PUBLICIDADE

No prato, tudo é uma questão de expectativa. Sigo sempre essa máxima e, graças a ela, saio geralmente muito satisfeita de restaurantes por quilo que dão gelatina de cortesia (torço muito para que consigam sobreviver e se adaptar à era pós-corona). E também já me decepcionei outras tantas vezes em casas bacanudas, mais vistosas do que gostosas. Mas não é que, mesmo sabendo dos perigos das promessas exageradas, cometi o deslize na minha própria cozinha? Esta coluna, portanto, não é sobre um erro no modo de preparo – trata-se de uma derrapada na hora de vender o peixe.

Já faz algum tempo que estou numa cruzada para convencer o pessoal aqui em casa a comer menos carne. Não tenho a pretensão de transformar ninguém em vegetariano, nem eu mesma, mas por motivos de sustentabilidade, de saúde e de preço do contra-filé, tenho tentado mostrar para a família que uma refeição sem bife, frango ou peixe pode ser, sim, uma refeição completa.


Em uma tentativa recente, pesquisei receitas de hambúrguer vegetariano, apostando no sucesso absoluto que o sanduba faz na ala jovem. Leguminosas, como lentilha, são sempre uma boa pedida para garantir a proteína no prato. Cogumelos acrescentam textura, sabor e mais proteína. Páprica defumada é um ingrediente recorrente nessas preparações – para dar um toque de fumacinha que remete a churrasco e carne, creio eu. Achei boa ideia, incluí a páprica defumada e também cominho, que combina com lentilha. Em vez de maionese, servi com iogurte temperado e ainda comprei pão da hamburgueria concorridíssima do lado de casa. Até que ficou um hambúrguer bonitão. E saboroso também.

PUBLICIDADE

Hamburguer de lentilha com tomate, alface e molho de iogurte sobre tabua de madeira Não adiantou nem o pão da hamburgueria hypada: o hambúrguer de lentilha não convenceu.Foto Patricia Oyama

Ganhei elogios? Que nada. Só críticas. Comeram de má vontade, reclamando que estava desmanchando e que "aquilo não era hambúrguer". Achei desaforo, mas tive que concordar que a textura ficou muito mole no centro.

No dia seguinte, numa nova investida, resolvi o problema da textura com o acréscimo de um ovo na mistura e mudei a estratégia. Modelei a receita em porções menores, fritei no azeite e anunciei: hoje para o almoço tem bolinho de lentilha. Não vieram tão empolgados para a mesa, mas quando experimentaram os tais bolinhos ficaram agradavelmente surpresos. Comeram todos. Acharam bom. E eu concluí que comida, assim como a gente, não deve tentar fingir ser o que não é.

Bolinhos de lentilha com cogumelo

Tempo de preparo: 50 minutos

PUBLICIDADE

Rendimento: cerca de 30 bolinhos

Ingredientes

1 xícara de lentilha

200 g de cogumelos Portobello (ou outro cogumelo fresco de sua preferência)

1 folha de louro

1 cebola

1 dente de alho

½ colher (chá) de páprica defumada

½ colher (chá) de cominho

½ colher (sopa) de manteiga

1 ovo

azeite

sal e pimenta-do-reino a gosto

iogurte natural, para servir

Modo de fazer

1. Coloque a lentilha e a folha de louro numa panela média, cubra com 4 xícaras de água e leve ao fogo até que os grãos fiquem cozidos, mas ainda firmes. Deixe escorrer bem numa peneira.

2. Corte a cebola em meias-luas e refogue numa frigideira com um fio de azeite e uma pitada de sal até que fiquem macias e comecem a dourar. Retire da frigideira e reserve.

3. Pique o alho. Limpe os cogumelos com um papel-toalha ou pano limpo. Não lave, para que não fiquem encharcados. Pique finamente na faca ou no processador.

4. Na mesma frigideira onde refogou a cebola (nem precisa lavar), derreta a manteiga e refogue o alho. Acrescente o cogumelo picado e refogue até secar bem o líquido.

5. No processador de alimentos, coloque a lentilha, a cebola refogada, a páprica defumada, sal e pimenta do reino a gosto. Triture até formar uma pasta – mas não precisa deixar tudo homogêneo, podem sobrar grãos inteiros.

6. Transfira a lentilha para uma tigela e acrescente o cogumelo. Quebre o ovo num recipiente à parte e acrescente à tigela. Misture bem, até incorporar todos os ingredientes.

7. Modele a massa em bolinhas um pouco menores do que uma bola de pingue-pongue e achate-as levemente.

8. Aqueça um fio bem generoso de azeite numa frigideira, de preferência, antiaderente, e doure os bolinhos dos dois lados. Coloque uma porção de cada vez e acrescente mais azeite a cada leva.

9. Escorra os bolinhos em papel-toalha e sirva com iogurte temperado com azeite, sal e pimenta-do-reino.

Patricia Oyama, jornalista, é editora de lifestyle da ELLE e se corta com certa frequência na cozinha.

Está na sofrência por causa do cancelamento das festas juninas? Afogue as mágoas nos quitutes típicos. Em sua coluna de estreia, Patricia Oyama revela os erros que cometeu até chegar ao sagu perfeito.



Com uma abordagem que propõe menos restrições, mais autoconhecimento e uma dose de feminismo, uma nova geração de nutricionistas mostra que a nossa relação com a comida e com o corpo pode ser mais gentil e saudável.

Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE