Colunistas

SEX IN THE​ meno ​CITY

Sim, existe sexo depois da meno! E, claro, a vida continua.

PUBLICIDADE

A volta da série Sex In The City é uma revolução para as mulheres maduras. Isso porque, do ponto de vista social, sermos retratadas na menopausa é sair da invisibilidade que a própria indústria cinematográfica nos coloca quando entramos nessa fase. E, o que é pior, um lugar do qual só costumavam nos tirar quando pudéssemos representar alguma vovózinha, como se a vida entre os 40 e 60 e poucos não existisse só porque não se é nem tão jovem, nem tão velha. E dizemos isso no feminino mesmo não com ressentimento, mas é porque o envelhecer para os homens é tratado de um jeito diferente pela sociedade e, infelizmente, por muitas de nós mesmas. Neles, um cabelo grisalho sempre foi sinal de charme, em nós desleixo. Ruga não representa decadência, mas sabedoria. Existe até um ditado que diz "Homens envelhecem como vinhos, ficam cada vez melhores com o tempo. Já as mulheres envelhecem como leite, azedam". Triste, né? A boa notícia é que esse olhar machista que diz que a mulher tem que parecer sempre jovem está começando a mudar.

Para você que não assistiu ou não se lembra, no último episódio de Sex in the City, que foi ao ar com seis temporadas e 94 episódios, na HBO, entre 1998 e 2004, as personagens Carrie, Charlotte e Miranda terminaram casadas e felizes (Samantha, a única que não estará na nova temporada, deu um pé na bunda do namorado e manteve-se fiel ao seu espírito livre seguindo a vida descompromissada e apimentada como sempre quis). Um final talvez um pouco clichê e patriarcal para uma série que, de certa forma, era considerada feminista na época em que foi lançada, mas que, sem dúvida nenhuma, entregou ao público o que ele mais queria: a esperança do "felizes para sempre". Mas será que foi assim mesmo?

PUBLICIDADE

Aparentemente não. Demorou, mas Hollywood percebeu que a vida continua para as mulheres. E em qualquer idade.

Citando a frase "pra sempre / sempre acaba", do brilhante Renato Russo, parece que, numa jogada de mestre, a indústria cinematográfica sacou que apesar de não termos mais o poder da juventude, temos o poder aquisitivo. Prova disso é que, só no Brasil, quase metade dos lares é sustentado pelas mulheres. Finalmente, a sociedade está se dando conta que a mulher não morre mais aos 40 ou 50 anos. Aliás, muito pelo contrário. Estamos vivendo cada vez mais e melhores, com desejos, novos sonhos, autoconfiança e acesso a informações sobre como viver melhor esse novo período da vida.

PUBLICIDADE

Para se ter uma ideia, no mundo todo praticamente uma a cada duas mulheres não menstrua mais. Estamos nos transformando em um grupo à parte, só de menopausadas. É muita gente para ficar fora do filão, né mulherada? Ok, a gente concorda que esse não deveria ser o motivo para sermos valorizadas. Mas quer saber? Deixando o romantismo de lado, vamos aproveitar o limão e fazer uma caipirinha para comemorar com as amigas! Amplificar nossa voz e podermos falar abertamente sobre qualquer coisa que esse período envolve é um passo importante para nós e, principalmente, para as futuras gerações de mulheres que, além de terem liberdade para envelhecerem em paz, conseguirão abordar o assunto sem tabu. Afinal, até lá, esperamos que todo mundo já tenha entendido que entrar na menopausa só significa parar de se reproduzir e não de produzir.

Nós, por aqui, estamos loucas para saber o que aconteceu com as personagens que agora voltam na faixa dos 55 anos mostrando que a vida continuou – e, o melhor, cada uma delas já tendo passado ou ainda estando na menopausa na vida real!

Será que Carrie, Charlotte e Miranda ainda estão casadas? Será que sofrem com os calorões da menopausa? Será que fazem reposição hormonal? Será que mudaram de profissão? Será que ainda estão no mercado de trabalho? Será que o sexo mudou? Será que se reinventaram? Será que são vistas de um jeito diferente só porque não são mais tão jovens? Será que são umas loucas do skincare? Será que pensam em plástica? Será que estão em paz com o envelhecer? Será que vivem a vida como a vida é? São muitas dúvidas e curiosidades. Mas uma coisa é certa. A volta de Sex In The City com as mesmas personagens retratando a idade madura será um passo muito importante para todas nós.

Afinal, a vida continua em qualquer idade, não é mesmo? E essas mulheres poderosas, assim como nós, vieram provar que menopausa pode ser tudo, menos pausa!

Camila Faus e Fernanda Guerreiro são criadoras do @shet_alks. Uma plataforma de conteúdo feita para mulheres que acreditam que a idade dos "enta" rima com experimenta. Conheça e siga também a #menofriendly, projeto criado dentro do Shet para acabar com o tabu sobre a menopausa.


Para muitas mulheres, a chegada dos cabelos brancos é um momento delicado. E não é para menos. Em uma sociedade que associa beleza a juventude, somos incentivadas a lutar contra o processo mais natural que existe: o de envelhecer.


Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE