• No dia 26 de junho de 2020, a estilista Mowalola Ogunlesi foi apontada como diretora de design da linha que Kanye West vai criar com a Gap, a Yeezy Gap.
  • O rapper fechou uma parceria inicial de 10 anos com a gigante do varejo e levou consigo Mowalola para liderar a empreitada ao seu lado.
  • A estilista britânica tem apenas 25 anos, nasceu na Nigéria, mas se mudou para a Inglaterra aos 12 anos.
  • Em Londres, cursou moda na renomada faculdade Central Saint Martins, berço de nomes como Alexander McQueen e John Galliano.
  • Enquanto ainda estava na faculdade, trabalhou com a estilista Grace Wales Bonner.
  • Ela já desfilou em duas London Fashion Week e angariou fãs famosos com seu trabalho, como Naomi Campbell, Drake e Solange.
  • Acompanhe sua trajetória abaixo até a contratação por Kanye West.
PUBLICIDADE

LookBook Mowalola Ogunlesi e Ib Kamara Ruth Ossai

Um belo TCC

Em junho de 2017, Mowalola apresentou sua coleção de graduação da Central Saint Martins e arrancou elogios, sendo apontada como um novo nome para se observar por veículos britânicos como as revistas Dazed e i-D. Apostando na moda masculina, ela fez um desfile que homenageava suas raízes nigerianas, e se inspirou nos "petrolheads" (uma espécie de sneakerhead, que em vez de tênis é aficionado pela cultura automobilística) da cidade de Lagos, na Nigéria.

A coleção ganhou o nome de "Psychedelic" e a trilha era composta pelo rock psicodélico nigeriano dos anos 1970 e 1980. As roupas eram sexys, entre jaquetas cropped, calças de cintura baixa e muito uso de couro. À época, ela declarou que a coleção seria uma celebração ao homem africano: sua cultura, sexualidade e desejos. Os toques da cultura automobilística apareceram com a inserção de elementos como o logo da Mercedes Benz e correntes prateadas. Mowalola chegou a entrar no mestrado também na CSM, mas largou o curso após um ano por considerar a forma de ensino retrógrada e o corpo docente pouco diverso.

Origem

De origem escocesa, a avó de Mowalola se mudou para a Nigéria nos anos 1960 para abrir uma marca de moda que usava tecidos locais na produção. Sua mãe continuou o negócio da família, assim como seu pai, que desenhava trajes nigerianos tradicionais. Apesar de carregar a produção têxtil como herança, a estilista explica que a moda, ou mesmo a arte, não eram carreiras incentivadas na Nigéria, e por isso chegou a considerar virar uma cirurgiã plástica. "Muitas vezes, pais negros não entendem que você pode ser bem-sucedido em carreiras não convencionais por causa da pouca representatividade de pessoas negras criativas na indústria", declarou ela.

PUBLICIDADE

London Fashion Week

Após largar o mestrado, Mowalola se inscreveu para o Fashion East, uma plataforma que apoia novos talentos da moda e lhes dá a possibilidade de se apresentar na semana de moda britânica.

"Sem o Fashion East, provavelmente não existiriam esses novos estilistas que temos aqui em Londres. É realmente importante ter esse apoio porque eu acho marcas como Burberry ou Celine muito entediantes hoje em dia. Elas não me empolgam. As pessoas que me empolgam são Asai, Charlotte Knowles, todas que vieram do Fashion East", declarou.

Ela aproveitou a oportunidade para, na temporada de Inverno 2019, mostrar o seu trabalho com moda feminina pela primeira vez na LFW. O tema da coleção era "exposição", tanto emocional quanto física, e as modelos vestiram jaquetas esculturais com recortes, calças de couro skinny e minissaias realmente mini.

PUBLICIDADE

Ela desfilou novamente na London Fashion Week via Fashion East na temporada de Verão 2020, e apresentou algumas de suas ideias mais reconhecidas até hoje, como roupas com a representação de uma ferida ensanguentada feita por uma bala de revólver.

Agência Fotosite

Mowalola via Fashion East na London Fashion Week Masculina - Verão 2020

O vestido de Naomi Campbell

Cerca de três meses após o desfile, a modelo Naomi Campbell usou um vestido branco que continha a tal ferida ensanguentada, e deu visibilidade mundial para Mowalola. Em resposta à repercussão, a designer escreveu em um post no Instagram que suas criações eram feitas para desafiar a mente das pessoas. "Esse vestido é parte da minha coleção 'Coming For Blood', uma investigação do sentimento horrível que é se apaixonar. Esse vestido é extremamente emocional para mim — ele grita a minha experiência existindo como uma pessoa negra. Ele mostra que não importa o quão bem-vestido você está ou o quão bem você se comporta, nós somos o tempo inteiro vistos como um alvo ambulante."


Kanye West, Drake, Solange e mais

Entre o primeiro e segundo desfile de Mowalola na semana de moda de Londres, Drake apareceu usando uma jaqueta customizada assinada por ela em uma festa que celebrava o fim de sua turnê "Assassination Vacation". Nas costas da peça, estava estampada uma imagem de Halle Berry na pele da personagem Jinx. A stylist de Drake, Mellany Sanchez, declarou que escolheu Mowalola pelo seu uso de lindas imagens que representavam homens e mulheres negras em suas roupas.

Drake não foi a primeira celebridade a reconhecer o trabalho da jovem designer. Artistas como Steve Lacy, Megan Thee Stallion, Skepta e Solange estão entre seus fãs. Solange, inclusive, vestiu algumas das criações na sua capa da Dazed, em 2018, antes mesmo dela lançar sua coleção feminina, já que ela sempre apontou que suas criações poderiam ser facilmente usadas independentemente do gênero da pessoa.

A estilista também já trabalhou com o incensado stylist Ib Kamara e a com a proeminente fotógrafa nigeriana Ruth Ossai em um lookbook — e com ela também criou imagens para uma exposição da fotógrafa no Brooklyn. Além disso, estreou sua própria e primeira exposição em Londres, no fim de 2019, sobre o design na Nigéria, e contou com participações especiais de Yves Tumor e Jordan Hemingway no vídeo Silent Madness.


Mas de todos os seus fãs famosos, Kanye West e Kim Kardashian foram os que levaram o nome de Mowalola ao mainstream. O rapper já era fã de seu trabalho há tempos, e Kim e seus filhos apareceram usando roupas da estilista em seu Instagram no Dia dos Pais deste ano.

Como parte de suas funções na Yeezy Gap, ela será responsável por liderar o time de moda feminina, masculina e infantil. Considerando que Kanye deu um bom empurrãozinho nas carreiras de Virgil Abloh (hoje na Louis Vuitton) e Matthew Williams (hoje na Givenchy) ao apostar em seus talentos, não há dúvidas de que essa história é só o começo para Mowalola.

Por fim, vale destacar este perfil no Instagram, feito pelo estudante americano Daniel Obaweya, dedicado exclusivamente a postar fotos de pessoas usando roupas de Mowalola e celebrar o seu trabalho.

Neste Pivô, conversamos com estudiosos da cultura brasileira para avançarmos no debate de apropriação cultural, para além da discussão rasa do pode ou não pode. Toda segunda-feira, a redação comenta as principais notícias de moda da semana.



Conheça o trabalho de três importantes estilistas responsáveis por dar força, voz e visibilidade à cultura e moda africana.

Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE