Fotos Cortesia | Dior
PUBLICIDADE

A coleção pre-fall 2021 da Dior foi apresentada em dezembro passado, apenas em fotos. No caso, eram polaroids assinadas por Maripol. A artista, produtora de filmes, stylist e designer foi um dos nomes mais emblemáticos da cena criativa nova-iorquina entre o fim dos anos 1970 e 80. Ela era amiga de Jean Michel Basquiat, Keith Haring e Andy Warhol, foi diretora de arte da Fiorucci e responsável pelos primeiros looks de Madonna, além de contribuir para o visual de artistas como Debbie Harry e Grace Jones.

É que a diretora de criação Maria Grazia Chiuri estava com arte e cultura pop na cabeça quando começou a desenhar a coleção. Daí a inspiração no trabalho de Maripol, Richard Hamilton e na estética ácida de Marco Lodola. Diferente das últimas coleções, pautadas por um escapismo fantástico, quase de sonhos, esta é mais possível, leve e animada.




Os vestidos de contos de fadas, com camadas de seda, tule e organza transparente continuam presentes. Agora, porém, em tons neon de verde e rosa, por exemplo. Vez ou outra, eles vêm combinados a jaquetas esportivas ou peças de couro prateado, num mood bem 60's. Tem ainda a estampa de onça, em parkas, blusas, trench coats e blazers, e também os conjuntinhos xadrez e os bordados de pequenos discos espelhados.

PUBLICIDADE

A coleção tem muito a ver com o momento sombrio e de reclusão da pandemia e com o que desejamos para um futuro pós-vacina. Tem a renúncia das roupas básicas, já algo monótonas com as quais passamos os últimos meses em nossas casas, ao mesmo tempo em que há a consideração por uma modelagem e silhueta ainda confortável.

Não por acaso, nesta segunda-feira, 12.03, a Dior decidiu fazer um desfile presencial – com convidados e tudo mais – durante a Xangai Fashion Week, mais precisamente no Long Museum. Atualmente, a China é um dos poucos países em que tais tipo de eventos são permitidos, muito devido às políticas locais de controle e contenção da Covid-19.


Com boa parte do mundo ainda em lockdowns intermitentes, o mercado chinês se tornou ainda mais importante e um dos poucos com lojas abertas e em pleno funcionamento. Com isso, muitas marcas de luxo estão planejando ações específicas para clientes dessas regiões. A Louis Vuitton, por exemplo, apresentou seu desfile masculino de verão 2021 em Xangai, onde também abriu uma de suas maiores lojas. Agora, com o desfile de pre-fall 2021, a Dior é a mais nova grife a entrar nesse movimento em busca de reforçar seu vínculo com clientes locais, reforçar sua presença no território e, claro, compensar a queda de venda no resto do planeta.

PUBLICIDADE


Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE