Cadastre-se em nossa newsletter para ler este e outros artigos.

Doses semanais de moda, beleza, cultura e lifestyle, além, é claro, de todas os lançamentos da ELLE!
Inscreva-se gratuitamente.

  • ASSINE NOSSA NEWSLETTER
  • O melhor da ELLE direto no seu inbox! Inscreva-se gratuitamente.
  • INSCREVA-SE AQUI
Moda

"C'est la vie!"

O estilista Sam Santos (ex-Modem) é o novo diretor criativo da Vie São Paulo, nova etiqueta de Nilzete Brandão focada em alfaiataria descomplicada.

Foto: Caio Brandão
PUBLICIDADE

Em 2015, o mineiro Sam Santos (hoje com 30 anos) co-fundou a Modem Studio, ao lado do conterrâneo André Boffano. Em menos de três anos, a dupla estava escalada para o São Paulo Fashion Week, era um dos principais nomes do Minas Trend e se firmava como expoente da moda nacional. O reconhecimento veio também na contratação de ambos para a área de criação da Bobstore.

Contudo, a dupla se desfez em 2018. André seguiu sozinho na direção da Modem e da Bobstore e Sam foi para VR Collezioni (as duas últimas marcas pertencem ao grupo InBrands). Mas o gosto pela alfaiataria deu ensejo para outros voos e parcerias.

Sam entra neste mês na Vie, nova etiqueta paulistana de Nilzete Brandão. "Ela sempre quis abrir uma marca própria, tem uma ótima mão para o corte, a modelagem e a concepção do produto", diz Sam sobre a parceira. É que Nilzete é um nome, até agora, mais conhecido nos bastidores — ainda que muito bem conhecido. Dona de uma fábrica de confecção tradicional de alfaiataria, em São Paulo, ela presta serviços para outras grifes nacionais há pelo menos 30 anos.


Foto: Caio Brandão


"No final do ano passado, Nilzete surgiu com a proposta de que eu desse uma cara a sua marca e criasse uma imagem nova para tudo", continua Sam. O estilista aceitou prontamente o desafio de colaborar nesse projeto de vida de Nilzete (por isso, o nome: vida em francês) e criou com a parceira, em três dias, uma coleção de estreia.

PUBLICIDADE

Como é de se esperar, a primeira fornada nasce enxuta, como uma base sobre a qual ambos planejam experimentar mais para frente. São vestidos, blusas, batas e tops, além de bermudas e calças pantacourt em tecidos naturais, como a seda, o crepe e a lã.

O foco é uma alfaiataria descomplicada. "A alfaiataria sempre foi a minha especialidade. Mas vejo, agora, que estou dando sequência a um aprendizado, porque é uma aula trabalhar com alguém que se dedicou a esse tipo de produção por tanto tempo. Sinto que há mais leveza em tudo, há um cuidado com o caimento e o corte da peça, além da possibilidade de criar em cima de materiais mais preciosos", afirma.

Antes do convite para ingressar na nova etiqueta, Sam vinha trabalhando no desenvolvimento de peças autorais, principalmente masculinas, que vendia por meio do seu Instagram pessoal. No entanto, ele enxerga que esses projetos podem (e provavelmente vão) se fundir no futuro. "Vou ter liberdade na Vie para desenvolver modelagens novas, maiores, talvez masculinas. É só o começo de tudo."

PUBLICIDADE



Esse amadurecimento da sua relação com a roupa vem das experiências passadas, tanto na criação de uma grife independente quanto na prática dentro de empresas mais estruturadas. "Isso me deu a base para tentar fazer roupas que as pessoas vão usar. Não digo só do lado funcional, mas também da peça que desperta desejo. O apelo vem de vários aspectos e eu acredito que esse é o meu propósito hoje: entender o que fará você comprar o que eu estou produzindo", conta. "É uma obviedade dizer que os tempos mudaram, todos sabem, mas o estilista deve estar atento ao que acontece no mundo e criar produtos adequados ao momento."

Com isso em mente, Sam conta que já está trabalhando na elaboração da próxima coleção da Vie, de verão, que será lançada em maio. Segundo ele, as experimentações serão maiores, como o uso de recortes, sobreposições e detalhes "que não deixam a peça parecer boba", mas sempre com o objetivo de entregar algo usável. Por ora, a grife está em multimarcas, como a Madresanta, a Impelle, a M Fleury, a Maison Maina e a Sissi Concept. Há um planejamento para que um e-commerce próprio seja lançado no segundo semestre e uma loja própria e física, até o final do ano.




Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE