• ASSINE NOSSA NEWSLETTER
  • O melhor da ELLE direto no seu inbox! Inscreva-se gratuitamente.
  • INSCREVA-SE AQUI

O maior desfile do planeta

Inebriada pela batida do tambor, Erika Palomino se deixa levar pela magia das escolas de samba que, devidamente macumbadas, retomam sua relevância.

A cultura do truque

Golpes, golpistas e picaretas de todo tipo estão no streaming e na vida real; enganada e engambelada ad nauseam, Erika Palomino examina a epistemologia da malandragem, passando pelo clubbing, pelas modas e pela política.

PUBLICIDADE

A voz (e a vez) da experiência

A volta de modelos icônicas dos anos 1990 às passarelas se soma ao hype dos cabelos grisalhos do pós-pandemia, sugerindo o apreço da moda pela beleza de mulheres mais velhas. O corpo que não é liso insiste em ser feliz.

Quando estilistas se vão ou obrigada por tudo, Thierry Mugler

Erika Palomino tem uma epifania: perfume de comer, andróides, corsets, fetiche, cultura queer, o culto da transgressão e a paixão pela figura feminina.

Erika Palomino fala sobre tempo, memória e outras divagações para fechar o ano

Inspirada por Andrea Beltrão e Mariana Lima, de olho em Sex and the City e arrebatada pelo tempo espiralar em Leda Maria Martins, Erika Palomino está, para variar, atrasada com a coluna.

Sobre a vida em duas rodas

Com o vento na cara, Erika Palomino vence a inércia e descobre (tardiamente mas ainda em tempo) as vantagens da bike no deslocamento urbano.

NDA + MDC = a transformadora equação da energia do coletivo

Em gatilho disparado por uma tribo carnavalesca de ciclistas numa tarde de chuva, Erika Palomino fala das modas, das florestas e das nuvens de poeira.

Tenho um novo amor e ela se chama Carolina

Em busca do tempo perdido, sob a angústia da influência, Erika Palomino se vê atravessada pela literatura "em movência" da autora de Quarto de Despejo.

O reality show da vida real (ou quase)

Jogos Olímpicos nos fazem refletir sobre vidas extraordinárias e sobre qual sociedade queremos para nós, atletas do cotidiano.

Vacina, SPFW e Liniker, por Erika Palomino

Vacina, por favor, obrigada; moda com relevância, política e afeto; portas, traviarcado e esperança; a beleza vai vencer a apatia.

O bigode da Mona Lisa. Quer dizer, do William Bonner

Erika Palomino delira em terras cariocas ao enxergar uma realidade embaçada e descobre que, como diz o samba, é melhor ser alegre que ser triste.

Afinal, o que você está vestindo importa?

A partir da cultura dos créditos dos looks do Oscar, Erika Palomino reflete sobre o que nos define e sobre a sublime introspecção de Nomadland.

Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE

A ELLE Brasil utiliza cookies próprios e de terceiros com fins analíticos e para personalizar o conteúdo do site e anúncios. Ao continuar a navegação no nosso site você aceita a coleta de cookies, nos termos da nossa Política de Privacidade.

Assine nossa newsletter

Doses Semanais de moda, beleza, cultura e lifestyle, além, é claro, de todas as novidades e lançamentos da ELLE no seu inbox.
Increva-se gratuitamente.