PUBLICIDADE

CONTEÚDO APRESENTADO POR YSL BEAUTÉ

Liberdade e intensidade. A Yves Saint Laurent Beauté tratou de formatar um novo produto que celebra justamente esses dois traços poderosos da marca. É lançado neste mês o mais novo perfume da casa, o Libre Eau de Parfum Intense, que amplia a franquia Libre, da Saint Laurent, inaugurada no ano passado — com o já muito bem recebido Libre Eau de Parfum.

O Libre Eau de Parfum Intense, como o próprio nome diz, vem com ainda mais força. Trata-se de uma fragrância elaborada para quem não tem medo de ir ao extremo, romper com os limites e deixar a sua marca bastante presente. "Para quem faz o que quer e ousa ser exatamente quem é", são as palavras escolhidas pela maison para apresentar a novidade, que conta com a cantora Dua Lipa como embaixadora internacional e a atriz Marina Ruy Barbosa, como porta-voz nacional.



E, para entender melhor esse DNA tão libertário e intenso da marca, é preciso de um pouco de história. Em 1966, Yves Saint Laurent comemorava cinco anos de marca homônima e sua cabeça fervia com inspirações. Ele carregava a imagem corajosa de Marlene Dietrich na memória e um desejo forte de transportar o espírito andrógino da atriz alemã para uma silhueta eterna, atemporal, e que ao mesmo tempo fosse marcada por um ar de juventude e de sensualidade. Com essa mistura, ele procurava conceber algum outro tipo de feminilidade, uma adequada à sua clientela de mulheres seguras, confiantes, poderosas… Nascia, assim, o Le Smoking.

PUBLICIDADE



Mulheres já até usavam calças, nesse período, mas um modelo de smoking completo feminino era ainda bastante chocante. O look não caminhava tranquilamente nas ruas ou era muito bem recebido em ambientes formais — esperava-se de uma dama que usasse vestido ou saia, nada além disso. Não à toa, Nan Kempner, famosa socialite estadunidense, foi barrada na porta do restaurante La Côte Basque, em Nova York, quando vestiu o tal modelito de Saint Laurent, em 1968.

Mas, como já dissemos, Saint Laurent desenhava para mulheres modernas e irreverentes. Kempner, por exemplo, não pensou duas vezes em tal episódio: tratou de tirar as calças, fez da parte de cima, o paletó, um microvestido, entrou no restaurante com as pernas à mostra e foi jantar. Outras grandes poderosas viriam a se apaixonar pelo Le Smoking, colocando-o em suas vidas e ajudando a fazer história. Estão nessa lista nomes como o de Betty Catroux, Bianca Jagger, Catherine Deneuve, Françoise Hardy, Lauren Bacall e Liza Minelli.

PUBLICIDADE



O Le Smoking não só mudou o curso da moda, como também a imagem que se entende por feminina. Tanto, que a grande crítica de moda, Suzy Menkes, escreveu para o jornal International Herald Tribune que o modelo foi "uma provocação sexual, dirigido à mulher que desejava ter outro tipo de papel na sociedade". Em resumo, Saint Laurent e as mulheres que ele vestia, sempre tão livres e corajosas, mostraram ao mundo que com uma pitada de intensidade se faz verdadeiras revoluções.

O Libre Intense segue justamente esse espírito de intensidade e pode ser facilmente reconhecido pela tonalidade de seu suco, uma alusão ao fogo e o ouro. O novo perfume foi concebido em Nova York, pelos mestres perfumistas Anne Flipo e Carlos Benaïm. Flipo é conhecida por sua expertise com ingredientes naturais, enquanto que Benaïm é bastante admirado pelas habilidades técnicas. A ideia da dupla foi a de questionar o que é tradicional desde a composição. E, por isso, misturaram nessa fragrância ingredientes que convencionalmente estão presentes em perfumes só masculinos ou só femininos.

As notas da clássica família olfativa fougère, além do uso do vetiver, que adiciona um toque de fumaça e madeira foram os responsáveis por dar peso ao todo. O contraponto, no entanto, está na base personalizada de coração de lavanda diva francês (exclusivo da Yves Saint Laurent Beauté), flor de laranjeira marroquina e baunilha malgache. A fragrância é floral, mas de longa duração.

O frasco segue o padrão icônico do Libre tradicional, inspirado em algumas das assinaturas mais marcantes de Yves Saint Laurent. Estão ali o formato assimétrico da tampa, que lembra os cortes provocadores dos vestidos do couturier, além do contraste entre o preto e o dourado, as cores bases da maison, e os detalhes das correntes, que equilibram elegância e sensualidade. Tudo, com o tradicionalíssimo logo Cassandra — as siglas YSL do mestre, que são chamadas assim por terem sido desenhadas pelo designer franco-ucraniano Adolph Mouron Cassandre e que estão na bolsa superdesejada da casa. Este logo tão marcante abraça o vidro do perfume, pela base, na lateral.



Quando desenhou o Le Smoking, Saint Laurent aproveitou para afirmar ao mundo que "a moda muda, mas o estilo é para sempre". E é possível vislumbrar este pedaço da história, ao se visitar o Museu Yves Saint Laurent, na Fundação Pierre Bergé, em Paris, onde o conjunto está exposto. Mas também é possível viver um pouco desse desse grito de liberdade, até a última gota, com o Libre Eau de Parfum Intense.

Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE