• ASSINE NOSSA NEWSLETTER
  • O melhor da ELLE direto no seu inbox! Inscreva-se gratuitamente.
  • INSCREVA-SE AQUI
PUBLICIDADE

Já está até batido falar sobre isso, mas o fato é que a pandemia acabou refletindo na relação de muita gente com a própria casa. O que era visto apenas um espaço transicional entre trabalho e saídas para lazer ganhou uma nova relevância. Com isso, vem crescendo o interesse em aprimorar a decoração de alguns cômodos para curtir mais tempo de qualidade sob o teto em que vivemos.

"Finalmente as pessoas estão entendendo que a residência delas deve atender ao seus gostos individuais e não ao que o outro aprecia. Estão vendo que aquela área toda é para elas preencherem com as atividades que elas curtem fazer", avalia a arquiteta e designer de interiores Cristiane Schiavoni.

Como reflexo disso, o Pinterest revelou em seu relatório anual com previsões sobre o comportamento para os próximos meses que muita gente vai começar a planejar lugares da casa para diferentes emoções ou hobbies. Entre as buscas que vêm crescendo estão quartos dedicados a música, cristais, massagem, raiva e livros. Com base nisso, especialistas dão dicas para criar quatro ambientes relacionados a essas temáticas.

Quarto do relaxamento

Fotos;: mediaphotos/Getty Images

Se você tem o hábito de tirar um tempo todos os dias para se reconectar consigo mesmo, um espaço dedicado ao relaxamento pode fazer toda a diferença na sua rotina. Nesse caso, Cristiane chama a atenção para a importância do sensorial.

Começando pelo tato. A textura do piso e do mobiliário tem uma grande relação com o bem-estar que o ambiente causa, comenta a expert. "Não é nada agradável pisar descalça ou sentar em um chão de porcelanato ou cerâmica, por exemplo." O melhor é optar por superfícies de madeira e, quando necessário para compensar outros materiais, invista em tapetes ou carpetes.

Esse cuidado ainda contribui para proporcionar um melhor conforto acústico, reverberando melhor as músicas e áudios escolhidos para o seu momento de relax e afastando sons externos. Vale, inclusive, incluir tapetes e cortinas para contribuir para esse efeito. A percepção visual também conta, principalmente a escolha das cores. "Em áreas de relaxamento, normalmente indico as cores mais frias, que costumam ser mais calmantes. Se tiver que dar apenas uma dica, o azul é infalível", orienta Cristiane.

Para a arquiteta de designer de interiores Isabella Nalon, uma iluminação agradável é fundamental. "Isso significa tanto uma luminosidade natural favorável quanto um bom planejamento, para não ter uma luz artificial forte que incomode os olhos nem uma muito fraca que atrapalhe a sua visão", explica. A questão aromática também influencia no relaxamento. "Trabalho sempre com incenso, varetas perfumadas ou difusores de óleos essenciais", pontua Isabella.

Para quem curte meditar, ela dá três sugestões: uma cadeira com encosto reto que permita estar com os dois pés apoiados no chão, um tapetinho que se abre só na hora da prática ou uma almofada específica para meditação. Essa escolha vai depender de como você se sente mais confortável. Uma mesinha mais baixa, para apoiar cristais, incensário, japamala, terço ou o que você usa nos seus rituais, também vai bem.

Para quem costuma receber um massagista uma ou duas vezes por semana, vale investir em uma maca confortável. Pode ser dobrável, se preferir economizar espaço, aconselha a arquiteta. "Mas se você curte fazer uma meditação guiada deitada ou tirar um power nap depois do almoço, pode ser interessante ter um sofá bem gostoso. Porque, às vezes, tudo o que a gente quer é um lugar de descompressão", diz.

Quarto para extravasar

Quarto de relaxar

Foto: alabn/Getty Images

Quem é da turma que só consegue se livrar do estresse colocando tudo para fora vai adorar a ideia de ter um quarto planejado para extravasar. O foco principal aqui é aquela atividade que faz você suar bastante e ajuda aliviar as tensões. Curte se exercitar? Invista em equipamentos de ginástica. Seu negócio é tocar música? Um espaço pensado para alocar uma bateria pode ser uma boa opção. Isso para citar alguns exemplos.

"Nessa situação, a primeira coisa que eu penso é na acústica, para não incomodar ninguém", destaca Isabella. Se a ideia é pedalar forte em uma bicicleta estacionada, correr com dedicação em uma esteira ou botar para quebrar tocando algum instrumento, é preciso reter o som ali dentro ,com o uso de materiais que absorvam o barulho nas superfícies. Tijolos, carpete ou uma manta emborrachada embaixo do piso são ótimas alternativas.

Por ser um ambiente criado para a pessoa suar bastante, um ar-condicionado faz toda a diferença para que você consiga extravasar sem passar desconforto. Pelo mesmo motivo, Isabella sugere a instalação de um frigobar com sua bebida favorita. "Se for esportista, pode deixar um shake de proteína, por exemplo. Músicos podem preferir uma cerveja gelada. E bastante água para hidratar", comenta. Prefere café ou precisa de um liquidificador? Tenha o que for necessário para preparar seu líquido predileto à sua disposição.

Cristiane salienta a importância de investir em uma área fácil de limpar, tanto pelo suor quanto por possíveis impactos durante as atividades realizadas. "Adesivar as paredes é uma boa opção. Basta passar um paninho e pronto. Ficar usando buchinha na parede de tinta pode manchar", explica.

Caso deseje colocar um saco de boxe nesse espaço, lembre-se de checar se a estrutura do teto aguenta o peso. A arquiteta diz que é imprescindível checar se a laje e realmente maciça para suportar o peso e os socos. Caso contrário, o estrago pode ser grande.

Quarto de leitura

Foto: dmitriymoroz/Getty Images

E que tal um cantinho especial para guardar seus livros, com um clima bem aconchegante, para passar um bom tempo lendo? Para esse espaço, Cristiane indica as mesmas preocupações acústicas do quarto de relaxamento – diminuindo os ruídos, fica mais fácil se concentrar na leitura.

Em relação à iluminação, dois pontos devem ser levados em consideração: a atmosfera geral e a visibilidade das páginas. No primeiro caso, a designer de interiores gosta de usar luz indireta para trazer uma sensação de conforto ao ambiente. "Pode ser uma sanca em gesso, um abajur ou uma luminária virada para a parede", assinala.

No segundo, o ideal é colocar uma luminária de piso ou na mesa lateral com o foco voltado para onde você irá se sentar. "Só tem que tomar cuidado com a intensidade da lâmpada. A melhor e mais fácil para o consumidor comprar por conta própria é a que a gente chama de branco morno, com cerca de 2600K. Esse número vem escrito na embalagem", diz Cristiane.

Já a escolha da poltrona é uma questão de gosto e necessidades pessoais. Depende da altura, da posição que gosta de ler... "Mas acho importante ter um apoio para os pés, que pode vir no próprio banco ou ser solto", destaca Isabella.

E, claro, é preciso ter um lugar caprichado para os livros. A arquiteta sugere uma estante com base neutra, branca ou toda em madeira, deixando-os em destaque. Outra dica, para evitar o acúmulo de pó, é colocar portas de vidro – assim você protege os volumes, sem escondê-los.

Para um toque emotivo, Isabella recomenda mesclar os livros com objetos de memória afetiva. "Itens que foram adquiridos em outras cidades, porta-retratos com fotos que remetam a momentos gostosos... Porque ler é uma viagem, a gente se teletransporta", comenta.

Quarto de música

Foto: Johner Images/Getty Images

Agora, se o seu negócio é música e você tem uma coleção de discos de vinil e um instrumento queridinho, nada mais justo que um cômodo dedicado a eles. Assim como no quarto de extravasar, nesse espaço é fundamental se preocupar com o tratamento acústico.

"Algumas pessoas acham que é só fechar todas as portas e janelas para a música não vazar. Mas ele é formado por ondas e, quando elas batem na parede, passam para o vizinho", alerta Cristiane. Se puder, invista em um revestimento de parede que tenha absorção. No mais, espalhar tapetes e incluir cortinas contribuem para abafar o som, fazendo com que ele reverbere melhor dentro desse espaço sem incomodar quem está fora dele.

Para guardar os discos em evidência, vale seguir a mesma lógica dos livros, apostando em uma estante mais neutra para que o foco seja a sua coleção. A arquiteta sugere, se possível, fazer uma marcenaria planejada para aproveitar melhor o espaço e dar conta de todos os itens.

A vitrola também merece uma posição de destaque, pois é nela que a magia acontece. "E não se esqueça de pensar em um sistema de som com caixas bem distribuídas para aquilo que estiver tocando poder ser ouvido da melhor maneira", ressalta Isabella. Para completar o combo "curtir um som de qualidade", ela indica uma poltrona confortável, daquelas de se jogar bem à vontade.

Quem tem instrumentos também vai querer que eles brilhem nesse ambiente. Para colecionadores de guitarra, uma parede com suporte para exibir várias delas pode ser interessante. O mesmo vale para violões, baixos e instrumentos de sopro. "O mesmo prazer que temos de tocar, temos de admirar os instrumentos musicais. Afinal, cada um tem uma história", comenta a designer de ambientes.

Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE

A ELLE Brasil utiliza cookies próprios e de terceiros com fins analíticos e para personalizar o conteúdo do site e anúncios. Ao continuar a navegação no nosso site você aceita a coleta de cookies, nos termos da nossa Política de Privacidade.

Assine nossa newsletter

Doses Semanais de moda, beleza, cultura e lifestyle, além, é claro, de todas as novidades e lançamentos da ELLE no seu inbox.
Increva-se gratuitamente.