PUBLICIDADE

Entre anúncios luminosos e dezenas de cartazes, um outdoor chama a atenção de quem passa pela Times Square, em Nova York. Trata-se da reprodução da obra FLOYD, pintura do artista Donald Perlis que retrata o assassinato de George Floyd, morto por um policial em Minneapolis em maio.

O painel, com 8 metros por 7,3 metros, foi instalado na Sétima Avenida na semana passada, pelo grupo George Floyd Justice Billboard Committee, que pretende espalhar mais outdoors nos Estados Unidos e em outros países, incluindo o Brasil, para estimular o diálogo sobre justiça social.

Instalado na Sétima Avenida, o painel mede 8 metros por 7,3 metros.Foto Divulgação

O comitê é presidido pela artista Corinne Basabe, que viu a pintura de Donald Perlis pela primeira vez em uma galeria de arte em Kingston, cidade ao norte do Estado de Nova York. Afro-americana e filha de um proeminente ativista pelos direitos civis da população negra, ela contou à reportagem da ELLE que ficou comovida ao ver a obra e imediatamente ligou para Perlis para contar a ele sobre o projeto.

Para Corinne, George Floyd foi um catalisador em nossa sociedade, uma vida que será lembrada para sempre, porque mudou o diálogo no mundo. Sua morte trouxe à tona uma questão que, até então, despertava a atenção de pouca gente. A artista relembra como ficou tocada ao ver que aquelas mesmas pessoas que postavam vídeos sobre como fazer torta de maçã na quarentena se juntaram a ela e às suas filhas nos protestos subsequentes ao assassinato de Floyd e se engajaram na luta anti-racismo.

PUBLICIDADE

FLOYD não foi a primeira obra de Perlis inspirada em eventos que mobilizaram a sociedade nos Estados Unidos. Nascido em Nova York, filho de imigrantes judeus russos, ele já retratou o tiroteio que vitimou Eleanor Bumpurs nos anos 80, a morte de Michael Griffith em Howard Beach e a prisão dos chamados Central Park Five, cinco adolescentes hispânico e negros que foram condenados à prisão por um estupro que não cometeram (o verdadeiro criminoso confessou o ato anos depois), entre outros episódios.

FLOYD, de Donald PerlisFoto Reprodução

Impactado pela morte de George Floyd, Perlis decidiu fazer a pintura como um apelo à compaixão e união. Ele menciona como as pinturas dos mártires cristãos e da crucificação são devastadoras, mas, ainda assim, necessárias para fazer as pessoas refletirem sobre a crueldade humana.

A pintura original, FLOYD, está exposta na Salomon Arts Gallery, em Nova York, na mostra "Love in the Time of Covid", de Donald Perlis, que espera dar continuidade a um diálogo crítico com sua arte. Já o painel com a reprodução da obra pode ser visto na Times Square até a semana que vem. No outdoor, a pintura de Donald vem acompanhada de uma citação do Dalai Lama: "Seja gentil sempre que possível. Sempre é possível."

PUBLICIDADE


Impossível prever como a pandemia e o isolamento forçado vão influenciar a produção artística nos próximos anos. Mas vale olhar para trás e ver como episódios dramáticos inspiraram obras e movimentos em diversos períodos.



Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE