• ASSINE NOSSA NEWSLETTER
  • O melhor da ELLE direto no seu inbox! Inscreva-se gratuitamente.
  • INSCREVA-SE AQUI
PUBLICIDADE

A segunda fase do #Movimento já começou! No primeiro encontro da plataforma, recebemos o CEO da INOVA Trends Innovation Ecosystem, Luis Rasquilha, para uma conversa sobre tendências voltadas para negócios. “Estamos vivendo no século da complexidade, onde os últimos 15 anos foram muito transformadores, de maneira que hoje não competimos mais com outras empresas, e sim com as transições de mercado”, comentou Rasquilha, citando o surgimento dos smartphones e a pandemia da Covid-19 como fatores determinantes para essas transformações.


Luís Rasquilha, CEO da INOVA Trends Innovation EcosystemImagem: Divulgação

Rasquilha também compartilhou algumas dicas indispensáveis para o presente e futuro de um negócio. Alguns destaques:

  • Identificar quais macrotendências de comportamento estão mais relacionadas ao negócio, lembrando que a sustentabilidade já é uma destas importantes mudanças;
  • Aprender a criar a comunicação a partir de um valor emocional genuíno alinhado ao propósito da marca;
  • Criar experiências, e não apenas produtos;
  • Estar atento às adaptações necessárias de contexto e não ficar preso ao que funcionou no passado, pois isso pode não funcionar no futuro.

Segundo o especialista, a conectividade permanente está entre as macrotendências atuais e é evidenciada pela força das redes sociais, como Instagram, TikTok, Facebook, entre outros. A plataforma em si pode mudar com o tempo – como vimos tantas desaparecerem –, mas o poder da conectividade entre pessoas permanecerá pelos próximos anos. “Na indústria alimentícia, por exemplo, essa tendência se traduz na maneira como os garçons estão sendo treinados nos restaurantes, aprendendo não só a servir bem, mas como tirar boas fotos com diferentes tipos de celulares, pois o resultado da imagem dará ao cliente uma ideia da qualidade do estabelecimento”, explicou Rasquilha.

PUBLICIDADE

As diferentes maneiras de embalar conteúdos nas redes sociais e o cuidado para não esvaziar culturas regionais ou técnicas ancestrais foram alguns dos pontos levantados pelas marcas apoiadas pelo projeto, que também discutiram a questão do marketing ambientalmente correto. Para Rasquilha, a discussão não tem resposta certa, pois apesar da sustentabilidade ser uma pauta importantíssima e inegociável, ela reúne diversas variáveis. “Reduzir impacto é diferente de reduzir consumo, então, o marketing ambientalmente correto é aquele de conscientização dessa redução de impacto”, comentou o especialista. E ele, deixa a seguinte provocação para os empreendedores de moda: como reduzir o impacto para que o consumo do seu produto seja mais sustentável? Junto com os participantes desse novo ciclo do #Movimento, vamos tentar encontrar essa e outras respostas.

Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE

A ELLE Brasil utiliza cookies próprios e de terceiros com fins analíticos e para personalizar o conteúdo do site e anúncios. Ao continuar a navegação no nosso site você aceita a coleta de cookies, nos termos da nossa Política de Privacidade.

Assine nossa newsletter

Doses Semanais de moda, beleza, cultura e lifestyle, além, é claro, de todas as novidades e lançamentos da ELLE no seu inbox.
Increva-se gratuitamente.