PUBLICIDADE

CONTEÚDO APRESENTADO POR BTG PACTUAL

Temos falado muito sobre a importância de poupar e investir nosso dinheiro, da ausência de receitas prontas para quem quer ter uma vida financeira próspera. Mas hoje vamos trazer dicas práticas e compartilhar aprendizados de coisas que funcionam pra gente ou sejam úteis para outras mulheres que conhecemos ao longo desses três anos fazendo rodas de conversa com elas pelo Invista como uma garota.

Começando pela faxina!

É preciso ter intimidade com sua conta bancária. Você sabe quanto tem na conta hoje? Quais seus últimos gastos? Quanto é exatamente o seu salário líquido? Seja uma olhada rápida diária no aplicativo do banco ou uma checagem a cada dois, três dias, cada uma vai achar o seu ritmo, mas uma coisa é certa: precisamos estar sempre atentas à nossa situação financeira e não perder os números de vista – quando falamos de dinheiro, não existe conta de cabeça.

E então, faça uma faxina nos gastos. Revise seu extrato e também a fatura do cartão de crédito: assinaturas de aplicativos, pagamentos recorrentes, coisas que você não usa de verdade ou que não trazem benefícios reais para sua vida, serviços financeiros que poderiam ser gratuitos ou que você não usa. Tem alguma coisa no débito automático que você nem lembrava ou não usa? Temos certeza de que você vai perceber que poderia deixar de gastar com pelo menos uma coisa, sem que nada mudasse em sua vida. Além disso, nesse momento é comum a gente refletir sobre quais gastos não precisavam ter sido feitos naquele momento, o que foi por impulso ou de fato trouxe alegria e qualidade de vida. E essas são constatações muito poderosas para percebermos onde devemos colocar mais o nosso tempo e nossa energia e onde podemos enxugar.

PUBLICIDADE



Menos é mais

Agora queremos falar sobre simplificar as coisas. E aqui, a primeira dica é: tenha o menor número possível de contas e cartões. É fácil perder o controle quando você não tem a visão de tudo o que está acontecendo. Com várias faturas de cartão de crédito, a tendência é pensar no valor delas separadamente e não se dar conta do total. O mesmo vale quando você tem várias contas. É fácil se esquecer de quanto dinheiro você tem em cada uma.

Faça algum tipo de balanço ou estimativa de orçamento. Não precisa nem ser super elaborado e cheio de detalhes, mas é essencial que proporcione uma visão organizada de quanto entra, quanto será poupado (assim que o dinheiro cair, é claro, né?) e quanto você vai gastar com cada coisa. Vale ainda alinhar os pagamentos e vencimentos das contas no mesmo dia, preferencialmente, junto com o dia do pagamento. Assim, você tira o dinheiro da frente logo que cair na conta, em vez de esperar sobrar no fim do mês. Caiu o dinheiro, já investe! No caso de quem recebe em momentos diferentes ao longo do mês, deixe o dinheiro ir caindo em uma conta que usa menos, até juntar tudo e só então transfira o valor total para a conta principal no seu dia "fake" de pagamento. Essa dica é legal não só para autônomos, mas também para quem recebe o salário em mais de uma parcela.

PUBLICIDADE

Troque o não pelo ainda não

Não comprar algo neste momento não significa que você não pode ou nunca vai ter aquilo, mas que você tem outra prioridade no momento. Não é um adeus, é um "até daqui a pouco". E algo que pode ser útil para colocar isso em prática é fazer listas. Assim, você sente que guardou a ideia ali e não vai esquecer dela, para então, em outro momento, efetuar a compra se ainda fizer sentido.

Outra dica de ouro para poupar no dia a dia: conheça suas kriptonitas! Nós precisamos conhecer nossas tentações, pois só assim conseguimos pensar em jeitos de evitá-las. Algumas simples mudanças de hábito já podem ajudar. Se você fica com vontade de comprar tudo na farmácia ou mercado, que tal encomendar só a lista do que você precisa e pedir para entregar em casa? Também fique atenta para o peso que redes sociais e outros estímulos têm em seu comportamento de consumo. Um detox ou unfollow sempre vai bem e sua conta bancária agradecerá.

Confie na jornada!

Se perceber que está com vontade de enfiar o pé na jaca – ou o contrário, se não está se sentindo confortável nem para comprar coisas que você realmente precisa, fale sobre dinheiro na terapia ou com alguém de sua convivência. Colocar as coisas para fora e pensar em possibilidades e causas é sempre muito rico, pois nossa relação com dinheiro tem a ver com muitos outros aspectos de nossa vida, referências, medos, sonhos… E, como falamos em outra coluna, com autoconhecimento.

Algumas funcionam bem com cartão de crédito, outras melhor com o débito, algumas não têm problemas com parcelas, outras sim. É um aprendizado que nos acompanha ao longo da vida toda. Você já deve saber disso enfrentando os seus desafios por aí. O objetivo não é a perfeição, mas os avanços e aprendizados diários. Este é um processo que leva tempo, às vezes anos, e envolve muita tentativa e erro. É provável que ao longo dos meses você vá percebendo qual estratégia funciona melhor para você, o que facilita e o que atrapalha. E pode passar por fases e querer usar métodos diferentes dependendo das circunstâncias.

Essas são as estratégias que mais gostamos e que realmente funcionam para nós e para outras mulheres que passaram pelas rodas do Invista como uma garota. Esperamos que sejam úteis para vocês!

Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE