PUBLICIDADE

Se você acompanha a nossa série "5 segredos de", você já sabe que a beleza começa muito antes da nécessaire. Nela, entrevistamos diferentes maquiadores brasileiros veteranos e pedimos para que eles nos revelem suas dicas de ouro e, até agora, todos falaram da importância da leitura, de ter um repertório cultural vasto. Ou seja, antes de sair arriscando mais um olho de gatinho, que tal estudar a história da maquiagem e descobrir como chegamos aqui? Por isso, separamos oito obras em promoção da Black Friday para você atualizar a sua biblioteca de beauté e se tornar um expert no assunto!

História da beleza (2004), Umberto Eco

umberto-eco-historia-de-beleza História da beleza, Umberto EcoDivulgação

Nesta que é uma de suas principais obras, o italiano Umberto Eco se vale da história da arte e do estudo da estética ocidental para esboçar uma ideia do que foi considerado belo do decorrer dos últimos séculos. Aportando-se na filosofia, na política, na economia e na ciência, o autor traça paralelos interessante entre o conhecimento clássico e um referencial pop que tornam o livro bastante relevante. Talvez o seu maior trunfo seja o de destrinchar os mecanismos da beleza hegemônica provando que, na verdade, ela é um conceito construído socialmente, que pode e merece ser questionado. Para comprar, clique aqui

PUBLICIDADE

O mito da beleza (1991), Naomi Wolf

o-mito-da-beleza-naomi-wolf O mito da beleza, Naomi WolfDivulgação

A jornalista, pensadora e feminista Naomi Wolf se tornou referência neste tema ao lançar este livro no começo da década de 1990. Nele, ela explica detalhadamente como as artimanhas da beleza agem em favor do patriarcado, principalmente no sentido de impedir as mulheres de se emanciparem intelectual, sexual e economicamente. Para isso, a autora debruça sobre temas espinhosos: distúrbios alimentares e mentais, indústria da cirurgia plástica, mercado pornográfico... Sem rodeios, ela vai direto ao ponto e traz críticas muito importantes à beleza que precisam ser ouvidas e validadas todos os dias. Para comprar, clique aqui.

Mulheres, mitos e deusas (2006), Martha Robles

mulheres-mitos-e-deusas-martha-robles Mulheres, mitos e deusas, Martha RoblesDivulgação

De onde vem o padrão de beleza eurocêntrico e hegemônico que oprime e exclui tantas mulheres há anos? Esta é uma das perguntas fundamentais da obra de Martha Robes que, para respondê-las, recupera histórias de figuras femininas simbólicas como a deusa grega do amor Afrodite, a princesa de contos de fadas Cinderela, e as autoras Simone de Beauvoir e Virginia Woolf. É uma análise do arquétipo do feminino na cultura ocidental que, invariavelmente, apontam para o machismo e para o patriarcado como autores dessas fantasias que, em geral, reduzem a capacidade humana de complexa das mulheres a objetos com funcionalidades pré-determinadas em favor de uma estrutura. Para comprar, clique aqui.

PUBLICIDADE

História da beleza no Brasil (2014), Denise Bernuzzi de Sant'Anna

historia-da-beleza-no-brasil-denise-bernuzzi-santanna História da beleza no Brasil, Denise Bernuzzi de Sant'AnnaDivulgação

Quando e como surgiu essa ideia do corpo da mulher brasileira ser um elemento central da cultura do nosso país? Denise Bernuzzi de Sant'Anna vai a fundo nesse livro. Ela estuda o último século desde os primeiros anos da república até os dias atuais. É um panorama profundo e completo das transformações do padrão de beleza e das investidas a que as mulheres se submeteram para atingir esse suposto ideal. Isso sem falar na fuga desesperada da feiúra, que, por aqui, ganha contornos muito particulares, para além de estar socialmente ligada a noções de solidão e fracasso. Para comprar, clique aqui.

Pare de se odiar (2018), Alexandra Gurgel

pare-de-se-odiar-alexandra-gurgel-alexandrismos-livro Pare de se odiar, Alexandra GurgelDivulgação

Formada em Jornalismo, a youtuber Alexandra Gurgel é um dos maiores nomes antigordofobia da internet brasileira. Fundadora do canal Alexandrismos e do perfil @movimentocorpolivre no Instagram, ela é também a autora de Pare de se odiar. Em seu primeiro livro, ela te pega na mão e te leva para o caminho do amor-próprio. Sem deixar de lado uma análise social inteligente e perspicaz, Alexandra conta a sua própria história que, sem dúvida, inspira qualquer um a lutar contra a pressão estética e a gordofobia. Para ela, se amar é um ato revolucionário. O livro, por sua vez, é um ótimo primeiro passo para essa grande virada. Para comprar, clique aqui.

História da beleza negra no Brasil (2015), Amanda Braga

historia-da-beleza-negra-no-brasil-amanda-braga História da beleza negra no Brasil, Amanda BragaDivulgação

O trabalho de pesquisa de Amanda Braga neste livro faz as vezes de recuperar uma história que foi elipsada pelo discurso hegemônico da branquitude brasileira. A proposta é a de uma leitura semiológica da estética negra no Brasil: da escravidão até a pluralidade contemporânea. Atravessando memórias, exclusões e retomadas, ela rastreia a leitura dada ao corpo negro no país que inventou o mito da democracia racial para se fingir não racista. Leitura obrigatória! Para comprar, clique aqui.

Maquiagem (2000), Duda Molinos

duda-molinos-maquiagem-livro-senac Maquiagem, Duda MolinosDivulgação

Duda Molinos, falecido em 2019, foi um dos nomes mais importantes da maquiagem no Brasil. Nesse livro lançado na virada do milênio, ele resguarda seus valores e suas técnicas com uma série de dicas em formato "passo-a-passo". A jornalista Marcia Cezimbra foi quem ajudou o beauty artist a colocar todas as suas ideias no papel. Destaque para o capítulo sobre cosmetologia que, na época, ainda era um assunto pouco falado. Para comprar, clique aqui.

A mulher que inventou a beleza (2013), Michèle Fitoussi

a-mulher-que-inventou-a-beleza-helene-rubinstein-biografia A mulher que inventou a beleza, Michèle FitoussiDivulgação

Nascida em 1972, na Polônia, Helena Rubinstein foi uma das primeiras magnatas do mercado de beleza. Ao completar 24 anos, ela foi para a Austrália levando alguns exemplares do creme facial inventado por sua mãe. Não demorou para que o produtinho virasse hit. Abriu seu primeiro salão em Melbourne e não parou mais. Conquistou os mercados norte-americano e europeu, era amiga de artistas como Salvador Dalí e Pablo Picasso e amava os looks de Chanel e Yves Saint Laurent. Neste livro, Michèle Fitoussi descreve a trajetória meteórica da empresária que quebrou paradigmas para mulheres de seu tempo. Para comprar, clique aqui.

Os produtos incluídos nesta reportagem foram selecionados pela nossa equipe e contêm links para sites parceiros. Caso você compre produtos linkados no nosso site, podemos receber uma comissão.



Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE