Cultura

#olhaELLE: Criola

Descobrimos o trabalho potente e colorido da artista e ativista Criola pela #olhaELLE. Aqui, vocês conhecem um pouco mais de seu talento que está em painéis em centros urbanos e também no Instagram.

Criola
PUBLICIDADE

Mesmo antes de sermos atingidos pela pandemia do novo coronavírus, ter nossas leitoras e leitores participando ativamente do retorno da ELLE ao Brasil era um desejo enorme por aqui. Nosso grupo no Facebook e os debates que levantamos no Instagram antes do lançamento oficial do site são bons exemplos desse esforço, mas a #olhaELLE merece um capítulo à parte.

Criamos a hashtag para encontrar pessoas que sempre acompanharam a ELLE e que tinham vontade de aparecer nas nossas páginas, mas não eram, necessariamente, modelos profissionais. O que chegou até nós, porém, foi muito além das nossas expectativas. Hoje, a hashtag conta com mais de 12 mil publicações de pessoas de todo o Brasil compartilhando seus trabalhos, suas ideias, suas belezas e experiências. A decisão de transformá-la em algo eterno foi natural e, além de estarmos sempre de olho para formamos castings que podem aparecer no site, na ELLE View ou na revista impressa, também decidimos falar um pouco mais da nossa comunidade neste espaço. Periodicamente, vocês vão encontrar por aqui projetos e pessoas incríveis que merecem ser compartilhadas e amplificadas.

Depois do Projeto Moda Preta, das irmãs por trás do @twolostkids, do fotógrafo Bruno Gomes e da maquiadora Louise Helène, hoje vocês vão conhecer o trabalho da artista visual Criola, de Belo Horizonte. Atuando tanto com arte nas ruas, mais especificamente em muros por centros urbanos, quanto com ilustração digital, ela aborda em seus trabalhos suas vivências e ativismo. Com a Covid-19, ela precisou dar uma pausa nos projetos físicos, mas seguiu atuando no digital e considera que a internet é uma grande aliada na divulgação de seu trabalho já que "não existe uma mídia intermediária que define como eu me expresso". Confira abaixo um pouco mais sobre ela.

PUBLICIDADE

H\u00edbrida Astral, em Belo Horizonte, por Criola. Híbrida Astral, em Belo Horizonte, por Criola.Criola

Como foi o início do trabalho que você realiza hoje?

Eu comecei no final de 2012. Por uma necessidade de expressar o que eu sentia e falar o que eu acredito. Vi na rua um ótimo suporte para isso, então esse início foi muito interessante. Nunca imaginei que isso se tornaria a minha profissão.

Como funciona o processo criativo por trás do seu trabalho?

Meu processo criativo é bem intuitivo. Tem a ver com parte das minhas reflexões sobre a sociedade, sobre o caminho que temos trilhado enquanto coletivo, sobre as coisas que não concordo e as que gostaria de modificar. Transmuto o resultado dessas reflexões em cores e formas.

PUBLICIDADE

Quais são os seus maiores interesses e inspirações?

Autoconhecimento, cores, natureza, música e artes visuais.

Quais trabalhos ou projetos pessoais que você realizou mais te marcaram?

Não existe um trabalho só, todos carregam sua importância para mim. Gostei muito do primeiro prédio que pintei na vida na Rua Cardeal Arcoverde, em Pinheiros-SP, e do primeiro prédio que pintei na minha cidade natal em BH, a Híbrida Astral (a Híbrida Astral é um de seus principais trabalhos e, neste momento, corre risco de apagamento. Você pode participar do abaixo assinado para ajudar a impedir que isso aconteça aqui).

A artista Criola. A artista Criola.Divulgação

Qual é a influência que a sua cidade possui no seu trabalho?

Eu moro em Belo Horizonte, e Minas é um lugar muito acolhedor onde permanecem vivos alguns costumes que foram perdidos nos grandes centros urbanos. Aqui, ainda resiste certo respeito aos mais velhos, as tradições da fazenda que giram em torno do afeto e da comida, da conversa na cozinha e da hospitalidade. O que em partes é positivo na medida em que levamos em conta a importância de honrar a nossa ancestralidade. Isso eu aprendi em Minas e carrego na minha arte onde quer que eu esteja.

Você poderia indicar três @s que admira e que acha que mais pessoas deveriam acompanhar?

@tainancabral @fabidearaujo @josy.anne__

@thegigigoode, @iris.apfel e @vanessarozan

Em quais redes sociais ou endereços podemos ver o seu trabalho?
Nos Instagram @criola___.

Criola


Thalita e Gabriela Zukeram são duas irmãs de Curitiba que levam a produção de conteúdo no Instagram a lugares novos. Conheça mais sobre o trabalho criativo da dupla.


O fotógrafo de São Paulo Bruno Gomes tem 23 anos e um olhar apurado para a fotografia de moda. Descobrimos seu trabalho pela #olhaELLE no Instagram e, agora, vocês conhecem um pouco mais sobre ele.


Criado por sete jovens espalhados pelo Brasil, o Projeto Moda Preta é uma iniciativa que conhecemos pela hashtag #olhaELLE que fala de moda de forma não estereotipada.

Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE