PUBLICIDADE

A plataforma de produtos vintage e handmade Etsy comunicou, nesta quarta-feira (02.06), planos para adquirir o Depop, site e app favoritos da Gen-Z, focado na revenda de roupas e acessórios. O valor da transação é de 1,6 bilhão de dólares (em torno de 8 bilhões de reais) e o deve ser fechado no terceiro trimestre de 2021.

O anúncio é mais um sinal do crescente interesse pelo mercado de revenda de moda, que deverá valer 51 bilhões de dólares em 2023, de acordo com a empresa de pesquisa Global Data. O movimento já estava em alta, mas a pandemia deu o empurrão que faltava para aquecer ainda mais o mercado de compra e venda de artigos de roupas e acessórios usados.

No início deste ano, as plataformas de revenda Poshmark e ThredUp entraram no mercado de ações, enquanto o Vestiaire Collective e a Vinted levantaram lucros de nove dígitos. Em paralelo, marcas como Gucci, Alexander McQueen, Levi's e Ralph Lauren também demonstraram interesse em criarem suas próprias plataformas para dar vida nova a itens de segunda mão.

Durante o curso da pandemia, o Depop registrou crescimento de 100% em comparação com o ano anterior, totalizando 70 milhões de dólares de receita em 2020. No mesmo período, as vendas brutas de mercadorias no app dobraram para 650 milhões de dólares. Após a aquisição, a empresa permanecerá em sua sede em Londres com a equipe existente.

PUBLICIDADE


Foto: Divulgação


Fundado em 2011 por Simon Beckerman, o Depop se estabeleceu como uma das principais plataformas de revenda com uma audiência esmagadora da Geração Z. De acordo com dados da empresa, cerca de 90% dos usuários ativos têm menos de 26 anos. Essas características ajudaram a tornar aquisição pelo Etsy ainda mais valiosa, especialmente para os players do mercado de revenda e de negócios ponto a ponto.

O Etsy, por outro lado, oferece acesso a um grupo demográfico mais amplo, com uma base de consumidores enviesada para a geração Y (com idade média de 39 anos), bem como a experiência de alavancar e gerenciar uma comunidade de 90 milhões de compradores ativos. Com a compra do Depop, a empresa espera ver um crescimento gradual de receita, ainda que com uma ligeira diluição de suas margens EBITDA.

A aquisição "permite que a Etsy aprofunde sua penetração na Geração Z, que um grupo demográfico importante", disse o presidente-executivo do market place, Josh Silverman, em reunião com investidores. No entanto, a empresa disse que não tem planos de fundir as plataformas. Em vez disso, pretende extrair o que cada uma tem de mais atratativo, como o público engajado do Depop e o desenvolvimento da Etsy em áreas como pesquisa, descoberta de produtos e experiência do usuário. "Etsy representa algo muito distinto: é feito à mão e vintage", disse Silverman. "E Depop representa moda para os consumidores da Geração Z", complementou.

PUBLICIDADE
Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE