Cadastre-se em nossa newsletter para ler este e outros artigos.

Doses semanais de moda, beleza, cultura e lifestyle, além, é claro, de todas os lançamentos da ELLE!
Inscreva-se gratuitamente.

  • ASSINE NOSSA NEWSLETTER
  • O melhor da ELLE direto no seu inbox! Inscreva-se gratuitamente.
  • INSCREVA-SE AQUI
PUBLICIDADE

Apesar da aposentadoria e dos boatos que circulam a respeito do futuro da Jean Paul Gaultier, a grife não dá sinal de cansaço e acaba de anunciar sua volta ao ready-to-wear, após uma pausa de seis anos, em que o estilista se dedicou exclusivamente à alta-costura e perfumes. Com foco exclusivo no digital, a marca terá colaboração de diferentes estilistas e a primeira coleção será lançada nesta sexta-feira (28.05) no e-commerce da marca e no Ssense.com.

A primeira entrada é inspirada no tema marinheiro, uma das paixões do estilista, e conta com a colaboração da Palomo Spain, Ottolinger e outros jovens talentos. O retorno da label ao rtw está sendo considerado "a primeira expressão de uma estratégia dominante para celebrar Jean Paul Gaultier, seus valores, seus arquivos e sua história", disse Antoine Gagey, diretor do grupo Puig, detentor da label. Em conversa com o WWD, ele explicou que a estratégia de ter sempre um ou mais convidados é para trazer uma abordagem mais livre na criação, mas não será uma regra, sendo que algumas coleções podem ser desenvolvidas pelo time interno da marca.

Ele também reveleu que os drops não seguirão o calendário atual e devem variar em tamanho e escala, frequentemente incorporando itens de arquivo, peças vintage ou retrabalhadas. A distribuição também será rotativa e realizada ao lado de parceiros do grupo. Gagey prevê cerca de seis a 10 lançamentos por ano, com a próxima provavelmente marcada para outubro.

PUBLICIDADE


A primeira coleção chega no mesmo mês do Orgulho LGBTQI+ e inclui camisetas estampadas com retratos de Gaultier feitos por Pierre & Gilles nos anos 1990, além de uma nova estampa de graffiti com slogans picantes e referências às culturas queer e punk. Os preços variam de 150 a 750 euros, mas peças customizadas pelo ateliê podem chegar até 1.500 euros.

Gagey ainda comentou que Gaultier, que continua sob contrato com a maison como embaixador, está envolvido no projeto, incluindo a seleção de estilistas convidados. "Ele ainda está trabalhando conosco em diferentes aspectos da marca, mas não queria mais desempenhar esse papel de projetar a coleção. Ele ainda está nos ajudando, nos dando alguma direção", explicou.

Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE