Cadastre-se em nossa newsletter para ler este e outros artigos.

Doses semanais de moda, beleza, cultura e lifestyle, além, é claro, de todas os lançamentos da ELLE!
Inscreva-se gratuitamente.

  • ASSINE NOSSA NEWSLETTER
  • O melhor da ELLE direto no seu inbox! Inscreva-se gratuitamente.
  • INSCREVA-SE AQUI
PUBLICIDADE

Um dos tropeços de quem começa a preparar coquetéis em casa é não variar. Você aprende a fazer Negroni, acha aquilo tudo muito bonito. Mas aquilo tudo, apesar de lindo, acaba se resumindo nas três partes iguais de gim, bitter e vermute para sempre. Cansa. E aí você desiste.

Diversidade é tudo na vida e ter um bom repertório de coquetelaria exige pesquisa e curiosidade. Vale pedir drinques fora do comum nas suas próximas visitas aos bares (os bons bartenders adoram esse tipo de cliente, fica a dica). Ou procurar boas fontes, livros ou sites que tragam ideias não necessariamente novas, mas diferentes do que é modinha. Lembre-se de que muitos dos coquetéis clássicos que bebemos nos bares têm mais de 100 anos de história.

Outro engano comum é achar que é preciso aprender todas as mixologias complicadas dos profissionais de bar, tipo redução de goiaba com cumaru, infusão de jatobá na cachaça, extração da gordura da manteiga no bourbon. Tudo bem querer aprender essas paradas, se essa for sua meta. Só que a maioria dos clássicos da coquetelaria não exige altos borogodós para dar bons resultados – apenas ingredientes de boa qualidade e técnica acertada.

Para fazer a diferentona e fugir do Negroni, do Gim Tônica e do Aperol Spritz, selecionamos algumas receitas bem simples e bem gostosas, com até três ingredientes e variadas bases alcoólicas. Dá para fazer maravilhas com muito pouco. E mudar a cara do seu coquetel com gim, tequila, rum, cachaça, vodca, uísque.

PUBLICIDADE

BEE'S KNEES

Foto: Nikita Tikhomirov / Unsplash

É um drinque dos tempos da Lei Seca nos Estados Unidos. A gíria "bee's kness" (em tradução literal, "joelho de abelha") era usada para designar coisas sensacionais, supimpas, fora do comum. O coquetel é bem básico, porém delicinha.

Ingredientes

60 ml de gim
30 ml de suco de limão-siciliano
15 ml de xarope de mel*

Modo de preparo

1. Bata todos os ingredientes na coqueteleira com gelo.
2. Coe para uma taça coupe previamente resfriada, com ajuda de uma peneirinha fina.
3. Torça uma casquinha de limão por cima e decore o coquetel com ela. Ou use uma rodelinha de limão.

Dica
Essa receita básica de coquetel sour pode se transformar em tantas outras, basta mudar a base destilada. Com bourbon, ela vira um Gold Rush. Também fica bem com tequila, rum ou cachaça (chama batidinha de limão com mel, lembra?). Com uísque escocês e xarope simples*, vira o famoso Whisky Sour, que pode levar um pouco de clara de ovo para ganhar consistência fofa.

HORSE'S NECK

Foto: Cocktail Marler / Wikmedia Commons

Essa receita de highball é uma das coisas mais gostosas, alegres e refrescantes que você pode fazer com bourbon. Vira moda na hora em qualquer festa: todo mundo quer.

Ingredientes

50 ml de bourbon
Refrigerante de gengibre (ginger ale) para finalizar
1 fatia fina de casca de limão-siciliano
2 dashes (espirradas) de Angostura (opcional)

Modo de preparo

1. Corte uma fatia longa e fina de casca de limão-siciliano.
2. Disponha a fatia em caracol no copo e coloque muito gelo.
3. Coloque o uísque e complete com o refrigerante de gengibre.
4. Se preferir, finalize com os dashes de Angostura, como pede a receita tradicional.

Dica

O segredo, talvez a grande dificuldade, do preparo do Horse's Neck lindão é a longa fatia de limão que serpenteia o copo. Quem não tem muita prática acaba quebrando a casca no meio do processo e quer xingar horrores. Não desista: invista em um bom zester ou descascador de legumes para tirar as mais finas casquinhas. Use uma faquinha de fruta bem afiada para aparar as bordas e deixá-las bem acabadas. Treine antes de receber os amigos.

BICICLETTA SPRITZ

Foto: Olivier Chatel / Unsplash

Há várias maneiras de preparar Spritz, não apenas a que leva Aperol e espumante. Esta variação ganha uma cor vermelhona por causa do bitter italiano e dá um bom final ao restinho de vinho branco que sobrou da noite anterior.

Ingredientes

40 ml de água com gás (ou o quanto baste para completar o coquetel)
40 ml de vinho branco seco
40 ml de Campari

Modo de preparo

1. Num copo alto ou numa taça bojuda com bastante gelo, coloque o vinho branco e o bitter vermelho, nessa ordem.
2. Mexa, se achar necessário. Complete com mais água, se faltar.
3. Decore com uma rodela de laranja.

Dica
Se quiser uma variação, o Veneziano Spritz leva 60 ml de Prosecco (ou outro espumante seco), 40 ml de Campari e 20 ml de água com gás, tudo servido no copo baixo com bastante gelo. Decore com uma casquinha de laranja.

WHITE RUSSIAN

Foto: Yesmore / Unsplash

White Russian é um perigo: docinho, cremosinho, tão fácil de fazer e de beber que às vezes a gente perde a conta. O coquetel foi popularizado no filme O Grande Lebowsky, em que Jeff Bridges toma um atrás do outro.

Ingredientes

60 ml de vodca
30 ml de licor creme de café
30 ml de creme de leite fresco

Modo de preparo

1. Num copo baixo com gelo, coloque primeiro a vodca, depois o licor de café. Misture essas duas bebidas.
2. Finalize com o creme de leite.
3. Não mexa, se quiser manter o visual em camadas do coquetel.

DICA

Há quem altere a proporção do White Russian para 40 ml de vodca, 40 ml de licor e 40 ml de creme de leite. Para quem se atrapalha com medidas, fica mais fácil. Provavelmente também haverá alguém para dizer que drinque com vodca, licor de café e creme de leite é fora de moda. Acreditamos que você saiba o que fazer com esse tipo de comentário.

TEQUILA SUNRISE

Foto: Matthew Benoit / Unsplash

É o típico coquetel de turista em cruzeiro e já foi um dos preferidos de Mick Jagger nos anos 1970. Quem não tem uma tequilinha remanescente da última festa e suco de laranja em casa para quebrar o galho na hora de inventar um coquetel?

Ingredientes

60 ml de tequila branca
120 ml de suco de laranja (ou o quanto baste para completar o copo)
15 ml de grenadine

Modo de preparo

1. Num copo alto ou numa taça longa, daquelas mais bojudas, coloque bastante gelo e sirva a tequila e o suco de laranja.
2. Coloque a grenadine por cima e não mexa – espere que ela desça até o fundo, dando o efeito visual próprio do coquetel.
3. Se quiser decorar da maneira tradicional, use uma rodela de laranja e uma cerejinha em conserva (sim, é cafona, mas divertido).
4. Sirva com canudo (de preferência, tartaruga-friendly, de metal).

Dica

Grenadine é o xarope de romã, embora outras frutas vermelhas entrem na composição das versões industriais. Tipo a nossa groselha. Vale investir em marcas legais como Fabbri, Monin, 1883 ou Marie Brizard. A grenadine de ontem também rende bons refrescos com água gasosa e um tiquinho de suco de limão no dia seguinte pela manhã, para aliviar a ressaca.

AB FAB

Foto: Jens Theess / Unsplash

Criado no Monte's Club de Londres em 1999, já pode ser considerado um coquetel retrô. Seus três ingredientes são referência às bebidas preferidas de Edina e Patsy, da série inglesa Absolutely Fabulous. Um drinque de perua para as horas de desvario.

Ingredientes

30 ml de vodca
45 ml de suco de cranberry
45 ml de espumante brut

Modo de preparo

1. Bata a vodca e o suco de cranberry numa coqueteleira com gelo.
2. Coe para uma taça flûte (ou martíni) previamente gelada.
3. Finalize com o espumante brut.
4. Se quiser decorar, use um morango.

JEAN HARLOW

Foto: Semaka / Pixabay

Um drinque dos anos 1930, quando a atriz Jean Harlow brilhava como deusa sexual do cinema americano, com seu cabelão platinum blonde. Dizem que a mistura de rum com vermute era sua preferida.

Ingredientes

45 ml de rum branco
45 ml de vermute tinto doce
2 dashes (espirradas) de bitter de laranja (opcional)

Modo de preparo

1. Com ajuda da colher de bar, mexa os ingredientes no copo de mistura com gelo até esfriar.
2. Coe para uma taça coupe (ou martíni) previamente resfriada.
3. Decore com uma casquinha de limão em espiral.

Dica
Se você reparar bem, esta receita simplérrima é a base de diversos coquetéis. Bourbon com vermute é Manhattan. Jerez com vermute é Adonis. Gim com vermute (e um toque de licor de maraschino) é Martinez. Dá para viajar um bocado na ideia de misturar vermute com outros elementos.

RABO DE GALO

Foto: Divulgação

O trago de boteco mais popular do país ficou chique nos últimos tempos e passou a frequentar a carta dos melhores bares de coquetelaria. Permite muitas variações, mas aqui damos uma proporção básica.

Ingredientes

60 ml de cachaça
20 ml de vermute tinto
10 ml de Cynar (aperitivo de alcachofra)

Modo de preparo

1. Coloque todos os ingredientes num copo de misturas com gelo e mexa com ajuda da colher de bar, até resfriar.
2. Coe para um copo baixo com gelo grande ou pedras médias.
3. Decore com uma casquinha de limão torcida sobre o coquetel.

Dica
A cachaça precisa ter qualidade para gerar um bom coquetel, isso ninguém discute. É possível escolher cachaças brancas, que passaram por madeiras mais suaves (como jequitibá e amendoim), ou por barricas, que dão bastante potência aromática ao líquido (amburana e carvalho). Tudo depende do perfil que você quer para o seu Rabo de Galo, vegetal ou amadeirado.

​*XAROPES BÁSICOS

Ter sempre um xarope à mão é fundamental para o preparo de muitos coquetéis. São muito simples de fazer e duram cerca de 15 dias na geladeira.

Xarope de mel: junte uma parte de mel e a mesma parte de água numa panelinha. Leve ao fogo médio, mexendo sempre. Assim que o mel dissolver completamente, desligue o fogo, espere esfriar e guarde em uma garrafinha na geladeira.

Xarope simples: exatamente o mesmo. Uma parte de açúcar para a mesma parte de água. Leve ao fogo, mexa e espere dissolver. Destligue o fogo, espere esfriar e mantenha na geladeira.




Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE