinson, O farol é mais um filme de terror psicológico de Eggers. Aqui, o diretor volta para assombrar o público com a trama de dois homens que tomam conta de um farol, no século 19. Sozinhos em uma ilha, a dupla entra em conflito quando um deles se torna obcecado pela luz da torre. "No momento que soube que o filme aconteceria, não me vieram outras opções, além de Willem Dafoe e Robert Pattinson. Para mim, não havia melhores opções", disse Eggers em entrevista para a 43ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. Filmado em preto e branco, o longa foi indicado ao Oscar de melhor fotografia.

Joias brutas (2019) - Netflix


Estigmatizado por sua trajetória em filmes de comédia, Adam Sandler surpreende com atuação dramática em Joias Brutas, dirigido pelos irmãos Benny e Josh Safdie e com produção-executiva de Martin Scorsese. Na trama, Sandler interpreta um joalheiro viciado em apostas que coloca sua vida em perigo a cada nova jogada. Esnobado pelo Oscar, mas elogiado pela crítica, o longa foi um dos destaques de 2019 e contou com o cantor The Weeknd (Abel Tesfaye) no elenco.

On the rocks (2020) - Apple TV


A parceria entre Sofia Coppola e Bill Murray, que começou 18 anos atrás com Encontros e Desencontros, ganhou um novo capítulo em 2020. Em On the rocks, encomendado pela Apple TV+, o ator vive um ricaço tentando melhorar a relação com sua filha (Rashida Jones). Desconfiado que o genro esteja tendo um affair, ele a convence a perambular pelas ruas de Nova York atrás de pistas do suposto adultério. O filme vale pelo reencontro de Murray e Coppola.

Para ficar de olho: O filme de fantasia O cavaleiro verde, estrelado por Dev Patel e Alicia Vikander, The Whale, dirigido por Darren Aronofsky (Mãe! e Cisne Negro), e Zola, longa inspirado em uma thread do Twitter, são as próximas estreias do estúdio. A Netflix também adquiriu os direitos de Beef, nova minissérie produzida pela A24 com Steven Yeun e Ali Wong no elenco.




Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE