Cadastre-se em nossa newsletter para ler este e outros artigos.

Doses semanais de moda, beleza, cultura e lifestyle, além, é claro, de todas os lançamentos da ELLE!
Inscreva-se gratuitamente.

  • ASSINE NOSSA NEWSLETTER
  • O melhor da ELLE direto no seu inbox! Inscreva-se gratuitamente.
  • INSCREVA-SE AQUI

sala ampla com três tapetes com desenhos geométricos coloridos

PUBLICIDADE

Pés descalços sobre uma superfície macia: taí um prazer simples que todo mundo deveria experimentar de vez em quando. Além de oferecer esse tipo de deleite sensorial, os tapetes se revelam um dos itens mais versáteis da decoração. "Uma boa peça serve tanto para marcar com sutileza os limites de um ambiente quanto para criar o link entre os móveis soltos no espaço", detalha Karen Pisacane, arquiteta à frente do escritório paulistano que leva seu nome.

Com incontáveis opções de estilos e materiais, não é exagero recorrer à ajuda profissional antes de eleger o modelo certo para a sua casa. Algumas dicas, no entanto, já valem como filtro: os fabricados com materiais sintéticos, como náilon e poliéster, oferecem manutenção simples; já os de fibras naturais, como lã, algodão e sisal, exigem mais cuidado, mas em troca dispõem de texturas mais ricas.

Vem da arquiteta Patricia Martinez um olhar sobre usos mais atuais. "Gosto de colocar os tapetes descentralizados no ambiente, compondo um desenho mais solto e deslocado no espaço", ensina. O efeito, mais moderno, pode virar um recurso para renovar ambientes pouco valorizados. A seguir, veja dez ideias que reunimos para inspirar você.

Geometria ocasional

sala com tapetes com desenhos geometricos pretos e brancos

Foto: Evelyn Müller

O canto da varanda ficou mais interessante depois que a arquiteta Patricia Martinez combinou três kilims da By Kamy para desenhar um canto de estar. Um mesmo modelo aparece em positivo e negativo, preto e branco, e ambos são conectados por um desenho geométrico mais forte, que completa o espaço.

Três vezes cor

sala ampla com tres tapetes com desenhos geometricos coloridos

Foto: Thiago Travesso

Valorizar os elementos decorativos carregados de história – e de afeto – é tarefa corriqueira na rotina da arquiteta Karen Pisacane, de São Paulo. Neste projeto, o tapete colorido da Punto e Filo, que os moradores já tinham, ganhou a companhia de outros dois modelos de tear produzidos pela Koord. Paleta respeitada e proporções equilibradas fizeram da sala um dos espaços mais descolados do novo endereço.

Limites bem marcados

sala ampla com tapete texturizado em um tom de vinho claro

Foto: Julia Ribeiro

Sofá, poltronas e mesas de apoio cabem confortavelmente entre as bordas do modelo indiano da Botteh Tapetes escolhido para este projeto na zona sul de São Paulo. A cor quente, mas suave, torna o living ainda mais aconchegante. Trabalho em conjunto do Studio Ana Veirano e PA Interiores.

Branco sobre branco

sala com tapete branco com desenho geometrico em relevo

Foto: Denilson Machado/MCA Estúdio

Mesmo sem cores é possível desenhar. Prova disso está no modelo de náilon tufado em alto relevo geométrico, escolha do arquiteto Henrique Ramalho para o apartamento de Niterói (RJ). O modelo da Casa Julio tem tamanho suficiente para criar os limites do living, que ficou mais aconchegante depois que o porcelanato original recebeu a cobertura.

Força no contraste

sala com tapete com zigue-zague vermelho

Foto: Julia Ribeiro

Escolhido para ser o ponto alto do apartamento paulistano, o kilim da Koord pautou a escolha das cores de todas as outras peças ao seu redor. A ideia veio do escritório paulistano de Fernanda Nasser e Luiza Amaral, sócias no Concretize Interiores.

Dupla independência

sala com dois tapetes, um branco e outro preto e branco

Foto: Denilson Machado/MCA Estúdio

A arquiteta Virna Carvalho escolheu um piso único para todo o apartamento que projetou para uma artista plástica no Rio de Janeiro. Na hora de ambientar os móveis, tirou partido de modelos diferentes feitos de lã e algodão vindos da Khaleb Tapetes. "Escolhi tapetes indianos de lã e algodão confeccionados à mão. Penso que a sinergia dos produtos artesanais traz equilíbrio e bem-estar para os ambientes", diz.

Tonalidades complementares

sala com tapete em tons degrade

Foto: Rafael Renzo

A aposta atrevida de casar um modelo em degradê com outro de sisal veio da arquiteta Carina Dal Fabbro – e não poderia dar mais certo. "Originalmente, pensamos em usar uma peça única, mas escolher duas versões mais modernas e do mesmo tamanho trouxe uma riqueza de texturas interessante", explica. Os modelos vieram da Phenicia Tapetes.

Transição natural

quarto com tapete de pele de vaca e outro de sisal

Foto: Manuela Faria

No quarto brasiliense de medida generosa, coube uma chaise. Traçar o caminho da cama para o canto de descanso foi o desafio que a equipe da Tribeira Arquitetura solucionou com graça. Para isso, o trio de arquitetos André Oliveira, Manuela Faria e Rodrigo Gimenes combinou um tapete de sisal, que já pertencia aos moradores, com uma pele de vaca da Mimos Tapetes.

Traço livre

sala com tapete tipo tufting

Foto: Joana França

Bordas arredondadas, alturas diferentes, cores complementares e basta. Diante dos móveis de linhas retas escolhidos pelo trio do escritório brasiliense Bloco Arquitetos, um modelo de desenho orgânico era o que faltava para deixar o ambiente menos formal. A peça tem design de Rodrigo Ohtake para Punto e Filo.

Clássico revisitado

sala com tapete bicolor de sisal e algodao

Foto: Monica Assan

Considerados um básico atemporal, modelos listrados carregam consigo a missão de ajudar a posicionar os móveis. "Optamos por deixar o lado escuro perto da janela e o mostarda, das poltronas. Repare que ele direciona nosso olhar", avalia Vivian Tonglet, sócia de Cláudio Helzel no escritório paulistano Compondo Arquitetura. O modelo artesanal de sisal e algodão tem a assinatura de Fernando Jaeger.


Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE