Cadastre-se em nossa newsletter para ler este e outros artigos.

Doses semanais de moda, beleza, cultura e lifestyle, além, é claro, de todas os lançamentos da ELLE!
Inscreva-se gratuitamente.

  • ASSINE NOSSA NEWSLETTER
  • O melhor da ELLE direto no seu inbox! Inscreva-se gratuitamente.
  • INSCREVA-SE AQUI
PUBLICIDADE

A última vez que Paula Raia fez um desfile foi em agosto de 2017. Desde então, a estilista vinha apresentando suas coleções de maneira mais intimista, com pequenos eventos em sua loja, em São Paulo, ou com parcerias editoriais. Mas isso é coisa do passado (pelo menos por enquanto, até a liberação de eventos presenciais). As restrições da pandemia forçaram toda uma reformulação do que se entende por desfile. Ficou tudo digital, e o cruzamento com outras áreas se tornou mais frequente.

Tudo isso parece ter influenciado Paula. Para apresentar seu verão 2022, ela emprestou alguns elementos da linguagem e fotografia cinematográfica, viajou com sua equipe para Lajedo de Pai Mateus, na Paraíba, e colocou suas modelos para caminhar entre formações rochosas esculpidas pelo vento e pela chuva ao longo de anos. Pense no desfile de inverno 2021 da Saint Laurent, só que num cenário mais brasileiro e bem alinhado aos valores da marca.

É que a estilista sempre trabalhou com uma moda menos frenética e mais atemporal, com atenção aos acabamentos e processos manuais. Conexão com a natureza e espiritualidade também são temas frequentes em seu trabalho. No texto que acompanha o vídeo, Paula escreve sobre uma roupa que propõe o próprio tempo. "A coleção O Tempo das Pedras reverencia o tempo contido nas coisas da natureza. A roupa e o tempo dialogam."

PUBLICIDADE

Segundo ela, as formas sinuosas das rochas, a maneira como o ar movimento a terra do chão e como o sol e a água alteram as cores e superfícies, foram algumas das inspirações para os looks desta coleção. As interpretações, contudo, não são tão literais. Elas aparecem no shape arredondado das estruturas de peplum, nas mangas infladas, nos babados aplicados de forma circular e pontual e na cartela de cores, principalmente nos tons esmaecidos de rosa, vermelho e amarelo.

Assim como em coleções passadas, as texturas e detalhes com aparência manual são o principal foco e destaque da apresentação, ainda que em versões menos suntuosas ou elaboradas do que as das últimas grandes apresentações. São superfícies franjadas ou felpudas, alguns jacquards, rendas e bordados de motivos orgânicos.

Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE