Moda

CFDA lança plataforma para promover profissionais negros na moda

Projeto visa compensar décadas de exclusão de pessoas pretas no ramo e tem como líder CaSandra Diggs, nova presidente do CFDA.

Desfile Pyer Moss Verão 2019 | Foto: Agência Fotosite
PUBLICIDADE

O CFDA (Conselho de Designers de Moda da América, em inglês) anunciou um novo programa para identificar, conectar e apoiar profissionais de moda pretos. O projeto, chamado Impact, busca compensar as décadas de exclusão de pessoas pretas na moda e espera inspirar outras iniciativas no gênero.

O Impact será operado pela plataforma de empregos Creatively, criada em 2020 por Stacey Bendet, fundadora e CEO da marca Alice + Olivia. A ideia é colocar em contato os mais de 450 membros do CFDA, empresas, instituições privadas, não governamentais e universidades conveniadas com os profissionais de moda, oferecendo desde oportunidades freelancer a empregos em tempo integral.

CaSandra Diggs, presidente do CFDA. CaSandra Diggs, presidente do CFDA.Divulgação CFDA

"O projeto é essencial para o futuro da moda nos Estados Unidos, que deve ser diverso, igualitário e inclusivo", disse a presidente do CFDA, CaSandra Diggs, ao site WWD. Ela, que foi indicada ao cargo em agosto do ano passado, explica que, a princípio, a plataforma Impact terá como objetivo prestar suporte à carreira de pessoas pretas e pardas, mas, no futuro, trabalhará também para suprir outras desigualdades dentro da moda.

O comitê de admissão do Impact contará com Samira Nasr, editora-chefe da Harper's Bazaar; Bozoma Saint John, diretora de marketing da Netflix; Stacie Henderson, head de e-commerce do grupo TOD'S nos Estados Unidos, Martin Cooper, membro do CFDA, e Tracy Reese, vice-presidente da organização.

O lançamento do Impact conta com o apoio de diversas marcas, como Tom Ford, Tory Burch, Skims, Alice + Olivia, Rag & Bone, Saks Off 5th, Veronica Beard, Hope for Flowers e Good American.

De acordo com CaSandra Diggs, o Impact será aberto a todos, não apenas aos membros do CFDA. Para membros do CFDA, a plataforma será gratuita até 2022 e, para os não membros do CFDA, será cobrado um valor referente à metade da taxa de inscrição da fundação.

PUBLICIDADE



Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE