Cadastre-se em nossa newsletter para ler este e outros artigos.

Doses semanais de moda, beleza, cultura e lifestyle, além, é claro, de todas os lançamentos da ELLE!
Inscreva-se gratuitamente.

  • ASSINE NOSSA NEWSLETTER
  • O melhor da ELLE direto no seu inbox! Inscreva-se gratuitamente.
  • INSCREVA-SE AQUI
Beleza

ELLE testa: FOREO BEAR

Uma vez por mês, três membros da redação de ELLE vão testar os itens de beleza mais desejados do mercado e contar tudo sobre a experiência para vocês. Dessa vez, o mais novo gadget para melhorar definição do contorno facial.

Foto: Gabriel Monteiro

FOREO BEAR

PUBLICIDADE

Não é todo dia que surgem aparelhos caseiros que carregam promessas dermatológicas similares a de alguns dos procedimentos mais procurados nas clínicas. A sueca FOREO, embasada em muita pesquisa para o desenvolvimento de seus tão famosos gadgets de skincare, acaba de lançar o BEAR: um aparelho que conta com microcorrentes que aumenta o metabolismo celular e acelera o processo de reparação tecidual da pele. O que isso significa? Maior uniformidade no tom da pele, restauração de textura e viço e melhora na definição do contorno do rosto. Nossa equipe testou o produto por 15 dias, confira o que eles acharam! A FOREO BEAR custa R$ 2 mil na Sephora.

Nathalia Levy

foreo Nathalia LevyFoto: Nathalia Levy

Testar o FOREO Bear foi uma aventura com um final feliz. Eu nunca tinha usado gadgets tecnológicos para a pele e fiquei um pouco intimidada com a quantidade de precauções necessárias para começar. Ele não é recomendado para pessoas que passaram por cirurgias cosméticas faciais, para grávidas, pessoas com implantes ou restaurações dentárias metalizadas, pessoas com epilepsia, placas de metal no rosto, e é indicado que brincos e piercings sejam retirados antes da utilização e também que você não o utilize mais de uma vez em 24 horas. São recomendações necessárias, é claro, mas encarar todos esses avisos em um produto de skincare foi uma experiência no mínimo diferente para quem vive bem com seus creminhos.

PUBLICIDADE

Duas coisas me deixaram desanimada com a experiência no começo. A primeira foram os choquinhos. Sim, apesar da tecnologia antichoque, eu senti alguns no início, principalmente na área da testa e do pescoço. Como nunca tinha tido nenhuma experiência com tratamentos de microcorrentes, fiquei no escuro se isso estava certo ou não. Essa parte melhorou quando ajustei a frequência para o mínimo possível e caprichei MUITO na aplicação do sérum. É essencial que o FOREO Bear seja usado com algum sérum, gel, creme como condutor (não necessariamente o da FOREO, mas preferencialmente um à base de água) para que ele deslize melhor, para o tratamento realmente penetrar na pele e, na minha experiência, parar de sentir choques.

A segunda foi a necessidade do uso do aplicativo. Ele é bem feito e tudo mais, mas quando penso em skincare, a última coisa que quero é o meu celular por perto. Fiquei usando o aparelho seguindo os três tratamentos guiados no app durante alguns dias até que resolvi assistir a alguns tutoriais no YouTube e descobri que era possível utilizá-lo sem o app! Eu posso ter deixado essa informação passar por desatenção, mas conheço mais pessoas que possuem e também não souberam disso por bastante tempo. Então, fica a dica para melhorar essa comunicação, rs. Após a descoberta, minha relação com ele mudou bastante.

PUBLICIDADE

O Bear entrou na minha rotina diária pelas manhãs depois do sérum e antes do hidratante e se encaixou muito bem. É muito gostoso ter algo para massagear a pele todos os dias, desinchar ao acordar e sentir os músculos sendo ativados. Fora que ele é anatômico, o tamanho é perfeito e você sente realmente ele abraçando e esculpindo o seu rosto a cada passada. Li que o resultado mesmo pode ser visto depois de dois meses de uso diário (após esse período dá para diminuir a frequência) e eu estou na segunda semana, mas já sinto minha pele mais viçosa e a área do meu maxilar um pouquinho mais definida. Posso estar enviesada por estar amando o ritual da massagem? Posso. Mas esse é um produto que me surpreendeu e que definitivamente pretendo manter na minha rotina.

Gabriel Monteiro

foreo Gabriel MonteiroFoto: Gabriel Monteiro

Essa é a primeira vez que eu coloco um gadget na minha rotina. Ou seja, o meu primeiro FOREO. E eu estava muito curioso para testar, ver como ia rolar.

Confesso que descobri só no final do período de teste com o Bear que dá pra usar o aparelho sem o auxílio do aplicativo. Basta clicar duas vezes bem rápido no botão central e, depois, regular a intensidade. No entanto, como eu pensava que só o aplicativo o ligava, acabei por entrar de cabeça na tecnologia.

O FOREO app está cheio de informações e configurações. Você tem desde dicas de como cuidar, fazer a manutenção e limpar o seu gadget até a opção de encontrá-lo via bluetooth (para os perdidos de plantão como eu, uma dádiva).
Fora isso, tem a parte mais bacana pra mim que são os tratamentos, videozinhos que te conduzem para um melhor uso do aparelho. Eu testei todos, um por dia. Tem desde o mais relaxante àquele que promete uma tonificada rápida, aquela esculpida momentânea que a gente deseja em alguns dias.

E então o uso: é bem importante seguir as indicações da FOREO para a experiência ser confortável. Sim, porque se você colocar ele direto no rosto sem seguir esses passos iniciais é provável que você sinta pequenos choquinhos. Acredite, papo de quem usou. Por isso, certifique-se de que o seu rosto está limpo e seco. Fora isso, aplique o sérum por toda a extensão da pele que ele vai passar. Fez esses passos? Então agora é só curtir a massagem. Se você fizer o tratamento do app, é muito rápido, não vai mais do que dois minutos e meio. O efeito de uma pele mais tonificada, massageada e até um pouco mais esculpida é real. Você precisa usar diariamente, mas o resultado é perceptível. Curiosamente, pra mim, o fato de seguir o aplicativo me ajudou bastante a inserir a prática no meu dia-a-dia, principalmente pelas manhãs, antes de começar o trabalho.

Falando sobre choque, um ponto que me chamou a atenção é que eu sentia esse incômodo principalmente em regiões do rosto com pêlo! Em alguns exercícios, que incluíam o pescoço, para mim, era desconfortável. Fui pesquisar e, por mais que a Foreo não afirme que exista uma relação entre o choque e a barba, a empresa deixa claro que o Bear não é eficaz sobre uma barba grossa. Ou seja, recado aos barbudos de plantão que quiserem colocar o item em sua rotina: você pode usar a ferramenta nas outras regiões, como ao redor dos olhos, na bochecha e testa, mas não em cima da barba.

Vale a pena dizer que o gadget é para quem quer ter esse comprometimento com a pele. Não se trata de puro momento de relaxamento, mas, sim, um exercício para tonificar a pele. E, ah! Sim, é muito mais eficaz e gostoso de usar, na minha opinião, do que um jade roller ou um gua sha. Nada de pedra gelada na cara ao acordar e virou meu pequeno treino diário matinal para o rosto!

Ísis Vergílio

foreo Ísis VergílioFoto: Ísis Vergílio

Para começar, quando vi o lançamento desse produto fiquei bastante curiosa/intrigada. Um fato: sabemos que a FOREO é incrível e não deita (e não é #publi hein) quando vi a chamada "O futuro da pele" fiquei ainda mais instigada para entender de que futuro a marca estava falando.

O produto em si é uma gracinha. O design é muito bonitinho, prático, leve e encaixa no rosto. A embalagem é tudo! O que mais me chama atenção nos produtos da FOREO é a possibilidade de controlar o uso do aparelho por app. Na boa, isso é muito bapho!

Confesso que fiquei um pouco assustada com o tratamento em si. Sou aquela pessoa que já tomou muito choque no chuveiro. Gente, é horrível! Quando soube que era por microcorrentes elétricas, pensei: "Eu não quero passar por isso!" (risos) Talvez, por isso, eu tenha me apegado à ideia do controle por app. Ter ali um tutorial disponível para você usar e ainda conseguir controlar a intensidade foi acolhedor (nunca imaginei que diria que me encontrei "acolhida" num app)

O que me tranquilizou é que BEAR tem um sistema antichoque, obviamente. Para começar, usei na intensidade 1. No começo, me senti incomodada, mas depois viciei! Eu não tinha o hábito de tirar alguns dos meus brincos (tenho 5 furos em cada orelha) mas para aderir esse tratamento foi necessário tirar. Por se tratar de um tratamento de microcorrente elétrica, brincos, piercings, metais, não são bem-vindos, aliás, esse aparelho tem algumas restrições, então, esteja atenta.

Como disse em nosso último encontro, eu sou uma mulher que já sinto as marcas do tempo na pele, usando o BEAR, de imediato, senti que minha pele ficou bastante viçosa e viva. Sabe quando fazemos exercício físico e na sequência sentimos aquela sensação de prazer, senti algo assim com a pele do meu rosto. Como passo muito tempo com o rosto enfiado no computador e celular, em alguns momentos, sinto a minha pele estressada com aspecto de cansada. O BEAR trouxe uma sensação e um aspecto de recuperação, brilho e uma boa suavizada nas linhas de expressão.

Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE