Cadastre-se em nossa newsletter para ler este e outros artigos.

Doses semanais de moda, beleza, cultura e lifestyle, além, é claro, de todas os lançamentos da ELLE!
Inscreva-se gratuitamente.

  • ASSINE NOSSA NEWSLETTER
  • O melhor da ELLE direto no seu inbox! Inscreva-se gratuitamente.
  • INSCREVA-SE AQUI
Lifestyle

7 dicas espertas de decoração para espaços pequenos​​

Móveis multifuncionais, iluminação natural e estantes altas são algumas maneiras de aproveitar bem o ambiente sem criar a sensação de aperto. Arquitetos mostram como deixar o seu cantinho de poucos m² confortável e bonito.

Foto: Nathalie Artaxo para SP Estudio
PUBLICIDADE

Quem prefere morar em apartamentos novos nas grandes cidades quase sempre tem se deparado com espaços cada vez menores. O foco do setor imobiliário vem sendo oferecer áreas comuns completas, com piscina, lavanderia e área gourmet, e deixar a parte privada principalmente para descanso e atividades mais exclusivas. Mesmo assim, ainda bate o desejo de ter uma casa ampla, cheia de conforto e com a sua cara, sem que haja a necessidade de recorrer ao condomínio constantemente. Por isso, conversamos com os arquitetos Fabiana Silveira, sócia do SP Estudio, e Almiro Dias, que comanda um escritório com seu nome, para ensinar truques que fazem toda a diferença na hora de decorar ambientes pequenos.

Pense em móveis multifuncionais


Menos é mais quando o assunto é pouco espaço. Então, optar por itens que atendam a mais de uma necessidade é uma maneira maravilhosa de otimizar o mobiliário. "É importante a gente ter essa inteligência. Por exemplo, um banco que possa ser também um baú para armazenar coisa ou uma estante da sala que tem várias funções abrigadas nela", sugere Fabiana.

"Se estamos falando de um studio, um sofá-cama ajuda a resolver muita coisa. Fica com aquela carinha de sala durante o dia, dá para receber os amigos, para trabalhar e, na parte da noite, você abre o sofá e ele vira uma cama", complementa Almiro.

Coloque espelhos pontualmente

"Espelho é uma coisa que aumenta bastante a sensação visual do local", destaca Almiro. Porém, não precisa sair espalhando um em cada parede da casa. Pelo contrário, é preciso ter estratégia. Segundo o arquiteto, o ideal é deixar em uma parte que já seja maior.

"Uma vez coloquei um na frente da cama, porque refletia a marcenaria do fundo e um pouco da porta de vidro que dá para a sacada, então, realmente ajudava a amplificar a percepção do ambiente", conta. No corredor, por exemplo, pode ser que não faça sentido, já que é um lugar tradicionalmente mais restrito e que não fará tanta diferença na noção geral.

Aposte na continuidade de materiais


"A continuidade dos materiais dá essa impressão de amplitude, porque você não fica segmentando o espaço visualmente", explica Fabiana. Uma boa proposta é aplicar o mesmo piso na sala, na cozinha e no terraço integrado, por exemplo. Outra ideia legal é usar a mesma madeira em todos os ambientes ou, pelo menos, combinar opções da mesma família de tonalidades. "Não pegar uma superclara com uma mega avermelhada, que aí vai confundir um pouco o olhar", ensina.

Não exagere na quantidade de enfeites

Às vezes, bate a empolgação e dá vontade de sair enchendo o ambiente de itens afetivos e peças que você ache bonitas para deixar seu cantinho com a sua cara. No entanto, no caso de lugares menores, é melhor ir com calma para não acabar entulhando o local. "Em apartamentos pequenos, o décor tende a ser sempre um pouco mais minimalista. É melhor deixar expostas apenas coisas bem selecionadas, aquilo que realmente você quer mostrar, para não criar poluição visual", recomenda Almiro.

"A gente fala muito em ponto focal. Escolha uma parede importante, como aquela atrás do sofá ou a primeira que se vê ao passar pela porta, e coloque uma obra de arte maior, por exemplo", indica a sócia do SP Estúdio. Depois é que se vai distribuindo itens menores no resto dos espaços, sempre com cuidado para não exagerar. "Isso pode até deixar a pessoa confusa para encontrar o que precisa", alerta.

Valorize a iluminação natural


Aproveitar a vista da rua e a luz que vem de fora contribui para deixar o lugar visualmente mais espaçoso. "Se você coloca uma cortina na frente, parece que o ambiente fica ainda mais enclausurado e muito menor, então gosto de deixar o máximo possível de área transparente", comenta o arquiteto. Fabiana reforça que "faz muita diferença você olhar para a janela e conseguir ver a luz entrando enquanto observa o lado de fora."

Respeite os espaços de circulação

Evitar atravancar muito a passagem é fundamental, afinal, pode ser bem estressante se sentir limitado dentro de casa. É preciso adaptar alguns elementos para que eles funcionem bem na área que você tem disponível. "Não faz sentido colocar uma mesinha lateral grande do lado do sofá, se a sala é pequena. Hoje existem opções menores e portáteis que se encaixam na frente dele ou do lado. Elas são levinhas, fáceis de levar para lá e para cá. Assim, você consegue usar também na poltrona do terraço quando precisar", exemplifica a arquiteta.

Invista em prateleiras

"Outra coisa que a gente costuma fazer é colocar prateleiras mais altas – com 1,70 ou 1,80 metro de altura – porque você libera um pouco de espaço na altura do olhar e consegue aproveitar muito campo de cima", sugere Almiro. Como está fora do nosso campo de visão padrão, não passa a sensação de ambiente entulhado e dá para colocar os livros, uma planta que cai, como a jiboia, e outros elementos que você não quer guardar no armário.




Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE