Sociedade

Emojis têm muito a dizer

Surgidos na virada do milênio, esses símbolos mudaram a maneira como nos comunicamos e continuam sua evolução para traduzir todo tipo de sentimento.

PUBLICIDADE

No começo, existia o :-). Depois, veio o 😃. Os emojis são onipresentes, mesmo fora da comunicação digital – expressar os sentimentos em relação a pandemia seria mais difícil sem usar 🦠😷. Mas como isso aconteceu? Esse símbolos, cujo signific adoé a junção entre "imagem" e "palavra", foram criados em 1999 por Shigetaka Kurita, então funcionário da companhia telefônica japonesa NTT DoCoMo. Inspirado pelo estilo gráfico dos mangás e por pictogramas como o ⛔ ou ☔, o designer desenvolveu um conjunto de 176 símbolos de 12 x 12 pixels utilizados no serviço de internet mobile i-mode.

Por alguns anos, os emojis ficaram restritos ao país asiático, mais um entre outros sistemas que só eram legíveis por usuários do mesmo sistema comunicacional, como os emoticons do MSN e do ICQ. Isso mudou em 2010, com a inclusão de um conjunto de 722 símbolos na versão 6.0 do Unicode. Controlado pelo consórcio de mesmo nome, o Unicode é um padrão de texto global que busca universalizar a comunicação eletrônica. É ele que possibilita que todos os celulares reproduzam a escrita etíope, bengali e cherokee, por exemplo.


Mas o boom veio mesmo em 2011, após a Apple incluir o teclado de emojis no iOS 5, tornando-os disponíveis para todos usuários do 📱. Os anos seguintes viram a quantidade de caracteres passarem de algumas centenas para mais de 3 mil. As figurinhas originais viraram parte do acervo do MoMA, o museu de arte moderna de Nova York, e a popularidade dos emojis chegou a tal ponto que o Dicionário de Oxford escolheu "😂" como a palavra do ano de 2015.

As estatísticas impressionam. Aproximadamente 5 bilhões de emojis são enviados pelo Facebook Messenger todos os dias. No Twitter, só o 😂 já foi usado quase 3 bilhões de vezes, segundo o site emojitracker. O emoji 💂, cuja falta de popularidade foi questionada por Kanye West, foi usado cerca de 4,3 milhões de vezes.

PUBLICIDADE



Até Moby Dick, a obra-prima náutica de Herman Melville, ganhou uma versão composta por esses símbolos, Emoji Dick (ou só "🐳"). Os emojis ficaram tão populares que viraram até filme (ruim) em 2017.

A professora de Letras da UFMG Vera Lúcia Menezes explica que o uso de imagens como complemento à comunicação escrita vem de antes do digital, citando como exemplo as 🌹 e 💓 que serviam de assinatura para cartas e bilhetes. Para ela, os emojis permitem que as pessoas expressem mais efetivamente seu afeto e sinalizem emoções. "Os sinais de pontuação na escrita são insuficientes para representar a entonação e as expressões faciais. Os emojis vieram preencher essa lacuna e adicionaram também a representação dos gestos. Eles tornam a comunicação mais rápida e menos ambígua", diz.

PUBLICIDADE

Em seu trabalho "A Linguagem do Emoji", Vera organiza os usos discursivos desses símbolos: substituir palavras – como está sendo feito neste artigo –, expressar emoções 😱, indicar afeto 💖, enfatizar emoções 😡 e expressar ironia 😂. Em sua sintaxe, normalmente aparecem como substituto da pontuação, mas podem ser encadeados em sequência para expressar pensamentos mais complexos, exemplo de Emoji Dick.

Diversidade

Como o Klingon (🖖) e o Esperanto, os emojis são uma linguagem artificial, ou seja, foi criada por algumas pessoas com determinada finalidade, e não desenvolvida espontaneamente. Com o tempo, ela foi evoluindo para se adaptar às nossas necessidades. Se no início os emojis tinham um problema grave de diversidade – a maioria das profissões só tinham opções 👮, os casais eram exclusivamente 👫 e tudo era excessivamente 🧑🏻, quer dizer, 👦 – após reivindicações das empresas e dos usuários as figurinhas ganharam cinco opções de tons de pele em 2015.

Esse processo de aumentar a inclusividade continua até hoje: 2020 aprovou caracteres como a bandeira trans, versões não-binárias dos personagens e o sorriso com uma lágrima no olho, o emoji que melhor define o período. "Esse planejamento é influenciado pelas necessidades dos usuários. Por exemplo, o caso da variação de cor nas diversas representações das mãos. Isso foi feito devido à pressão dos usuários", explica Vera.

As mudanças tiveram efeitos positivos: um estudo da Universidade de Edimburgo mostra que as pessoas começarem a usar mais os emojis de sua própria cor e sinais como o ✊🏿 viraram símbolos de movimentos como o #BlackLivesMatter. Mas também existem problemáticas, como mostra um estudo de 2019 da Universidade do Alabama.

A decisão pelos cinco tons disponíveis foi fundamentada em um argumento "científico", a Escala de Fitzpatrick, padrão dermatológico desenvolvido nos anos 1970, focado no uso em pacientes brancos. Da mesma forma, os emojis em outros tons de pele simplesmente sobrepõe sua cor sobre o modelo original, ignorando variações fenotípicas e tomando como padrão o modelo branco. Como os filmes fotográficos e os algoritmos de reconhecimento facial, os emojis, aparentemente neutros, acabando revelando os vieses de sua criação.

Novos sentidos e significados dos Emojis

Dos celulares japoneses dos anos 90 para as redes sociais, vários emojis ganharam novos sentidos. Somente 7% dos usos de 🍑 se referem à fruta, segundo a emojipedia. "Não é porque você colocou uma laranja que você está falando de uma laranja, você pode estar falando de uma situação política. Não é porque você colocou uma fruta ou um legume que você tá se referindo a um alimento, você pode estar se referindo a uma parte do corpo, como a gente sabe", diz o semiólogo Bruno Pompeu, estudioso dos usos do emoji na publicidade.

Mas por que isso acontece? Vera explica que essa variação é "característica de qualquer linguagem humana". "Os mesmos gestos, por exemplo, podem ter sentidos diferentes dependendo da cultura. Um exemplo clássico é o gesto de OK que, em nossa cultura, representa uma reação agressiva".

Pompeu diz que apesar dos emojis representarem objetos pela semelhança, esse referencial pode ser alterado pelos usuários. "Posso fazer com que esse signo se refira a uma outra coisa, não mais pela semelhança, mas por um outro tipo de vínculo. E conforme esse vínculo vai se estabelecendo dentro de um grupo ou dentro de uma cultura, esse significado vai se alterando." Para ele, esse acúmulo de sentidos é o que possibilita que grupos políticos disputem o significado das figuras. O próprio emoji 👌 virou parte de listas de símbolos de ódio após ser adotado por supremacistas brancos numa estratégia que misturava trollagem e dogwhistling, termo que se refere ao uso de mensagens codificadas, que só podem ser entendidas por determinados grupos.

Das ruas de comércio popular, nas quais os itens estampados com essas figuras são onipresentes, às passarelas, onde apareceram em coleções da Versace, Chanel e Vêtements, os emojis também são moda 👗. "A moda se apropria de tudo o que está ao seu redor para transferir significado para seus produtos e, assim, gerar valor para as pessoas e movimentar o mercado", diz Bruno, lembrando de como em períodos anteriores a moda já se apropriou de elementos visuais do grafite, dos movimentos dos anos 1960 e 70 e até dos sinais de trânsito.

O futuro do emoji é difícil de prever. Da mesma forma como viraram um fenômeno cultural em pouco tempo, correm o risco de serem substituídos por seus sucessores, como o animoji, versão personalizada em 3D de emojis disponível nos aparelhos da Apple, e os stickers, as populares figurinhas do Whatsapp. "Hoje os emojis encontram uma forte concorrência com o uso dos gifs no Twitter e no Facebook e também das figurinhas, especialmente na interação no WhatsApp", conclui Vera. Quem vai ganhar a briga? 🤷🏽♂️

Significados dos Emojis: O que você quer dizer com isso?

Confira alguns emojis que costumam ser usados com significados diferentes do originais.

💩 - Sim, o emoji realmente representa fezes humanas, não sorvete como alguns alegam. No Japão, porém, é adotado como símbolo de boa sorte, pela sonoridade da palavra. É comum o uso de pequenos cocôs dourados como amuleto.

🙏 - O mais popular dos emojis usados com outro sentido. Sua versão original representa um gesto japonês de agradecimento, sem nenhuma relação com o sentido religioso que usamos. Uma teoria alternativa também diz se tratar de um high-five.

💁 - Marcador de sarcasmo, o emoji foi criado para representar um atendente de balcão de informações.

💫 - Parece uma estrela cadente fofa, mas o nome oficial é "símbolo de tontura"

😪 - Usamos esse emoji para expressar tristeza, mas o nome original é "cara de sono". A lágrima na verdade é uma bolha de meleca, imagética emprestada dos mangás.

😤 - Símbolo de raiva ou frustração, a expressão também veio do universo dos mangás e foi criada para expressar uma sensação triunfante.

🙆 - Não é uma bailarina nem alguém arrependido, mas um símbolo de OK feito com o corpo.

👐 - Mais um emoji que faz parte de nosso léxico religioso, na verdade representa um abraço, como mostrado em outro emoji: 🤗

😣 - Normalmente usado para expressar tristeza, o emoji foi pensado para representar a perseverança. Força!

🕴️ - Apesar de aparentemente inexplicável, a pessoa de terno levitando (nome oficial) tem uma origem rastreável: surgiu na fonte Webdings como um substituto para o ponto de exclamação.


Este texto foi atualizado em 23 de setembro de 2020.



Expoente da geração millennial, a autora de Falso Espelho critica o excesso de opiniões e diz que uma manifestação online só é relevante quando leva a alguma ação: "A internet encoraja as pessoas a acreditarem que o discurso já é o desfecho".



Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE