Moda

Roupa afetiva

Diego Gama explora volumes e técnicas manuais em roupas com bases de streetwear.

Foto: Ramon Sousa (@00grau)
PUBLICIDADE

Formado pela Santa Marcelina em 2015, Diego Gama trabalhou como assistente e estilista na marca de Fernanda Yamamoto por quatro anos. Assim que se desligou, foi convidado por André Hidalgo para abrir a edição de aniversário de 20 anos da Casa de Criadores, em 2017. Começou, assim, a criar o que é hoje sua grife homônima. Lá, Gama explora sensações e afetividades, transformando-as em roupas com base no streetwear. Ao aproximar seu público de suas vivências, o estilista torna sua roupa mais palatável e entendível para um número maior de pessoas, o que faz muito sentido quando assistimos a alguns desfiles de sua marca na Casa de Criadores. "Isso faz mais sentido para mim do que falar que minha coleção é inspirada em militarismo ou na Dior dos anos 1950", comenta ele.


Teatrais e performáticas, as apresentações de Diego Gama são sempre picos de emoção durante o evento. "Nesses três anos, foquei em experimentação, em novas formas de pensar a roupa", diz. "Uma das minhas grandes inspirações são as roupas de basquete: elas adornam o corpo de personalidade, pertencimento e significados facilmente decodificados pela sociedade."

Nas últimas coleções, Diego vêm explorando um lado um pouco mais comercial e menos conceitual nos seus desfiles – mas isso não quer dizer que ele está deixando essa experimentação, tão fundamental à marca, de lado. "Eu não ligo de estar em um lugar em que algumas pessoas não me entendem. Meu papel é provocar e propor", diz.

Para o desfile digital de 2020, o estilista pretende expôr esse processo intenso com toques de exagero. "Tenho falado muito como eu não aguento mais discutir sobre racismo. As pessoas não tem noção que falar sobre isso é falar sobre nossos traumas, o que impede a gente de crescer. Decidi fazer uma coleção assumindo as rédeas dessa narrativa traumática. Para isso, vou exagerar nas formas, filmar cada processo e mostrar as técnicas manuais que eu uso para quem ainda não conhece."

Diego Gama.

Foto: Ramon Sousa (@00grau) | Modelo: Yvson (@n1t3r4c3r)



Mergulhamos na história das marcas que fazem parte do coletivo de estilistas negros da Casa de Criadores que vêm quebrando as lógicas do mercado.

PUBLICIDADE


Com quinze anos de experiência na Casa de Criadores, Weider Silveiro traz glamour a coleções que tratam de temas latentes da sociedade.


Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE VIEW, A REVISTA DIGITAL DA ELLE BRASIL