Raf Simons e Miuccia Prada

PUBLICIDADE

Quando Miuccia Prada anunciou Raf Simons como co-diretor artístico de sua grife, muitos receberam a notícia com euforia e outros com surpresa. Afinal, colaborações não eram do feitio de Miuccia, nem de Raf.

Em setembro do ano passado, a dupla apresentou sua primeira coleção, voltada ao público feminino. Foi um sucesso. Já a coleção masculina será apresentada neste domingo, 17.01, em um desfile virtual que fará parte da Semana de Moda Masculina de Milão.

Os estilistas deram uma palinha do que esperar da nova coleção ao jornal The New York Times, em entrevista à jornalista Venessa Friedman publicada nesta sexta-feira, e comentaram os rumos da moda pós-pandemia e também sobre começarem a trabalhar juntos. "Eu sempre fui criticada por nunca ter desejado fazer colaborações. Eu sempre vi isso como algo mais para vender ou fazer dinheiro do que como um diálogo profundo. Mas agora nós estamos fazendo uma e eu estou muito feliz", disse Miuccia. Raf, por sua vez, revelou o quão diferente foi entrar em uma marca da qual ele era realmente fã (para se ter uma ideia, ele disse que por 15 anos só usou roupas da Prada). Confira mais alguns destaques abaixo:

"A moda se tornou pop. Hoje, são ouvidos os que gritam mais, não os mais inteligentes"

Raf Simons acredita que a moda não carregará muito da pandemia a longo prazo. "A única lição que vamos — e devemos — aprender é ser menos gananciosos", disse o estilista. "A moda se tornou parte da economia. Hoje, a maior parte visa o crescimento econômico. No entanto, todas tiveram um crescimento reduzido no último ano e tentarão correr atrás agora. Isso não será possível com apenas uma ou duas coleções por ano."

PUBLICIDADE

O estilista pondera também que, hoje, a moda não se restringe mais àquilo que apenas os "conhecedores" do assunto consideram moda e que a maior parte da audiência parece estar interessada em uma moda mais superficial no lugar de uma que aborde temas profundamente: "A moda se tornou pop e os ganhadores são os que gritam mais alto, não os que falam de forma mais inteligente". E Miuccia completa: "Ouvi uma vez alguém dizer que um designer era horrível, mas que ele vendia tanto que deveria ser bom".

"Se a história se repetir, e ela geralmente se repete, estamos vivendo a década de 1920"

Ainda sobre os impactos da pandemia de coronavírus, Raf Simons acredita que a sociedade adotará um comportamento parecido com aquele visto após a Gripe Espanhola, na década de 1920. "Uma explosão de moda, saídas e sexo. Existe a possibilidade de ser bastante exuberante — perigosamente explosivo."

PUBLICIDADE
"Essa coleção terá mais de nós dois"

O estilista ainda promete que a nova coleção terá mais dele e de Miucia. "Na coleção feminina, ambos queríamos fugir de simplificações, não queríamos que olhassem para as peças e concluíssem que eram glamourosas ou promíscuas", explica Raf. "Nossos modelos eram como um embrulho, quase não eram peças de roupa, mas ainda assim podiam proteger, decorar. A ideia de proteção também está presente na coleção masculina, mas de uma forma completamente diferente. Uma forma diferente de confortar, relacionada à ideia de redução e tatilidade".

O desfile da Prada na Semana de Moda de Milão será transmitido ao vivo no canal da grife no Youtube, a partir das 18h de domingo (17.01). Após o evento, Miuccia e Raf participarão de um bate-papo com estudantes de moda das mais prestigiadas universidades do mundo.

Ainda no universo das notícias de moda, confira o documentário de Pierre Cardin, que chega ao Brasil pouco tempos após a sua morte.



Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE