Cadastre-se em nossa newsletter para ler este e outros artigos.

Doses semanais de moda, beleza, cultura e lifestyle, além, é claro, de todas os lançamentos da ELLE!
Inscreva-se gratuitamente.

  • ASSINE NOSSA NEWSLETTER
  • O melhor da ELLE direto no seu inbox! Inscreva-se gratuitamente.
  • INSCREVA-SE AQUI
PUBLICIDADE

Esta pode até ser uma estreia da Casa de Criaodores, mas a verdade é que Fábio Gurjão, 40, há anos é um artista, estilista e personagem bastante conhecido da cena alternativa brasileira.

Da turma de Bianca Exótica, Dudu Bertholini e da dupla por trás da Amapô, as estilistas Pitty Taliani e Carô Gold, ele já foi responsável por diversas colaborações com marcas que o chamaram para produzir estampas e customizar peças. Algumas delas, inclusive, já cruzaram as passarelas em edições anteriores do evento.

Fotos: Mila Cavalcante

Um dos vários discípulos da abravanação, coletivo que juntou arte, moda, brasilidade e cor neon há pelo menos uma década, Fkawallys foi também o braço mais punk desse tal movimento pirata e tropical. Desenvolvendo um trabalho bastante autoral de customização, ele agora ganha holofote próprio ao ingressar oficialmente no line-up do evento.

O formato em vídeo foi decisivo para ele se animar com o convite. E é ao som da batida eletrônica do DJ Tutu que a Fkawallyspunkcouture fez o seu début-não-début. No curta, o próprio Fábio desfila na garagem pouco iluminada do Centro Cultural São Paulo, trajado com as produções que ele mesmo criou. "Gosto do efeito show que a minha roupa tem", explica. E isso é algo que as peças não deixam de entregar.

PUBLICIDADE


A confusão de materiais é sua maior assinatura. Aos jeans e ao couro, ele adiciona franjas, brilho, tachas e grafite de print animal, o silk do já clássico logo de sua marca. Por falar em estampa, seu próprio rosto com óculos escuros se torna uma, aplicada em um body de correntes. Vê-se aqui e ali alguns escritos saidinhos, como "FKaralho", "Gozei" e "Vai Toma No Cu".

Essa imagem punk tropical aparece dos pés à cabeça. O cabelo pintado de vermelho é assinado pelo make-up artist Carlos Rosa, e ele só desaparece quando está tampado por um quepe de couro preto que, é claro, foi forrado de spikes.

Os acessórios gritam todos juntos nesse coral de muitos pontos focais, como a jockstrap logotipada, as botas de caubói e o duo de máscara e faceshield pintados à mão — afinal, punk, sim, mas negacionista, nunca! E é ótimo ver os designers que não ignoram esse acessório que tanto ajuda no combate à pandemia.

Fotos: Mila Cavalcante

Baita conhecedor de moda, Fábio Gurjão pegou emprestado o sobrenome do estilista italiano Roberto Cavalli para criar a sua Fkawallys há 15 anos. O designer nunca costurou, mas isso também não foi impeditivo para exercitar técnicas próprias, em roupas DIY. Tudo começou com silks e transfers em camisetas. Depois, a história evoluiu para jaquetas com tachas aplicadas. E, agora, até mesmo um terno ou um fraque são personalizados com mil aplicações. O céu é o limite. Ou o inferno, talvez.

PUBLICIDADE

Apesar de ser a cara do bueiro techno paulistano, a tag Fkawallys, que transforma qualquer item banal em algo com muita personalidade, conquistou uma extensa lista de celebridades que vão de Ludmilla a Xuxa, Ivete Sangalo a Michel Teló.

"As labels fazem tendências que nós podemos copiar em casa. E como ter uma label é caro, quem quiser algo único e com o mesmo peso de exclusividade, deve 'fazer você mesmo'", explica o estilista, dando a letra sobre sua moda hackeável e construída à mão. Punk e, sem dúvida, couture.

Fotos: Mila Cavalcante

Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE