Beleza

Guia completo para escolher o protetor solar ideal

Usar filtro solar todos os dias é fundamental para a saúde da nossa pele, mesmo dentro de casa. Saiba tudo sobre o produto que protege contra queimaduras, manchas, linhas finas e até mesmo câncer.

PUBLICIDADE

Item indispensável nos cuidados com a pele, o filtro solar ainda não faz parte da rotina da maioria dos brasileiros. Uma pesquisa realizada pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), em dezembro de 2019, mostra que apenas 40% da população usa algum tipo de proteção solar no dia a dia. Porém não adianta investir pesado no skincare se você pula essa etapa tão importante.

"O filtro solar é fundamental não só no combate ao envelhecimento precoce da pele, mas também contra a formação de câncer", alerta a dermatologista Patricia Silveira, membro da SBD e especialista em cosmética natural. Ou seja, é um cuidado que vai muito além da questão estética — como o surgimento de manchas, linhas finas e rugas —, pois influencia diretamente na sua saúde. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), o câncer de pele é o tipo de câncer mais frequente no Brasil e no mundo.

E o melhor jeito de começar um hábito é partindo para a ação. Para ajudar você a encontrar seu filtro solar ideal e a cuidar da sua pele com eficácia, preparamos um guia com tudo o que você precisa saber sobre esse assunto.

Preciso usar protetor solar dentro de casa?

Não tem como fugir. A fotoproteção é importante mesmo nos dias nublados e em lugares fechados. As radiações UVA e UVB não desaparecem porque o sol está atrás das nuvens e o primeiro tipo também nos atinge dentro de casa. "A radiação ultra-violeta A é mais longa e atravessa a janela de vidro. Ela é responsável por alterar a pigmentação da pele, causando manchas, e pelo envelhecimento da pele", explica Patricia.

De acordo com a especialista em cosmética natural, a luz azul dos aparelhos eletrônicos também afeta a nossa pele da mesma maneira que os raios UVA. Então, esse contato constante que temos com as telas — do celular, do computador, da TV — e com as luzes artificiais torna o uso de protetor solar não só necessário, como fundamental também para quem faz home office ou vai passar o dia em casa.

"Ao que parece, a melhor forma de prevenir contra essa radiação seria através do uso de filtros solares tonalizantes", diz Julia. Segundo a dermatologista, ainda são precisos mais estudos para definir a melhor maneira de se proteger contra a luz visível. O entendimento atual é que a barreira física criada pela cor é o que, de fato, barra as ondas de luz responsáveis pelas manchas e pelo fotoenvelhecimento.

Isso falando dos filtros químicos (os mais populares do mercado), que são compostos por substâncias que se aderem ao nosso organismo e absorvem as radiações ultravioleta, transformando-as em radiações de baixa energia que não prejudicam a pele, como explica Julia. Então a cor vem para complementar essa ação. Os filtros minerais, por sua vez, não possuem essa química e têm sua atuação baseada em criar uma barreira na superfície da pele que reflete tanto a radiação solar, quanto as luzes artificiais (vamos focar neles no final).

Como usar protetor solar?

A dermatologista Julia Rocha, especialista em laser e doenças do cabelo, indica que a fotoproteção seja sempre a última etapa da rotina de skincare, depois da limpeza, da tonificação (quando indicada) e da hidratação. "As maquiagens com FPS em suas formulações não substituem o uso do protetor solar", destaca. Isso não significa que você precise abandoná-las, só precisa se lembrar de passar o filtro antes.

Outra questão importante é a quantidade de produto a ser utilizada. A medida recomendada pela SBD é de uma colher de chá para rosto, pescoço e colo. Julia também indica que áreas do corpo que não estejam cobertas por roupas e chapéu sejam protegidas. Nesse caso, deve ser usada uma colher de chá para cada braço, duas para o tronco e duas para cada perna.

E mais um ponto para os filtros com cor! Com eles, fica mais fácil enxergar se a aplicação está correta. Patricia, que só indica protetores minerais, tem uma dica bacana para você ter certeza que protegeu o rosto direito – válida também para os químicos com cor. "Eu costumo dizer que toda a pele do seu rosto deve estar coberta por pigmento. O ideal é que não dê para ver nenhuma manchinha, melasma, sarda, nada."

Quando as manchas começam a reaparecer, significa que é hora de retocar o protetor mineral. Já no caso dos químicos, o ideal é aplicar, no mínimo, 30 minutos antes da exposição solar, e retocar a cada 3 horas. Em caso de transpiração em excesso e muito tempo sob o sol, esse intervalo diminui para duas horas, explica Julia.

O que é FPS? 

A sigla FPS significa "fator de proteção solar" e indica a potência daquele produto contra os raios UVB e, consequentemente, contra a queimadura solar e o câncer de pele. Atualmente, é possível encontrar protetores com FPS 100, mas Patricia diz que para, o dia a dia, FPS 25 é suficiente e, para se expor ao sol, o indicado é FPS 30.

"A diferença de FPS não é proporcional ao grau de proteção que o produto te oferece. O FPS 60 não protege o dobro de um filtro com FPS 30, por exemplo", explica a dermatologista. Ela aponta que a variação entre eles não é muito significativa. "O 30 protege em torno de 96% da radiação solar e o 100 em torno de 99.5%", conta.

Qual é o melhor protetor solar?

Não existe uma resposta unânime quando o assunto é pele. Cada uma tem suas características e necessidades específicas, por isso é sempre importante consultar um dermatologista para entender o que é melhor para você. Porém, existem alguns cuidados que ajudam na hora de escolher seu filtro de acordo com seu tipo de pele, como explica a Julia:

  • Se você tem a pele oleosa e com tendência a acne, procure filtros com toque seco, não-comedogênico e oil-free. Os de textura em gel ou gel-creme são ótimas opções.
  • Quem tem melasma, precisa se preocupar mais com a luz visível. Nesses casos, o protetor com cor se torna ainda mais imprescindível.
  • Produtos em loção cremosa e spray deixam a aplicação mais rápida e prática, por isso são indicados para o corpo. Também é legal investir em filtros com resistência à água, principalmente nas estações mais quentes do ano.
  • E, atenção! A forte presença de melanina, de fato, garante fator de proteção solar à pele negra, o que resulta em menos efeitos prejudiciais causados pelos raios UVA e UVB que na pele clara. No entanto, a fotoproteção não pode ser deixada de lado, já que ela costuma ter maior predisposição ao desenvolvimento de manchas.

Benefícios do protetor solar mineral

Getty Images

Uma preocupação que vem crescendo como um todo entre os cosméticos é em relação ao meio ambiente e aos danos que algumas substâncias presentes neles podem trazer para o nosso corpo com o passar do tempo – e os protetores solares não ficam de fora. "Vários filtros químicos estão relacionados a prejuízos em relação à vida marinha, e foi daí que começaram os questionamentos em relação à nossa vida", comenta Patricia.

Segundo ela, já foi comprovado que certas substâncias muito comuns nos filtros solares interferem diretamente no funcionamento dos nossos hormônios, bem como são encontradas nos tecidos de tumores de mama, de endométrio do útero e de glândulas como a tireóide. "Imagine que o ser humano comece a usar protetor aos seis meses de idade. Isso a médio longo prazo tem um impacto muito grande na sua vida", ressalta.

A especialista explica que isso acontece porque essas substâncias têm efeito bioacumulativo, ou seja, não são completamente eliminadas do nosso organismo e vão se acumulando em determinados tecidos. "Isso é uma realidade não só para os humanos, mas também para o corpo dos golfinhos, das tartarugas e, inclusive, dos corais". Então, quando passamos protetor solar e tomamos banho de bar, também estamos colocando em risco a saúde desses animais. "Imagine, mundialmente falando, a quantidade de lixo químico liberado por todas as pessoas que vão à praia, usam filtros solares e entram no mar. Isso traz impactos graves para a vida marinha", analisa.

Por isso, Patricia indica apenas filtros solares minerais para seus pacientes. Eles formam uma barreira de proteção que que impede não só a penetração dos raios UVA e UVB na nossa pele, como também a de poluição (que também acelera o envelhecimento da nossa pele), além de ajudar a reter água mantendo a hidratação. Sem falar de outros benefícios como a presença de antioxidantes que tratam a pele. E, claro, com o diferencial de não conter toxinas que prejudicam o nosso corpo e a vida marinha.



Produtos com nomes como "clareador" ou "branqueador" começam a sair do mapa em alguns países, mas a pergunta continua: por que quem tem a pele escura ainda precisa lidar com microagressões coloristas no universo do skincare?


Aficionada por cuidados com a pele, a top brasileira que já conquistou o mundo nunca pula sua rotina de skincare. No Beauty Chat, ela descreve o seu passo a passo diário.

Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE