Cadastre-se em nossa newsletter para ler este e outros artigos.

Doses semanais de moda, beleza, cultura e lifestyle, além, é claro, de todas os lançamentos da ELLE!
Inscreva-se gratuitamente.

  • ASSINE NOSSA NEWSLETTER
  • O melhor da ELLE direto no seu inbox! Inscreva-se gratuitamente.
  • INSCREVA-SE AQUI
Foto: Divulgação / Netflix
PUBLICIDADE

Os fãs de Sex education podem respirar aliviados. Depois de quase dois anos de espera, estreia nesta sexta-feira (17.09), na Netflix, a terceira temporada da série britânica sobre um estudante (Otis), filho de uma sexóloga, que cria uma espécie de clínica de terapia sexual clandestina na escola para se aproximar da garota por quem é apaixonado (Maeve). Os nove meses de atraso se deram por conta da pandemia, que impediu a retomada das gravações a tempo de que os novos episódios estreassem em janeiro deste ano, como nas temporadas anteriores.

A boa notícia é que valeu a pena esperar para descobrir o que acontece entre Otis (Asa Butterfield) e Maeve (Emma Mackey) após o final em aberto (e angustiante) da segunda temporada. Em seu terceiro ano, Sex education conseguiu manter o bom desepenho, com novos integrantes no elenco e apresentando outras facetas de personagens já conhecidos. Tanto que já recebeu 100% de aprovação no Rotten Tomatoes, site que reúne críticas de filmes e séries.

Para quem não se lembra, depois de muita espera, Otis enfim se declara a Maeve, no fim da segunda temporada, mas faz isso via caixa postal. Antes que ela tenha a chance de escutar, o recado é deletado por seu vizinho Isaac, que também é apaixonado por ela. E é com esse cenário que a nova temporada começa.

PUBLICIDADE

Vamos acompanhar mudanças drásticas na Moordale Secondary School, após a saída do diretor Michael Groff (Alistair Petrie), que acaba embarcando em um processo de autoconhecimento. Seu filho Adam (Connor Swindells) também passa por grandes mudanças: se assume bissexual assim como o namoro com Eric (Ncuti Gatwa), o melhor amigo de Otis. A escola agora é dirigida por Hope (Jemima Kirke, velha conhecida de quem acompanhava Girls), nova personagem da trama, que promete impor mais disciplina entre os alunos.

Também temos Jean (Gillian Anderson), mãe de Otis, encarando uma gravidez inesperada de Jakob (Mikael Persbrandt). Aimee (Aimee Lou Wood, premiada com o Bafta pelo papel) ainda se recupera do abuso sofrido no ônibus. Já Otis explora mais do que nunca sua vida sexual.

Discutindo sexualidade de uma maneira leve e nada óbvia, Sex education inclui um personagem não-binário neste terceiro ano, Cal, interpretado por Dua Saleh, que tem a mesma identidade de gênero. Cal acaba despertando o interesse de Jackson (Kedar Williams-Stirling), o atleta da escola, mas sua história na trama não está restrita a isso.

A seguir, reunimos algumas curiosidades sobre a série e seus bastidores (livre de spoilers, pode ler sem medo!).

PUBLICIDADE

O elenco de Sex Education

Cal Bowman, novidade em Sex Education

Jackson (à esq.) e Cal (à dir.), personagem que é uma das novidades da terceira temporada de "Sex Education".

Foto: Divulgação / Netflix

Entre os rostos mais conhecidos do elenco estão Gillian Anderson (Arquivo X e The crown) e o protagonista Asa Butterfield, famoso desde a infância por seus papéis nos filmes O menino do pijama listrado e A invenção de Hugo Cabret. Também se destacam Samantha Spiro (Game of thrones) e Jemima Kirke (Girls).

Elenco principal

Adolescentes

  • Asa Butterfield como Otis Milburn.
  • Ncuti Gatwa interpreta Eric Effiong.
  • Emma Mackey é Maeve Wiley.
  • Connor Swindells vive Adam Groff.
  • Kedar Williams-Stirling é Jackson Marchetti.
  • Tanya Reynolds como Lily Iglehart.
  • Mimi Keene é Ruby Matthews.
  • Aimee Lou Wood vive Aimee Gibbs.
  • Chaneil Kular interpreta Anwar.
  • Simone Ashley como Olivia Hanan.
  • Patricia Allison é Ola Nyman.
  • Sami Outalbali vive Rahim.
  • Dua Saleh como Cal Bowman (estreia na terceira temporada).
Adultos
  • Gillian Anderson é Jean Milburn, mãe de Otis e terapeuta sexual.
  • Alistair Petrie como Michael Groff, diretor da escola e pai de Adam.
  • Samantha Spiro como Maureen Groff, mãe de Adam.
  • Mikael Persbrandt interpreta Jakob Nyman, pai de Ola.

Elenco recorrente

Adolescentes

  • Jojo Macari vive Kyle.
  • Chris Jenks como Steve Morley.
  • George Robinson é Isaac Goodwin.
Adultos
  • Jemima Kirke é Hope, nova diretora da Moordale Secondary School (estreia na terceira temporada)
  • Anne-Marie Duff interpreta Erin Wiley, mãe de Maeve.
  • James Purefoy como Remi Milburn, pai de Otis e ex-marido de Jean.
  • Jim Howick vive o professor Colin Hendricks.
  • Rakhee Thakrar é a professora Emily Sands.
  • Hannah Waddingham vive Sofia Marchetti, uma das mães de Jackson.
  • Sharon Duncan-Brewster como Roz Marchetti, a outra mãe de Jackson.
  • DeObia Oparei é Sr. Effiong, o pai de Eric.
  • Doreene Blackstock como a Sra. Effiong, a mãe de Eric.
  • Jason Isaacs é Peter Groff, irmão de Michael (estreia na terceira temporada).

Onde Sex Education é filmada

\u200bAimee e Maeve de Sex Education

Aimee e Maeve estão mais próximas na terceira temporada.

Foto: Divulgação / Netflix

As histórias de Sex education se passam na cidade ficcional de Moordale. Mas não é simples visitar as suas locações. Moordale reúne cenários em pontos diversos do País de Gales e do oeste da Inglaterra. As cenas ambientadas na Moordale Secondary School são filmadas no antigo campus da University of South Wales, em Newport, desativado em 2016.

E se você teve a impressão de que já viu a área verde pela qual os alunos vão e voltam da escola, não se enganou. A Floresta de Dean (Inglaterra), cenário para essas cenas, é famosa: já apareceu em Harry Potter e as relíquias da morte, Guerra nas Estrelas e o Rei Arthur.

A mistura temporal da série

Sex Education

Lily usa smartphone e walkman.

Foto: Divulgação / Netflix

Sotaque e cenários britânicos, uma escola tipicamente estadunidense, smartphones e televisores de tubo... Já reparou que a ambientação de Sex Education é um tanto quanto confusa? É de propósito.

A criadora da série Laurie Nunn e o diretor Ben Taylor contam em entrevista que essa estética surreal vem, em parte, pelo fato de ambos terem como referência os filmes de high school estadunidenses dos anos 1980. E também como um recurso narrativo, a fim de dar sentido a um universo em que um adolescente oferece conselhos sexuais aos colegas no banheiro da escola e que conta com outros personagens bastante peculiares.

Para isso, a direção de arte criou uma mistura entre itens atuais (como celulares e laptops) e retrôs (como telefones de gancho e fitas VHS) em todos os cenários. Da mesma forma, a escola foi toda montada como uma high school estadunidense – armários nos corredores, time de futebol americano, alunos sem uniformes (pelo menos nas duas primeiras temporadas) –, mesmo na paisagem britânica.

"É como se fosse uma utopia adolescente. Gosto de pensar nesse universo quase como um mundo dos quadrinhos", disse Laurie. Ben acredita que essa foi uma maneira de dar uma representação positiva a experiência escolar, como os estadunidenses fazem. "Acho que aqui na Inglaterra tendemos a fazer uma versão mais rígida, cinza e menos divertida. Mesmo que os roteiros de Laurie estivessem cheios de desgosto e angústia, eu queria vê-los renderizados com calor e beleza", explicou.

O figurino marcante de Sex Education

Ruby, Olivia e Anwar

Ruby, Olivia e Anwar.

Foto: Divulgação / Netflix

Essa mesma lógica se repete no figurino dos personagens. O estilo rebelde de Maeve, que inclui coturno, jaqueta de couro e cabelo colorido, claramente faz referência ao punk britânico. Jackson, por sua vez, se veste nas primeiras temporadas como um típico atleta estadunidense, sempre exibindo as suas jaquetas Letterman.

Por mais que cada personagem tenha um estilo próprio, no geral, há uma grande mistura de cores e sobreposições, típicas dos anos 1980, em roupas com cortes e tecnologias atuais. O diretor conta em entrevistas que orientou a equipe de figurino a não pesar a mão em peças vintages. A ideia era justamente criar looks atemporais, que funcionassem bem em qualquer década.

A lógica dos quadrinhos também vale aqui. Ben uma vez ouviu da figurinista Courtney Hoffman, que trabalhou com o diretor Edgar Wright em filmes como Baby: Em ritmo de fuga, que os dois sempre elaboram os figurinos imaginando um desenho animado para depois transferi-los para a realidade. Dessa forma, fica mais fácil chegar em visuais tão icônicos que os espectadores facilmente associam uma camisa ou jaqueta a determinado personagem. E foi essa a orientação que Ben passou para o time de designers.

Uma diretora de intimidade para as cenas de sexo 

\u200bEric e Adam em Sex Education

Eric e Adam, novo casal de "Sex education"

Foto: Divulgação / Netflix

Mesmo que interpretem adolescentes no auge de suas descobertas sexuais, os atores que vivem os alunos da Moordale Secondary School têm idades que variam entre 22 e 29 anos. De qualquer forma, a Netflix tomou os cuidados necessários para que se sentissem confortáveis durante as gravações das cenas de sexo.

O principal deles foi a contratação da coordenadora de intimidade Ita O'Brien, que posteriormente contribuiu com Normal People (Hulu) e I may destroy you (HBO). Seu método foi desenvolvido ao longo de anos trabalhando com grupos de teatros e Sex Education foi a primeira série a usar a sua metodologia.

Em entrevistas, Ita conta que ensaios de cenas de conteúdo íntimo não eram comuns em atrações para a TV, diferentemente do que costuma acontecer com danças e lutas, por exemplo. Como Sex education começou a ser produzida pouco após a eclosão do movimento #metoo e sempre teve como um de seus pontos centrais a busca pelo prazer sexual de maneira responsável, acabou sendo pioneira na TV em ensaiar também as cenas de sexo.

Primeiro, o elenco e a equipe passaram por um intenso workshop com Ita para absorver as suas diretrizes, o que foi importante principalmente para quebrar o gelo e criar um senso de intimidade entre eles. Desde então, ela mantém contato com os atores, diretores e com a equipe, planejando as cenas antes das gravações, criando coreografias, auxiliando no dia a dia das filmagens e supervisionando a integridade do elenco.

Quando será lançada a quarta temporada de Sex Education?

Emily e \u200bMaureen em Sex Education

Emily e Maureen

Foto: Divulgação / Netflix

Hora de comemorar! Durante o Tudum, evento global realizado pela Netflix em 25.09 para anunciar aos fãs as novidades da plataforma no próximo ano, a quarta temporada de Sex Education foi confirmada. Ainda sem data de estreia, caso siga o padrão pré-pandemia, os novos episódios devem chegar em setembro de 2022. O que nos resta é aguardar (e talvez maratonar a série toda novamente esperando esse dia chegar).

O site de vulvas que a Jean indica para Aimee é real

aimee

Reprodução

Um rápido spoiler, que não vai atrapalhar quem ainda não assistiu à terceira temporada: tentando se recuperar do trauma do abuso no ônibus, Aimee começa a fazer terapia com Jean. No terceiro episódio, ao observar a maquete de vulva que fica no consultório, ela desabafa: "A minha vagina não é assim, um dos meus lábios é maior que o outro."

A terapeuta então explica o nome correto de cada parte do órgão e esclarece que aquele ali é só um modelo para fins educativos, mas que existe um site que mostra o quanto as vulvas podem ser variadas, com tamanhos, formatos e cores diversos. Ao acessar o link, a adolescente fica completamente fascinada por essa diversidade.

Bom, tudo isso para dizer que a Netflix, de fato, criou um site com essa proposta para, junto com a série, ajudar a desmistificar essa questão que afeta a autoestima de tantas mulheres. O Toda PPK é linda foi criado em parceria com o The Vulva Gallery reunindo 24 ilustrações de vulvas criadas a partir de relatos de pessoas reais.

Isso é só uma amostra do que a plataforma educacional produz desde 2016. O Vulva Gallery foi criado por Hilde Atalanta, artista não-binário que vive em Amsterdã, com o objetivo de melhorar a educação em saúde sexual e abrir conversas sobre temas que ainda estão sendo estigmatizados.

Mais fotos da terceira temporada de Sex Education

Foto: Divulgação / Netflix

Jean e Hope, a nova diretora da Moordale

Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE