Cadastre-se em nossa newsletter para ler este e outros artigos.

Doses semanais de moda, beleza, cultura e lifestyle, além, é claro, de todas os lançamentos da ELLE!
Inscreva-se gratuitamente.

  • ASSINE NOSSA NEWSLETTER
  • O melhor da ELLE direto no seu inbox! Inscreva-se gratuitamente.
  • INSCREVA-SE AQUI
Cultura

Ismael Ivo, pioneiro bailarino e coreógrafo brasileiro, morre aos 66 anos

Emicida o definiu como "um destruidor de barreiras em toda a sua trajetória", e foi certeiro. Ao longo de 33 anos de carreira internacional, Ismael foi o primeiro estrangeiro e primeiro profissional negro a alcançar diversos feitos, como dirigir o Teatro Nacional Alemão.

Foto ullstein bild | Getty Images

Ismael Ivo, em 2006, em uma apresentação em Berlim

PUBLICIDADE

Morreu, na noite desta quinta-feira (8.4), o bailarino e coreógrafo Ismael Ivo, aos 66 anos, por complicações de Covid-19. Durante sua carreira, ficou conhecido principalmente pela direção do Balé da Cidade de São Paulo, pela extensa atuação internacional e por ter sido o primeiro homem negro a ocupar diversos espaços importantes no balé. Como disse Emicida em sua homenagem pelo Twitter, "um destruidor de barreiras em toda a sua trajetória".

"Teve uma carreira brilhante na arte, da periferia de São Paulo para o mundo (...) Seu trabalho se caracterizou pela antropofagia cultural: assimilação de referências e apresentação de distintas formas de fazer e pensar a dança, sempre com foco na comunicação direta com o público e na democratização da arte", escreveu Alê Youssef, secretário de Cultura de São Paulo, no Instagram.

Nascido em São Paulo, mais especificamente na Vila Ema, começou a se interessar pela dança na adolescência. De origem humilde, sua mãe, que era empregada doméstica, o incentivou a correr atrás de seu sonho. Com bolsas de estudo em escolas de dança da cidade, ele chamou atenção do coreógrafo Klauss Vianna, que o levou ao Teatro Municipal. Em 1983, é Alvin Ailey quem se interessa pelo talento do bailarino e abre as portas para uma carreira internacional.

PUBLICIDADE

Em Berlim, Ismael Ivo se apresenta na \u00f3pera "Apollo and Hyacinth", de Mozart. Em Berlim, Ismael Ivo ensaia para a ópera "Apollo and Hyacinth", de Mozart (2006).Foto: Getty Images

Em Berlim, Ismael Ivo se apresenta na \u00f3pera "Apollo and Hyacinth", de Mozart.

Lá fora, trabalhou com Pina Bausch, William Forsythe e também com Marina Abramović em 33 anos de estadia internacional. Ainda dirigiu a Bienal de Veneza e foi o primeiro estrangeiro e o primeiro profissional negro a ser diretor do Teatro Nacional Alemão.

Ismael foi condecorado com a Ordem do Mérito Cultural, outorgada pelo Ministério da Cultura, em 2010. A homenagem é feita a pessoas ou instituições como reconhecimento por suas contribuições à cultura brasileira.

Em 2017, a Secretaria Municipal da Cultura de São Paulo o convidou a voltar ao Brasil para dirigir o Balé da Cidade de São Paulo e, com isso, virou o primeiro negro a ocupar este cargo também. Ismael Ivo ainda atuou como curador do Programa de Qualificação em Artes de Dança de São Paulo.


Zona Agbara é um coletivo formado por mulheres que encontram na dança uma forma de se expressar, declarar amor a si próprias e, do corpo proibido, criar um paraíso particular.

PUBLICIDADE
Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE