• ASSINE NOSSA NEWSLETTER
  • O melhor da ELLE direto no seu inbox! Inscreva-se gratuitamente.
  • INSCREVA-SE AQUI
PUBLICIDADE

Fãs de Kendall Jenner ou qualquer um atento às redes sociais devem lembrar de uma tal polêmica no fim do ano passado. Em novembro de 2021, a modelo foi o centro de uma discussão ao escolher um vestido todo recortado, que deixava boa parte de seu corpo à mostra, para ir ao casamento da amiga Lauren Perez. O motivo dos comentários era um suposto desejo de ofuscar a noiva, o que foi rapidamente desmentido por ambas as partes. Ainda assim, o poder daquele modelo e a provocação daquele look foram incontestáveis.

A criação, no caso, é do libanês radicado nos Estados Unidos, Eli Mizrahi. É ele o nome e mente criativa por trás da Mônot, marca lançada em junho de 2019. A primeira apresentação veio meses depois, em setembro daquele ano, com a Coleção Zero, uma espécie de aquecimento para sua grande estreia nas passarelas. Fato que ocorreu em março de 2020, durante a semana de moda de Paris. O desfile, que foi seguido por um jantar estrelado, contava com Demi Moore, Amber Valletta, Joey King, mas não foram só os convidados que brilharam: suas roupas de corte preciso, design limpo e cheio de recortes definiram todo um movimento que vinha ganhando força e corpo na moda.

PUBLICIDADE


Logo após o grande début, porém, o mundo parou. Em meio a uma vida em isolamento, devido à pandemia de covid-19, aquelas roupas cheias de glamour e sensualidade não faziam muito sentido. Foi só em 2021, com o avanço da vacinação e a retomada gradual de eventos presenciais, que as peças de Eli puderam brilhar sob o sol ou sob os flashes, em tapetes vermelhos e editoriais.

De uma hora para outra, nossos feeds estavam lotados de pessoas usando Mônot, desde Dua Lipa, em uma viagem ao Mexico, até Halle Bailey, no MTV Awards. Teve ainda SZA, Kendall Jenner, Jennifer Hudosn e as brasileiras Iza, Sabrina Sato, Alessandra Ambrosio e Marina Ruy Barbosa.


Talvez um dos motivos para que todas queiram um look da marca, é a sintonia com o desejo de seduzir, mostrar a pele, o corpo e usar algo um pouco mais elaborado do que jeans ou moletom e camiseta. Desde a temporada internacional de verão 2022, uma das maiores tendências é o hedonismo, aquela busca por um prazer autoindulgente e (quase) sem limites. Sexo e sensualidade entram nesse balio e, por isso, tanto recorte, tanto decorte e tante pele de fora.

PUBLICIDADE

E Eli sabe fazer isso muito bem. Seus designs são a combinação perfeita entre a elegância de um vestido de festa com cortes minimalistas e a sensualidade de recortes quase sempre ousados. Sim, é preciso atitude, e muita, para segurar um look Mônot. E o estilista sabe disso. Em entrevistas, ele sempre diz que sua cliente é aquela mulher que gosta de ser o centro das atenções, aquela que tem opinião forte, que exala confiança e está disposta a assumir riscos com o que veste.

Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE

A ELLE Brasil utiliza cookies próprios e de terceiros com fins analíticos e para personalizar o conteúdo do site e anúncios. Ao continuar a navegação no nosso site você aceita a coleta de cookies, nos termos da nossa Política de Privacidade.

Assine nossa newsletter

Doses Semanais de moda, beleza, cultura e lifestyle, além, é claro, de todas as novidades e lançamentos da ELLE no seu inbox.
Increva-se gratuitamente.