Moda

Os erros bem-vindos de Heron Preston Johnson para Levi's

Em sua segunda collab com a marca de jeans, o designer e artista americano ganha aval histórico para alterar características originais de calças e jaquetas.

Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

Quem pensou que a colaboração do artista e designer Heron Preston Johnson com a Levi's terminou em 2019, se enganou. Aquilo era só o começo. Preston e a histórica marca de jeans se juntaram mais para mais uma coleção-cápsula, lançada há poucas semanas, com nome de Mistakes Are Ok (erros são ok, em livre tradução).

O título é uma tatuagem que o Heron carrega no corpo. A história tem a ver com o seu nascimento: "a ideia desta cápsula veio da história da minha certidão de nascimento", disse ele em entrevista ao site Hypybesast. É que quando o designer nasceu, o hospital registrou errado o ano em que estavam – em vez de 1983, saiu 1873. Hoje, ele conta que seus amigos sempre brincam ao dizer que ele é um vampiro de cento e poucos anos.


Em uma de suas primeiras visitas à fábrica da Levi's, Heron percebeu que todos os rebites tinham aqueles número marcados: 1873. Foi naquele ano que Levi Strauss e Jacob Davis obtiveram uma patente nos Estados Unidos sobre o processo de colocar esse tipo de aviamento em calças masculinas pela primeira vez. Para além da coincidência, o designer sempre adorou um bom par de 501 vintage.

PUBLICIDADE

Looks da nova collab de Heron Preston Johnson e Levi's.Foto: Divulgação

Fazendo jus ao nome, a nova linha de Levi's com Heron é repleta de erros intencionais ou "aberrações conscientes", como o próprio designer gosta de dizer. São quatro calças 501 e jaquetas trucker, para homens e mulheres. Ah, um detalhe, o corte das jaquetas, agora, são todos distorcidos. "Passei 3 dias no estúdio de design da Levi's, em San Francisco com a equipe de design. Nós basicamente construímos a coleção à mão", contou ao Hypebeast.

O processo de criação foi um verdadeiro recorte e cole. Com as peças desconstruídas no chão, Heron e a equipe da marca começaram a costurar tudo novamente, alterando shapes, silhuetas e tudo mais. Vale dizer aqui que raramente a Levi's permite que designers alterem as características originais de seus produtos.

Apesar de aceitar muitos erros, Heron não abraça todas as falhas. São apenas aquelas que se alinham com sua visão criativa as mantidas. Vem daí ideia de erros felizes. "Às vezes, eles se tornam parte do que você celebra, aprecia e compartilha", disse ele. Para ele, erros assim podem inspirar alguns dos melhores trabalhos.

O estilista Gui Amorim, do Estúdio Traça, que sempre teve no jeans sua maior ferramenta de trabalho, se arrisca na malharia e na camisaria.

PUBLICIDADE



Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE