Cadastre-se em nossa newsletter para ler este e outros artigos.

Doses semanais de moda, beleza, cultura e lifestyle, além, é claro, de todas os lançamentos da ELLE!
Inscreva-se gratuitamente.

  • ASSINE NOSSA NEWSLETTER
  • O melhor da ELLE direto no seu inbox! Inscreva-se gratuitamente.
  • INSCREVA-SE AQUI
PUBLICIDADE

O segundo semestre de 2021 se mostra tão prolífico para Eli Russell Linnetz quanto seu rol de habilidades. Fotógrafo, artista visual, produtor musical e designer famoso pelo trabalho com nomes como Kanye West, Kim Kardashian, Grimes e Selena Gomez, entre outros, ele deslanchou nas últimas semanas, após A$AP Rocky aparecer no tapete vermelho do baile do MET com um casaco-cobertor (quase como uma colcha de retalhos) feito pela sua marca, a ERL.

Com nome de "In America: A Lexicon of Fashion", a exposição explora a essência da moda feita nos Estados Unidos e o look criado com exclusividade para o rapper não podia ser melhor representação de tal tema. Toda acolchoada e com jeitão de colcha de retalhos, a manta faz referência a tradição de quilting, bastante popular entre comunidades de mulheres nos séculos passados. Em uma das galerias do museu, outro look da ERL faz uma releitura descolada sobre os uniformes de futebol americano.

Acontece que todo o trabalho de Eli a frente da marca que carrega suas iniciais tem como base elementos essenciais da moda e cultura estadunidense. Nascido e criado na Califórnia, ele estudou roteiro na University of Southern California, mas acabou se interessando por moda ao se envolver com figurinos, enquanto fazia parte núcleo de artes cênicas da faculdade (ele também é cantor de ópera).

PUBLICIDADE

Anos mais tarde, o jovem, hoje com 30 anos, escolheu a moda como expressão conectada às influências que a cultura local imprimiu em sua juventude. Uma delas é o surfe e o skate, esporte que pratica desde adolescente. Venice, bairro de Los Angeles que atualmente abriga seu estúdio e é famoso como reduto artístico e libertário da cidade, também é fonte recorrente. "Acredito que criar, seja no design, nos vídeos ou fazendo roupas, é sobre preencher um vazio que você sente por dentro na esperança de que isso preencha algo que outras pessoas também estão sentindo falta", refletiu sobre o processo criativo que guia o trabalho autoral em entrevista ao site SSENSE.

É que antes de lançar a própria marca, Eli teve um trajetória bem emblemática em outras áreas criativas. Ele dirigiu o clipe de Fade e foi o responsável pelo palco flutuante da Saint Pablo Tour, ambos de Kanye West; assinou a cenografia do show Enigma, de Lady Gaga, em Las Vegas, e é autor de muitos retratos de figuras do pop publicados em páginas de revistas e posts de redes sociais.

PUBLICIDADE

Tudo mudou após um filme para um perfume da Comme des Garçons. Adrian Joffe, presidente da marca (e marido da estilista Rei Kawakubo) viu tanto potencial criativo no estadunidense que pediu para que ele fizesse algumas peças em parceria com a Nike e o artista Jordan Wolfson para inauguração da multimarcas Dover Street Market em Los Angeles, em 2018.

Os drops deram tão certo que acabaram virando uma empreitada autônoma. Nascia assim a ERL, uma das oito labels cultivadas pelo Dover Street Market Paris, braço da Comme des Garçons dedicado ao desenvolvimento de talentos em ascensão (como Vaquera, Rassvet, de Gosha Rubchinskiy, e Honey Fucking Dijon, linha de merch da DJ norte-americana, entre outras).

Com suporte valioso da empresa, que cuida de aspectos tanto da produção quanto da distribuição e marketing, Eli ganha liberdade para desenvolver suas versões de clássicos do streetwear — moletons, jaquetas, jeans e suéteres — enriquecidas por meio de tratamentos originais aliados a tecidos e técnicas tradicionais dos EUA. Daí as releituras sobre uniformes esportivos, ícones como estrelas, faixas e estampas psicodélicas, além do já mencionado quilting.


A coleção inverno 2021, último lançamento, serve como raio-X nos alicerces de sua moda. Intitulada The Final Frontier, carrega sua dose de reflexão por meio de roupas que flertam com o espírito da contracultura em sua concepção e imagem, enquanto valoriza detalhes-chave na linha do tempo da moda local, como o jeans, o corduroy, o underwear e as jaquetas e calças de acabamento acolchoado.

Nas redes sociais, a recente exposição lhe garantiu toda uma nova leva de seguidores. Não que a etiqueta fosse totalmente desconhecida. Durante a pandemia houve um boom em torno da ERL e nomes famosos como Dua Lipa e o casal Bieber, Justin e Hailey, se declararam fãs confessos. Abraçada por pontos de venda importantes, pelo suporte de experts, tanto nos negócios quanto na disrupção, com incursão na moda feminina confirmada e equilíbrio perfeito entre ideia, execução e zeitgeist, não parece nada arriscado apostar que o pé no passado da grife caminha mesmo para um futuro de sucesso.

Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE