Cadastre-se em nossa newsletter para ler este e outros artigos.

Doses semanais de moda, beleza, cultura e lifestyle, além, é claro, de todas os lançamentos da ELLE!
Inscreva-se gratuitamente.

  • ASSINE NOSSA NEWSLETTER
  • O melhor da ELLE direto no seu inbox! Inscreva-se gratuitamente.
  • INSCREVA-SE AQUI
PUBLICIDADE

2022 vem fervido! Nem precisa ler o céu para saber que esse próximo ano vai ser intenso. Disputas eleitorais, crises climáticas, reencontros sociais, pandemia que ainda não terminou, ansiedades coletivas etc. Podemos esperar muitos plot twists dignos de novelão com torcidas de reality show. Aliás, a nossa própria reality vem sendo um tanto surreal e parece até que a gente já se acostumou com o que antes era visto como absurdo. Mas os tempos mudam, pessoas mudam… vamos entender o que as movimentações astrológicas tem a nos dizer sobre o astral desse próximo ano.

Alguns trânsitos astrológicos são pontuais ao enfatizar a nossa doiderinha coletiva. São eles: Vênus retrógrada em Capricórnio, Saturno em quadratura com Urano, Júpiter em conjunção com netuno em Peixes, Marte em conjunção com Saturno em Aquário, eclipses no eixo Touro/Escorpião e a retrogradação de Marte em Gêmeos no fim do ano. Assim como 2021 foi uma continuação atenuada de 2020, podemos esperar repetecos rolando também em 2022. A boa novidade de 2022 é o trânsito do benéfico Júpiter em Peixes. Mas calma, coração. Juro que vou explicar tudinho. A seguir, vamos analisar cada um desses trânsitos.

1) Vamos começar pelo começo, ok? De cara, o ano inicia com Vênus retrógrada conjunta a Plutão trazendo problemas para as gostosas e bem sucedidas. Seguindo essa modinha, Mercúrio também ficará retrógrado, dando vários passos para trás até voltar ao signo de Capricórnio. Pode bater uma sensação de repetição do passado, que a coisa não avança, um medo de continuar nessa repetição. Capricórnio é um signo de terra que lida com a realidade de forma pragmática e bem planejada. Mas quando Vênus transita nas terras capricas, são os nossos afetos e sentimentos que passam por uma racionalização extrema. Janeiro tem esse tom de reflexão séria e calculista. Existe uma necessidade de dar dois passos para trás e reavaliar certas escolhas, vontades e desejos. Se não for o caso de voltar para trás, pode ser pelo menos o caso de (ainda) não avançar para o futuro. Não é que a coisa estará tão seca e desértica assim. Já teremos Júpiter em Peixes nutrindo as terrinhas capricas. Mas é preciso vivenciar essa vibe mais introspectiva da temporada de retrogradação pra sentir que nossas fontes estão sim renovadas e prontas para de fato começar um novo ano.

PUBLICIDADE

2) Também logo no início do ano, teremos a quadratura de Saturno em Aquário com Urano em Touro. Essa quadratura não é novidade de 2022. Ela foi marcante em vários meses de 2021. Esse aspecto traduz um longo ciclo de transformações nas estruturas coletivas e também nos papéis que desempenhamos na vida em sociedade. Ele pode ser vivenciado como uma oscilação no jogo social. Em certas situações, fazemos parte do grupo que se move em direção à ruptura de estruturas e tradições. Em outras, fazemos parte do grupo que trabalha para consolidar estruturas e proteger tradições. A seu ver, o que merece ser protegido/fortalecido e o que precisa ser radicalmente transformado? São perguntas para serem pensadas durante o ano… vale tanto a nível coletivo como na sua vida pessoal.

PUBLICIDADE

3) E nessa onda de retrogradação, faz bem pensar sobre a virada de 2021 para 2022. Além de Júpiter em Peixes, a virada de ano conta com uma lua minguante em Sagitário. Essa lua minguante em momentos de virada de ano sempre dá o que falar nas redes sociais. E é sempre o mesmo papo: não dá pra fazer pedidos na virada de lua minguante pois os pedidos vão minguar - o que me parece um tanto simplista. Sabemos que os problemas não somem só porque no calendário estamos entrando em um novo ano. Não existe esse tipo de mágica. Qualquer mudança, individual ou coletiva, requer envolvimento, processo, tempo de maturação e desenvolvimento. A mágica está por tudo, na própria vida, nas sincronias e nas coisas mais banais. 2022 certamente não será suave. Dificuldades e complicações são esperadas, e isso não tem nada a ver com os nossos pedidos de ano novo.

Nossos pedidos são expressões do nosso desejo, verbalizações do que estamos sentindo e projetamos para o futuro, e por isso são importantes.

4) Mas se você estiver se sentindo toda Bruxona e quiser fazer algo mais alinhado à lua minguante, pode expressar o que você deseja deixar para trás, o que você aprendeu e o que você deseja se despedir para abrir espaço. Pode ser através de uma meditação, por escrito, falando ou até gritando, hehe… vai da sua preferência pessoal no momento. Essa lua minguante vai estar em conjunção com Marte em Sagitário, o que pode indicar um bom momento para cortar o que for necessário para se libertar e abrir caminhos. Marte em Sagitário sabe fazer valer sua vontade. E com Júpiter em Peixes, a vontade se fortalece. Mesmo minguante, a lua transita em Sagitário, uma lua de fogo, força e sorte. É sobre manter a chama acesa. Esperança. Intuição jupiterial que nos dá força para encarar o que vier. Sagitário é um signo mutável, um signo que ama o movimento e reconhece o poder transformador do conhecimento. E seu planeta regente, Júpiter, acredita muito no futuro. Você pode fazer esse ritualzinho nos dias 30/12, 31/12 ou 01/01, encerrando a lunação de Sagitário e o ano de 2021. No dia 02/01, teremos a primeira lua nova do ano.

5) Na astrologia, Júpiter é considerado o grande benéfico que traz ajuda, união e conciliação para colocar tudo em ordem e proteger a vida. De acordo com diferentes astrólogos, algo há de melhorar nesse próximo ano, tanto em nível coletivo como individual. Mas Júpiter, como os demais planetas, não anda apenas pra frente, ele vai e volta: Júpiter transita em Peixes até o dia 11/5/22, quando então ingressa em Áries. Em Áries, Júpiter transita em movimento direto até o dia 29/7/22. A partir do fim de julho, júpiter inicia sua retrogradação. Em 28/10/22, Júpiter volta para Peixes. Ele só retoma seu movimento direto em 24/11/22. Do fim de novembro até meados de dezembro, júpiter finaliza seu trânsito em Peixes. E em 21/12/22, Júpiter ingressa definitivamente em Áries, trânsito esse que terá mais presença no ano de 2023. Entre idas e vindas, e apesar desse pulinho de Júpiter em Áries, podemos dizer que 2022 é mesmo o ano de Júpiter em Peixes.

6) O trânsito de Júpiter em Peixes tem expressão mais receptiva, o que favorece a união, a escuta e a compreensão das diferenças. Júpiter em Peixes não precisa entender tudo em seus mínimos detalhes pois bota fé no que está além da nossa vivência particular. Ele deixa acontecer, entrega, confia! Já o trânsito de Júpiter em Áries tem expressão mais ativa e autocentrada, o que favorece uma postura mais enérgica, inventiva e talvez mais individualista. Júpiter em Peixes se derrama pra fora, não conhece limites, e pode exagerar tanto nas promessas como na credulidade. Júpiter em Áries tem outra postura, bem diferente, mais concentrada e focada em um objetivo único.

7) No fim de maio e início de junho, Júpiter ingressa em Áries e faz uma conjunção com Marte, enfatizando as qualidades satanáries de quem sabe puxar o bonde, fazer e acontecer, ir direto ao ponto, dar um jeito, se virar nos 30 e ainda rir na cara do perigo. Júpiter em Áries é bom de improviso. É como se fosse uma reação ao exagero altruísta de Júpiter em Peixes. Júpiter em Peixes se doa por inteiro. Em Áries, ele retoma para si o desejo de fazer valer a sua própria vontade. Júpiter transita em Áries apenas de maio a outubro, e não consolida nenhum efeito de longo prazo. Esse trânsito enfatiza mais objetivos de curto prazo. Depois ele volta para Peixes, como se lembrasse de algo importante que facilmente pode ser esquecido numa cultura tão individualista quanto a nossa. Em Peixes, Júpiter tem mais potência de longo prazo e se conecta mais a anseios coletivos e fortalecimento de comunidades.

8) Dito tudo isso, é importante aproveitar o ano de 2022 para fazer crescer o que acreditamos. Às vezes faz muito bem ser uma cadelinha emocionada que acredita que as coisas podem ser diferentes. Esse é um ano para fazer parte de um movimento maior, se sentir parte, buscar se reconectar e vivenciar a experiência de pertencimento. Laços de comunidade, união, regeneração para curar antigas feridas e encontrar a ajuda necessária para transformar o que for preciso. Essa é a esperança e a necessidade desses tempos. Mas é claro que nem tudo são flores (principalmente depois de 2020, a gente nem sequer cogita isso!) e no excesso qualquer remédio pode virar veneno. Convém desconfiar de milagres e tudo o que for bom demais para ser verdade. A decepção também pode ser grande…

Um pouquinho de amor, um pouquinho de piração, um tantinho de ceticismo saudável, e assim seguimos na busca pela medida do possível equilíbrio.

9) Seguindo no nosso calendário astrológico: em abril, Júpiter completa uma conjunção exata com Netuno. Será muito importante segurar a emoção e desconfiar de deslumbramentos. Movimentos de massa também podem estar com força, o que pode levar a caminhos um tanto inesperados. Netuno distorce a realidade e traduz situações fantasiosas. Um prato cheio para crenças totalmente deslocadas da realidade elevado à decima potência com o temperinho desses tempos de pós-verdade. A conjunção de Júpiter e netuno também sugere tendências coletivas de escapismo, fantasia, fuga da realidade e tudo o que tiver um caráter de transcendência. Isso pode ter um lado lindo e poético e espiritual e também pode ter um lado mais sombrio, quando o sonho se revela um pesadelo. Tudo vai depender do contexto. Mas muitas promessas não vão passar de promessas, o que pode ser uma decepção ou um alívio.

10) Podemos dizer que abril será um mês importante na astrologia do ano. Além da conjunção de Júpiter e netuno em Peixes, também teremos a conjunção de Marte e Saturno em Aquário. Essas conjunções são babado, fortíssimas e bem polarizadas. Dá pra imaginar que o mundo vai estar um caos. Radicalização, polarização, alienação, superação, reestruturação são palavras que se repetirão ao longo do próximo ano. E o mês de abril será um momento de ênfase ou início desses processos. Também em abril teremos o primeiro eclipse solar do ano. Esse eclipse acontecerá em Touro em conjunção a Urano no dia 30/4. Os eclipses de 2022 serão todos no eixo Touro-Escorpião, o que ativa a quadratura de Saturno com Urano e intensifica processos de reestruturação e mudanças para os signos fixos (Aquário, Touro, leão e Escorpião).

11) Nesse próximo ano, teremos 4 eclipses, dois lunares e dois solares. O primeiro será um eclipse solar no dia 30/4. O segundo será um eclipse lunar em quadratura com Saturno e ocorrerá no dia 16/05, em Escorpião. O terceiro será um eclipse solar em conjunção com Vênus em Escorpião, no dia 25/10. E o último eclipse do ano ocorrerá no dia 8/11, com a lua eclipsada em Touro, em conjunção com Urano e quadratura com Saturno. Eclipses mudam nossa perspectiva como num jogo de luz e sombra. Nesse apagar de luz, as coisas mudam de lugar e imprevistos podem surgir. Alguns assuntos são ocultos e “apagados" enquanto outros são revelados e ampliados.

12) Por fim, outro movimento astrológico muito importante para 2022 será a retrogradação de Marte no signo de Gêmeos. Marte inicia sua retrogradação justamente no dia 30/10 (data marcada para ser o segundo turno do calendário eleitoral do Brasil). Marte transita em movimento retrógrado do dia 30/10/22 ao dia 13/01/23, mas já estará andando na “sombra” de sua retrogradação desde o dia 4/9. Isso indica que a partir de setembro existe uma forte tendência de disputas envolvendo todos os assuntos mercuriais que regem o signo de Gêmeos: mídias, jornalismo, redes sociais, informações, boatos. Como é Marte que está agindo, podemos esperar medidas mais agressivas como boatos falsos, fake news, desinformação. Essa é uma tendência que não é novidade e faz muito sentido com o cenário público atual. Pelo menos no Brasil, sabemos que a briga das redes será intensa nesse próximo ano.

13) A impressão que eu tenho é que vamos chegar ao fim de 2022 completamente cansades mentalmente. A retrogradação de Marte em Gêmeos fala de fritação. Pra colocar mais fogo no parquinho, ainda teremos duas retrogradações de Mercúrio nesse mesmo período. A primeira retrogradação de Mercúrio se inicia em 10/9 e vai até 02/10, quando Mercúrio retoma seu movimento direto no signo de virgem. A segunda acontece no fim do ano, no signo de Capricórnio. Júpiter em Peixes também participa dessa confusão, indicando grandes consequências para essas tretas todas. Debates públicos sobre justiça, ética e leis estarão nos holofotes, mas talvez de um jeito confuso ou nebuloso. No fim do ano, poderemos finalmente recalcular a rota e reprogramar nossas ações e iniciativas. Diante disso tudo, só tenho um conselho para dar: NÃO QUEIME A LARGADA. MUITAS ÁGUAS AINDA VÃO ROLAR. SE SEGURE, MINHA FILHA.

Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE

A ELLE Brasil utiliza cookies próprios e de terceiros com fins analíticos e para personalizar o conteúdo do site e anúncios. Ao continuar a navegação no nosso site você aceita a coleta de cookies, nos termos da nossa Política de Privacidade.

Assine nossa newsletter

Doses Semanais de moda, beleza, cultura e lifestyle, além, é claro, de todas as novidades e lançamentos da ELLE no seu inbox.
Increva-se gratuitamente.