Cadastre-se em nossa newsletter para ler este e outros artigos.

Doses semanais de moda, beleza, cultura e lifestyle, além, é claro, de todas os lançamentos da ELLE!
Inscreva-se gratuitamente.

  • ASSINE NOSSA NEWSLETTER
  • O melhor da ELLE direto no seu inbox! Inscreva-se gratuitamente.
  • INSCREVA-SE AQUI
PUBLICIDADE

Muito se fala sobre colágeno no skincare. Mas você sabe, de fato, por que ele é importante? "É uma proteína responsável por dar firmeza e sustentação à pele. Para se ter ideia, 70% desse órgão é composto por ela", explica a dermatologista Luciana Garbelini, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). Está presente também nos ossos, musculatura, articulações, unhas, cabelo e outras estruturas.

Apesar de ser formada naturalmente pelo nosso organismo, sua produção começa a cair quando chegamos por volta dos 30 anos de idade. "Isso vai aumentando em progressão geométrica. No caso das mulheres, a perda de colágeno aumenta rapidamente após a menopausa e as consequências ficam ainda mais visíveis", conta a dermatologista Thais Pepe, também da SBD.

Isso se dá porque essa proteína não apenas tem a sua produção drasticamente reduzida durante esse período, como começa a acontecer também um processo de degradação dela. Segundo Luciana, há uma perda anual de 1% de colágeno ao ano – o que chega a 30% após a última menstruação. "Com isso, a pele fica mais fina, flácida e menos hidratada. A musculatura torna-se menos flexível. Nos cabelos, pode impactar deixando-os mais finos e quebradiços, e as unhas mais fracas", diz.

Hábitos que ajudam a reduzir a perda de colágeno

Uma alimentação balanceada, com alimentos ricos em antioxidantes, como frutas vermelhas e cítricas, contribui para desacelerar esse processo de degradação. Isso porque eles atuam no combate de radicais livres, que oxidam as células acentuando a perda de colágeno, explica Thais.

Nesse mesmo sentido, Luciana destaca a importância do uso de protetor solar, já que o excesso de radiação ultravioleta aumenta a oxidação. O uso de antioxidantes tópicos, como a vitamina C, também é essencial para proteger a pele e frear a queda dessa proteína estrutural.

Cosméticos com colágeno são realmente eficazes?

\u200bUsar protetor solar ajuda a combater os radicais livres

Usar protetor solar ajuda a combater os radicais livres

Pexels

Se está pensando em investir em um creminho com colágeno na sua formulação, é melhor desistir. "Cosméticos contendo essa proteína não são eficazes, pois ela é muito grande e não consegue ser absorvida pela pele", ressalta Luciana. O que pode ajudar são produtos que levam ácido retinoico, que atua estimulando a produção de colágeno pelo corpo.

No entanto, como diz o ditado, "é melhor prevenir, do que remediar". Por isso, a dermatologista reforça que protetor solar e antioxidantes são os mais importantes de se inserir na rotina de skincare para garantir uma melhor saúde da pele, já que eles ajudam a impedir a degradação da proteína.

Como aumentar a produção de colágeno

Tudo isso são formas de minimizar a atuação dos radicais livres, mas Thais é direta ao falar sobre a maneira mais eficaz de reverter esse processo, recuperando a firmeza e a elasticidade da pele. "O ideal é realizar procedimentos com estímulos locais", diz. Segundo a dermatologista, os principais são:

  • Bioestimuladores injetáveis de colágeno, como o Radiesse e o Sculptra.
  • Lasers de ultrassom microfocado, como o Ultraformer.

Em alguns casos, uma sessão basta, mas em outros podem ser necessários até quatro retoques na primeira vez que se realiza. A melhora é progressiva e tem duração de até dois anos. Porém, no geral, é indicada uma aplicação anual para a manutenção dos tratamentos.

Suplementos com colágeno realmente funcionam?

De acordo com as duas dermatologias, o consumo de suplementos orais podem até ser interessantes caso associados aos procedimentos de estímulos externos citados acima. "A quantidade de colágeno que o corpo consegue produzir a partir desse tipo de suplementação é reduzida, então a melhora no aspecto da pele será mínima se consumidos de forma independente", diz Luciana.

Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE