Cadastre-se em nossa newsletter para ler este e outros artigos.

Doses semanais de moda, beleza, cultura e lifestyle, além, é claro, de todas os lançamentos da ELLE!
Inscreva-se gratuitamente.

  • ASSINE NOSSA NEWSLETTER
  • O melhor da ELLE direto no seu inbox! Inscreva-se gratuitamente.
  • INSCREVA-SE AQUI
Beleza

7 pequenos grandes passos para se tornar mais sustentável

A seta do tempo aponta para frente – e tem como destino certo uma vida mais próxima da natureza e da sustentabilidade. O que podemos fazer para encurtar o percurso? Eis aqui sete ideias simples e de (bom) impacto

Ilustrações: Italo Massaru
PUBLICIDADE

CONTEÚDO APRESENTADO POR COLGATE ZERO

Sustentabilidade é o caminho do meio entre o que há de recursos disponíveis na natureza e a exploração deles por parte da sociedade. Ou seja: promover o desenvolvimento repondo e não esgotando os recursos. O assunto é motivo de atenção para os brasileiros – na opinião de 85% deles, a preservação do meio ambiente deve ser prioridade do governo, de acordo com estudo do Instituto Ipsos. Também estamos mais dispostos a fazer escolhas conscientes: em cinco anos, as buscas na internet por produtos mais sustentáveis aumentaram 82% no Brasil, segundo levantamento da WWF (Fundo Mundial para a Natureza).

Se você trouxer as estatísticas para o seu dia a dia, conseguiria identificar quantas práticas sustentáveis já fazem parte dos seus hábitos? Do oito ao oitenta, tem quem se joga no veganismo sem olhar para trás; tem quem deixa para separar o lixo depois, no dia em que a coleta seletiva passar na porta de casa... Entre um perfil e outro, há inúmeras maneiras de atuar de maneira a contribuir com a preservação do meio ambiente. Olhando por essa perspectiva, cada grão conta. Estamos todos, afinal, ainda construindo um novo jeito de produzir, consumir e cuidar dos resíduos.

PUBLICIDADE

As empresas também operam nesse sentido, buscando criar produtos alinhados com o que é ecologicamente correto, corrigindo práticas, inovando e impondo novos limites e desafios. Dessa forma, respondem e ao mesmo tempo criam novas demandas – o bom é que todos se beneficiam no processo. Um bom exemplo é o lançamento da linha vegana Colgate Zero no Brasil. A proposta é garantir uma nova experiência de 0% aromas, adoçantes, corantes e conservantes artificiais na fórmula. O resultado é um gel dental transparente, sem glúten, e que vem no tubo reciclável, indo de acordo com o compromisso de sustentabilidade da companhia em ter 100% do seu portfólio feito de materiais recicláveis, reutilizáveis ou compostáveis até 2025 . "Compreender as demandas de nossos consumidores para desenvolver e melhorar nossos produtos, visando melhor atendê-los é a nossa prioridade. Sendo assim, o consumidor tem se mostrado cada vez mais interessado em produtos que contêm menos ingredientes artificiais e por conta disso, Colgate Zero vem para ampliar o nosso portfólio de Cuidado Oral e beneficiar o consumidor e o meio ambiente como um todo" diz Welner Alves, gerente de marketing da Colgate Palmolive.

Ao longo dos anos, a marca vem ampliando o seu portfólio de produtos mais sustentáveis e naturais, como é a linha Natural Extracts, que trouxe para o Brasil o primeiro tubo de creme dental reciclável da Colgate e com extratos naturais na composição. Também a Colgate Bamboo, escova de dentes com cabo feito de bambu, que é material biodegradável. Agora é a vez da Colgate Zero, que acaba de chegar às prateleiras em versões adulto, sabor menta e hortelã, e crianças de 2 a 6 anos, com sabor de morango. Em julho, é a vez de lançar a versão para crianças de 3 a 24 meses, com sabor natural mix de frutas, e sem flúor. "É animador testemunhar essa virada no mercado de higiene bucal. Toda uma geração de crianças vai crescer neste mundo novo, em que a oferta de produtos sustentáveis será parte da normalidade", comenta Flavia Palone Aldarvis Bacarin (CRO 96.147), Professional Relations Manager Colgate Palmolive North America.

PUBLICIDADE

A ideia de avançar e ir adotando cada vez mais atitudes sustentáveis serve de inspiração para a nossa atuação em comunidade. Se todos fizermos nossa parte, e adquirirmos novos pequenos hábitos ao longo do caminho, teremos feito muito em pouco tempo. Confira a seguir 7 transformações pequenas e possíveis para incluir – naturalmente – no seu cotidiano!

Abre, fecha, abre. E fecha de novo.

Uma pessoa economiza 12 litros de água ao fechar completamente a torneira enquanto escova os dentes – caso a torneira esteja bem aberta, o desperdício pode triplicar. Se ainda não tem o hábito, cole um post-it no espelho para se lembrar. Vale para lavar a louça também. Segundo a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), lavar a louça por 15 minutos com a torneira aberta gasta cerca de 120 litros de água em casa, ou mais de 240 litros em apartamento (onde a pressão da água é maior).

Unidos pela economia de gás

Sabia que fechar a tampa da panela onde você está esquentando água é uma atitude sustentável? A evaporação da água enquanto é aquecida concorre com o tempo de fogo aceso – e, portanto, com o uso do gás. A economia é pequena? É: cerca de 1 grama a mais de gás por minuto. Mas é aquele pouco que faz a maior diferença quando todo mundo age junto. Seja para fazer café, chá, escalda-pés ou cozinhar, o simples ato de tampar a panela vai impactar positivamente o meio ambiente.

Sem carne, só por hoje

O veganismo é o ponto máximo das atitudes sustentáveis em relação à questão do consumo de carne: exclusão total do uso de produtos de origem animal, da alimentação ao vestuário. Porém, há passos anteriores, que qualquer fã de steak tartare pode dar em benefício do planeta. Um deles é adotar a #SegundaSemCarne: nada de carne às segundas-feiras. De acordo com o movimento, você vai poupar 24 metros quadratos de terras, 8 kg de grãos, 11 kg de Co2 e 60 litros de água apenas com essa atitude. O passo seguinte é o flexitarianismo: reduzir o consumo do alimento, seja no tamanho da porção, seja alternando dias.

Ao Natural

Estendidos do jeito certo, muitos tecidos ficam bem acomodados e dispensam a etapa de passar a ferro (ou de usar a secadora). A dica de ouro é tirar a peça da máquina de lavar roupas, segurá-la pelas pontas, sacudir com vigor, depois dar uma esticada nos fios nos dois sentidos, horizontal e vertical (sem esgarçar). A economia de energia elétrica é sempre bem-vinda. Vale avisar que o ferro de passar e a secadora sobrecarregam a rede de energia quando ligados concomitantemente a outros aparelhos da casa.

Passo a passo

Caminhar um pouco mais distante e subir e descer mais lances de escada é o tipo de ação ecossustentável que economiza energia elétrica e combustível, que reduz emissão de Co2, e que devolve ao caminhante, imediatamente, uma bem-vinda chacoalhada no batimento cardíaco. Dá para buscar a refeição a pé naquele restaurante perto de casa. E vale para o prédio onde você mora, o metrô, o lugar onde você trabalha. Se for um andar muito alto, experimente descer as escadas.

Na lata!

Em alguns casos, uma mesma bebida é vendida tanto em vidro, quanto em latinha e garrafa PET. Você sabe qual é opção mais sustentável? Se puder escolher, leve a lata para casa. O índice de reciclagem das latinhas de alumínio, no Brasil, é de 97%. Além disso, o serviço prestado pelos catadores resolve um problemão de logística reversa – que é a coleta e encaminhamento das embalagens recicláveis pós-uso. Se onde você mora não tem coleta seletiva, mas tem catador passando sempre (estima-se que haja 1 milhão deles no País), vale separar as latas usadas em uma sacola e deixar na lixeira da calçada, para que o catador as encontre com mais facilidade.

A Natureza Agradece

A rigor, legumes, frutas e verduras não precisam de embalagem especial. Mas hoje em dia é comum encontrá-las para vender, mesmo na feira, dentro de bandejas de isopor envoltas em filme plástico + rede de espuma protetora. Um exagero, afinal, ao chegar em casa essas embalagens são imediatamente descartadas. Prefira comprar a granel. Em tempo: o isopor é reciclável, mas o processo é complexo e a reutilização, limitada.


Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE