PUBLICIDADE

Carolina Maria de Jesus recebeu o título póstumo de Doutora Honoris Causa pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. A escritora morou boa parte de sua vida em favelas, onde trabalhava como catadora de papel. Seu primeiro livro, Quarto de despejo, foi escrito a partir de anotações de seu cotidiano feitas em cadernos que encontrou no lixo.

Quarto de Despejo Carolina Maria de Jesus Capa do livro "Quarto de Despejo", de Carolina Maria de Jesus, disponível na Amazon por R$ 42,88.Divulgação/ Amazon

O sucesso da publicação inspirou Carolina a escrever mais dois livros, Pedaços da fome e Provérbios. Seis outros títulos assinados pela autora foram publicados após sua morte, em 1977, quando ela foi vítima de uma insuficiência respiratória, aos 62 anos. A obra de Carolina Maria de Jesus é considerada uma peça fundamental na luta antirracista do Brasil.

A honraria Honoris Causa, que significa "por causa de honra", é concedida independentemente da instrução educacional a quem se destacou por suas virtudes, méritos ou atitudes. A concessão do título foi unânime entre o Conselho Universitário, que divulgou o parecer nesta quinta-feira (25.02), pelo canal do YouTube da universidade.

Frases de Carolina Maria de Jesus

Carolina Maria tinha fortes posicionamentos político-sociais, tanto nos livros como em falas públicas. Confira abaixo algumas de suas frases mais emblemáticas:

"O maior espetáculo do pobre, hoje, é comer";
"As crianças ricas brincam nos jardins com seus brinquedos prediletos. As crianças brancas acompanham suas mães a pedirem esmolas pelas ruas. Que desigualdade trágica e que brincadeira do destino";
"Eu sou preta, a fome é amarela e dói muito";
"Quem não tem um amigo, mas tem um livro, tem uma estrada".


Marcas de beleza capitaneadas por mulheres negras combatem o racismo estrutural e institucional no país e lutam para fazer seus produtos chegarem às consumidoras.



Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE