Moda

O que rolou na festa de 100 anos de Pierre Cardin

Sobrinho-neto do estilista reedita peças clássicas da grife e arma desfile em Veneza, cidade natal do designer, para apresentar primeira coleção da marca sem seu fundador e pai do prêt-à-porter.

Foto: Divulgação Pierre Cardin
O que rolou na festa de 100 anos de Pierre Cardin
PUBLICIDADE

Comemorar 100 anos de vida com um desfile nas dependências de uma de suas propriedades era um sonho de Pierre Cardin. O estilista, empresário e homem visionário que fez do seu nome uma das marcas mais conhecidas do mundo não chegou lá. A estrela de Cardin se apagou no dia 29 de dezembro de 2020, aos 98 anos, no dia em que Rodrigo Basilicati Cardin, seu sobrinho-neto e braço-direito nos últimos anos de vida, completava 50 anos.

Então, para realizar o desejo do estilista fundamental na história da costura, o herdeiro realizou neste fim de semana o desfile Cent, exatamente no dia 2 de julho em que Pierre nasceu, na região de Veneza, entre as águas do Mar Adriático.

O herdeiro e sobrinho-neto de Pierre Cardin, Rodrigo Basilicati Cardin.Divulgação

Para a festa, que durou dois dias, uma passarela foi montada no pátio interno e dentro dos domínios do suntuoso Palácio Bragadin, casa de Rodrigo na cidade. O evento recebeu 300 convidados, sem celebridades ou modelos famosas, no qual estiveram presentes amigos da família e 120 licenciados que produzem em todo o mundo a marca Pierre Cardin.

A nova coleção, feita pela equipe do estúdio Cardin, foi supervisionada pelo sobrinho-neto e recria as silhuetas futuristas do designer, como o vestido trapézio e os detalhes geométricos aplicados em golas de mantôs.

PUBLICIDADE

A novidade é o olhar ambiental da coleção. As peças foram feitas com estoques de tecidos da maison, poliésteres reciclados e fibras naturais, mais especificamente de lótus e banana, vindas de uma fábrica cambojana encontrada nas pesquisas de Rodrigo, que, além de pianista, também é designer e engenheiro.


Também é dele a grande novidade visual, o novo modelo da linha de óculos Evolution. O número 9, como foi batizada a peça, saiu em uma edição limitada com 500 pares, já à venda nas butiques Pierre Cardin e em óticas que representam a marca. Eles podem ser encomendados nas óticas brasileiras que trabalhem com a grife ou pelo e-commerce.

Modelo de óculos "Número 9", da linha Evolution da grife Pierre Cardin.Divulgação

Rodrigo conversou com ELLE sobre o desafio de continuar o legado do tio-avô. Leia trechos editados.

Como acha possível dar continuidade a uma marca que sempre foi comandada apenas por Pierre Cardin?

É impossível, mas tenho minhas possibilidades e meu tio queria que eu desse continuidade com meu talento, com minha maneira de desenhar. Ele formou um time muito forte. Temos muitas pessoas trabalhando com a gente há muito tempo, o que é muito bem-vindo. É evidente que não podemos apenas trabalhar com o passado, mas eu tenho o meu próprio estilo e ele mesmo disse, quando criei os óculos, os móveis ou mesmo um barco,“Rodrigo, pode ser Pierre Cardin, mas eu consigo ver o seu lado, a sua criação”. Ele percebeu isso e eu não tenho porque não acreditar.

PUBLICIDADE

E os planos para o futuro?

Pretendo nos próximos dois anos encontrar talentos que possam colaborar conosco. Temos que formar novos estilistas com a sensibilidade para desenhar coleções abstratas como as nossas, mas é importante não forçar ninguém a ser diferente do que eles são. Já estou começando a procurar nos países onde temos licenciados e vamos juntos, minha equipe e eu, conseguir dar uma nova direção ao que esse homem tão maravilhoso construiu.

O estilista Pierre Cardin.Archives Pierre Cardin

Como o sr. sente recebendo o legado de Pierre Cardin?

Muito bem, porque os últimos dois anos passei muito tempo com ele e, no último ano, fiquei ao seu lado dia e noite. Tive tempo para ver as coisas de dentro, a genialidade dele e para perguntar muitas coisas. Agora, finalmente sinto que não é simples e não é claro esse caminho, porque ele fazia tudo sozinho e eu preciso administrar tudo, preciso encontrar ajuda e ter tempo para buscar novas ideias. Esse é o meu desafio agora.

PUBLICIDADE

A sustentabilidade aparece como uma prioridade na nova fase da Pierre Cardin? Vendo a coleção Cem, que é toda feita com materiais já existentes e reaproveita matéria orgânica, parece ser um caminho.

Sim. Como engenheiro, entendo de uma maneira mecânica e física o que exatamente temos de fazer para conseguir criar novas maneiras [de criar] e novos materiais sustentáveis. Estamos trabalhando nisso com empresas que eu conheço e pretendo encontrar novas fórmulas de reaproveitar materiais.

Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE

A ELLE Brasil utiliza cookies próprios e de terceiros com fins analíticos e para personalizar o conteúdo do site e anúncios. Ao continuar a navegação no nosso site você aceita a coleta de cookies, nos termos da nossa Política de Privacidade.

Assine nossa newsletter

Doses Semanais de moda, beleza, cultura e lifestyle, além, é claro, de todas as novidades e lançamentos da ELLE no seu inbox.
Increva-se gratuitamente.