PUBLICIDADE

Embora tenha sido lançada durante a pandemia, a Esfér já vinha sendo desenvolvida por João Viegas e Aldo Miranda desde 2018. "Nós fizemos, refizemos e só apresentamos a marca quando, finalmente, achamos que ela estava redonda", contam eles em entrevista à ELLE. Amigos há mais de uma década, a dupla se juntou com a pretensão de pensar a joalheria a partir de suas lentes individuais e, desde o princípio, já tinham em mente fundamentos precisos. "O nosso nível de exigência sempre foi alto. Queríamos um produto maduro, com identidade forte, qualidade impecável e que a marca começasse com a estrutura de produção para a demanda esperada", explica João.

Deu certo. Em pouco mais de oito meses desde o début, a Esfér já conquistou uma lista de clientes que vai de Bruna Marquezine a Pabllo Vittar e, agora, acaba de fazer a sua estreia na São Paulo Fashion Week. Além de apresentar as peças lançadas até o momento, o filme exibido no evento também revela uma nova família de cinco peças inéditas.


O esférico ocupa um papel essencial para o design da marca (daí o seu nome, aliás), no entanto, a forma é fragmentada em aros e elos de maneira quase engenhosa. A simetria não é algo exatamente importante aqui mas Aldo faz questão de ponderar: "Até no desequilíbrio, existe uma certa harmonia". E é verdade. As composições, vistas no todo, assumem uma proporção delineada em eixos longitudinais e, às vezes, esculturais, que pode ser entendida como a métrica proposta pela Esfér.

PUBLICIDADE

O apelo contemporâneo, no entanto, é calculado. Quando se trata de joias, a atemporalidade já é inerente, e João e Aldo parecem saber disso. "Por mais que seja feito agora, entendemos que projetar o que projetamos em outros tempos também seria possível", comentam. Não é à toa que a dupla descarta a intenção de trocar de coleção sazonalmente. "A gente não quer que o cliente ache o nosso produto ultrapassado daqui há um ano. Um bom design precisa ter o poder de ser atemporal", diz João.

A participação da Esfér marca a primeira vez em que uma etiqueta de jóias integra o line-up da SPFW. Se de forma presencial, um desfile, dificilmente faria sentido, o formato digital abre espaço para uma nova dinâmica que, embora possa ser bem-vinda, ainda tem muito a ser explorada.

Esfér na SPFW51

Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE