Cadastre-se em nossa newsletter para ler este e outros artigos.

Doses semanais de moda, beleza, cultura e lifestyle, além, é claro, de todas os lançamentos da ELLE!
Inscreva-se gratuitamente.

  • ASSINE NOSSA NEWSLETTER
  • O melhor da ELLE direto no seu inbox! Inscreva-se gratuitamente.
  • INSCREVA-SE AQUI
Moda

Fashion Revolution Brasil lança seu primeiro livro

Revolução da moda: jornadas para sustentabilidade integra ensaios de várias autoras do país.

Foto: Reprodução/Fashion Revolution Brasil
PUBLICIDADE

No último sábado, 24.04, o Fashion Revolution Brasil anunciou a pré-venda oficial de seu primeiro livro. Revolução da moda: jornadas para sustentabilidade (Editora Reviver) é uma obra colaborativa, organizada por Eloisa Artuso e Fernanda Simon, diretoras da instituição nacional.


O livro conta com ensaios de mulheres referências na pesquisa de moda brasileira. Elas fazem parte da construção de um novo capítulo da indústria, percebido por meio dos pilares da sustentabilidade – seja com seus desafios e êxitos. Feito para inspirar e aguçar o sentido de mudança, é um convite para reflexão e ação em prol de uma moda justa e ética, que honre as pessoas e a natureza acima do lucro.

Em 228 páginas, são abordados temas como economia compartilhada, questões raciais, igualdade de gênero e novos processos produtivos, como design circular e tingimentos naturais. Ao todo, são 16 autoras: Alice B. Schuch, Camila Yahn, Carol Barreto, Dina Cardoso, Flávia Aranha, Heloisa Rocha, Iara Vidal, Julia Vidal, Lala Deheinzelin, Lilyan Berlim, Mari Pelli, Marina Stuginski, Sabrina Morais, Tatiana Massaro, Vita Santiago e Viviana Santiago.

Lançamento do livro Revolução da Moda: Jornadas para Sustentabilidade www.youtube.com

Para Eloisa Artuso, ''o projeto é uma ótima oportunidade para celebrar a atuação do Fashion Revolution Brasil, colocando o país no mapa da produção de conhecimento sobre temas que envolvem moda e sustentabilidade''. O processo de escolha das autoras foi pensado para subverter a lógica convencional de crescimento do setor, bastante pautado em visões hegemônicas. Para isso, foram convidadas diferentes mulheres feministas, negras e indígenas, com visões interseccionais.

PUBLICIDADE

A edição é inédita – inclusive no Fashion Revolution Global, já que nunca nenhum dos países onde a organização tem sede chegou a lançar um livro. ''Não pretendemos esgotar nenhum desses temas com (a publicação), certamente, mas queremos despertar reflexões para construção de uma nova moda e um novo mundo possível. Assim, neste livro, a moda se apresenta como uma ferramenta propositiva e que abre possibilidades de transformações nas relações sociais, de trabalho, e com a Natureza'', finaliza Eloisa.



Para falar de pluralidade e responsabilidade social e ambiental, é preciso mudar a maneira como assunto é abordado nas faculdades e universidades do país.

PUBLICIDADE
Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE