Moda

O impacto de Lady Gaga na moda

Para comemorar o aniversário da mother monster, lembramos os momentos em que a artista ajudou a moldar a moda tal qual a conhecemos hoje.

Foto: Getty Image
PUBLICIDADE

Stefani Joanne Angelina Germanotta, aka Lady Gaga, completa 35 anos neste domingo, 28.03. Ame ou odeie, esteja você cansado ou com preguiça da artista, é inegável sua influência na moda da última década. Às vezes mais comportada, às vezes fashionista maluca, a cantora deu um choque (de monstro) numa relação um tanto dormente, até então, entre moda, música e cultura pop. E ok, muito do que ela fez e vestiu não foi, assim, uma grande novidade. Não é segredo para ninguém sua inspiração em nomes como Freddie Mercury, David Bowie, Madonna e Michael Jackson, só para citar alguns. Porém, poucos conseguiram tornar estilos tão improváveis em desejos massificados e realizados no mainstream fashion. Com looks tão extravagantes, performáticos e dramáticos, o mundo nunca mais foi o mesmo depois que ela elevou o nível do que chamamos de "shock factor" para um novo patamar.


A Criadora Que Também É Criatura

Não tem como falar de Lady Gaga, sem mencionar os artistas que fizeram dela uma tela em branco para suas próprias criações. Apostando no seu potencial, um grupo de designers, stylists, maquiadores, cabeleireiros e fotógrafos fizeram da cantora uma criatura artística, ou melhor, um monstro (no bom sentido, tá?).

Um desses nomes é Hedi Slimane, atualmente diretor de criação da Celine. A relação entre eles vai muito além de quando Gaga apareceu usando a primeira bolsa criada pelo estilista para a maison francesa, em 2018 – ela foi, provavelmente, a primeira a colocar suas mãos na peça. Na verdade, a dupla já havia trabalhado junta em 2009, quando Slimane fotografou as capas do álbum The Fame Monster, um dos mais aclamados da cantora.

PUBLICIDADE

Foto: Divulgação


Outro fotógrafo com quem a artista já trabalhou é Nick Night, também diretor de arte e criador da plataforma SHOWstudio. Gaga já posou para ele inúmeras vezes, tanto para editoriais de moda, capas de revistas e projetos pessoais de ambos. O inglês foi o responsável pela capa do álbum Born this Way, pela direção do videoclipe da música de mesmo nome e dos filmes da turnê Monster Ball. Além disso, desenhou o frasco do perfume Fame, lançado em 2012 e dirigiu o filme fashion apresentado por Tom Ford, em 2016, com a participação da cantora.


Foto: Divulgação

Steven Klein, um dos fotógrafos de moda mais importantes das últimas décadas, também já clicou editoriais de revistas com a cantora, dirigiu o videoclipe de Alejandro e a campanha do perfume Fame, entre outros tantos trabalhos.

PUBLICIDADE

Campanha do perfume Fame, de Lady Gaga.Foto: Divulgação

Mas talvez tenha sido a colaboração de Gaga com Alexander McQueen uma de suas parcerias mais célebres – além de ter marcado a última coleção assinada pelo estilista. Todos lembram do vestido usado por ela para receber o prêmio de Melhor Videoclipe Feminino, no MTV Award de 2010, e mais ainda dos esculturais e vertiginosos sapatos Armadillos. Aquele momento histórico foi o fechamento de um ciclo completo de ações entre duas potências da moda. A primeira parte, veio com o lançamento de Bad Romanceˆ, no final do desfile de verão 2010 de McQueen, o Plato's Atlantis. Mais tarde, ela lança o videoclipe do single, só com looks daquela coleção. Aí veio o prêmio que já falamos e o tal look. Uma completa storyline.

Lady Gaga no MTV Music Video Award.Foto: Getty Images

Por último e não menos importante, bem pelo contrário, tem o trabalho de Nicola Formichetti. Foi ele o responsável pelo styling da cantora por muitos anos, além de assumir o posto de diretor criativo da House of Gaga. Formichetti esteve ao lado de Gaga em todos seus trabalhos desde 2009, quando se conheceram em um editorial. Em 2011, a cantora foi convidada especial do desfile de inverno 2011 da Mugler, marca da qual seu amigo era diretor criativo. A cena foi icônica, com a artista desfilando na passarela com cigarro em mãos, numa encarnação moderna dos desfiles históricos da maison.

Lady Gaga no desfile de inverno 2011 da Mugler.Foto: Getty Images

Lives De Desfiles Depois De Gaga

Hoje, live não é novidade para ninguém – tem até quem não suporta mais elas. Porém, o mundo nem sempre foi assim e, houve um momento em que a ideia de transmitir um desfile ao vivo pela internet parecia algo extremamente revolucionário. Aconteceu em 2010 no desfile da coleção Platos Atlantis, do McQueen, e Lady Gaga esteve indiretamente envolvida com o fato – e com seu quase desastre. É que a cantora e o estilista combinaram de lançar Bad Romance ao fim da apresentação. Eles só esqueceram de avisar o site SHOWstudio, do fotógrafo Nick Knight, responsável pela transmissão. Minutos antes do show começar, Gaga postou o link da novidade na sua conta do Twitter para os seus, na época, 6 milhões de seguidores. O servidor da página, porém, suportava apenas 4 mil visualizações e acabou caindo. Somente algumas pessoas conseguiram assistir a live. Uma tragédia né? Nem tanto, depois disso eles perceberam o quanto era possível democratizar a moda e transmitir os desfiles para um número jamais imaginado de pessoas. Imagina poder atingir o mundo todo ao mesmo tempo, ao invés de atingir apenas as pessoas que eram convidadas. Bom, o resto é história.

Os Tapetes Vermelhos Depois De Gaga

Essa é a especialidade dessa artista multifacetada, e poderíamos citar inúmeros momentos memoráveis que ela nos proporcionou nos últimos 11 anos. Mas vamos tentar aqui mostrar alguns exemplos que ajudaram a tornar o lado mais improvável da moda em mainstream. Prova disso são os vários comentários de stylist e profissionais que já colaboraram com a artista sobre a dificuldade de conseguir looks para cantoras. O próprio Nicola Formichetti já disse, em algumas entrevistas, que muita marca simplesmente se recusava a emprestar roupas para personalidades da música. Isso só acontecia em casos muito específicos.

Tudo isso mudou quando Lady Gaga começou a exibir seu lado mais fashionista nos tapetes vermelhos. Formichetti menciona que, no início, ele mentia para as marcas dizendo que aquele look seria para algum editorial. Mas o truque não precisou ser repetido muitas vezes. Logo que a artista começou a chamar atenção pelas suas escolhas extravagantes, praticamente todas as marcas queriam trabalhar com ela. Percebido o potencial desse meio, novas oportunidades foram aparecendo para outros artistas. Não é muito difícil ver a diferença da quantidade de marcas (de grandes a pequenas) que disputavam os flashes nos red carpets antes e depois de Gaga.

Lady Gaga com look Alexander McQueen no clipe de Bad Romance.Foto: Divulgação

MET GALA DEPOIS DE GAGA

Sabemos que a rainha desse evento tão famoso, considerado o Super Bowl da moda, é a Rihanna. Depois de 2015, ela se tornou a pessoa mais aguardada a passar pelo evento. Antes disso, porém, Lady Gaga teve um papel importantíssimo para torná-lo tão grandioso. Em 2010, ela foi convidada a se apresentar na ocasião, mas não passou pelo tapete vermelho. Na época, os singles Bad Romance e Alejandro eram grandes hits, e o show chamou atenção não somente dos little monsters, mas também de grandes players da moda. Pessoas de todos os lugares da indústria ali presente dão a ela o crédito por tornar o baile do Met num evento midiático gigantesco. Como disse Naomi Campbell: "Depois dessa apresentação, o Met se tornou 10x maior, todo mundo estava no Met".

Foto: Getty Images

Paws up pra ti Gaga. Feliz aniversário.



Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE