• ASSINE NOSSA NEWSLETTER
  • O melhor da ELLE direto no seu inbox! Inscreva-se gratuitamente.
  • INSCREVA-SE AQUI
PUBLICIDADE

Existe certa melancolia no ar, disso não há dúvidas. Se em Londres ela apareceu em uma beleza sombria e decadente, em Milão ela ganhou uma leitura cheia de sofisticação – como já era de se esperar. Os olhos bem pretos, vistos também em Nova York, desembarcaram na Europa e marcaram os makes de Versace e Roberto Cavalli. Os tons escuros, aliás, desceram aos lábios em roxos e azuis marcantes, de Gucci à Versace. Para os cabelos, a textura molhada foi o denominador comum entre Fendi, Armani e Prada, enquanto Moschino e Elisabetta Fanchi apostaram nos penteados inspirados nos anos 1950, com acabamento brilhante e ondas marcantes.

Olhos bem pretos

O esfumado preto clássico ganhou volume máximo nas passarelas. Ao invés de ficar restrito apenas às pálpebras móveis, ele toma conta de todo o olho. No desfile da Sportmax, ele vem próximo ao contorno, enquanto nas belezas de Versace e Roberto Cavalli a sombra é puxada em direção às têmporas, lembrando um delineado gatinho. Em todas, o acabamento é mais opaco e superpigmentado. Diferente de Nova York, onde o preto aparece meio borradinho e sem muita construção, aqui ele é bem polido e mais sofisticado.

VersaceFoto: Getty Images

Lábios escuros

Nada de vermelho ou cor-de-rosa por aqui: os tons escuros foram destaque no quesito batom. Na Gucci, o azul dos lábios é o único ponto de cor do rosto. O mesmo aconteceu na Versace, que trouxe o roxo em contraste com sobrancelhas descoloridas e olhos sem nada de maquiagem. No desfile da Bluemarine, o batom preto acompanha uma sombra arroxeada. Em todos eles, porém, a boca marcante é o principal destaque da beleza.

PUBLICIDADE

GucciFoto: Getty Images

Cabelo molhado

Essa finalização não é exatamente uma novidade nas passarelas – toda temporada algumas marcas decidem trazer de novo o visual. Nessa, porém, ele apareceu em quase todos os desfiles, mas com efeitos distintos. Na Fendi, por exemplo, a textura dos fios vem bem natural, alguns presos com presilhas no melhor estilo Y2K. Na Armani e na Prada, eles vêm curtinhos ou presos e bem puxados para trás. Ermanno Scervino, por sua vez, reproduz um cabelo sereia, como se as modelos tivessem realmente acabado de sair do mar.

PradaFoto: Getty Images

Mood retrô

Já faz um tempo que as ondas bem polidas e marcadas, que eram sucesso absoluto na década de 1950, estão marcando presença nos tapetes vermelhos. O glamour da época é traduzido aqui de duas maneiras diferentes: na Moschino, os fios soltos e a divisão lateral deixam o visual bem clássico e sensual; enquanto na beleza de Elisabetta Fanchi o ondulado vem em penteados presos e bem estruturados.

PUBLICIDADE

Elisabetta FanchFoto: Getty Images

Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE

A ELLE Brasil utiliza cookies próprios e de terceiros com fins analíticos e para personalizar o conteúdo do site e anúncios. Ao continuar a navegação no nosso site você aceita a coleta de cookies, nos termos da nossa Política de Privacidade.

Assine nossa newsletter

Doses Semanais de moda, beleza, cultura e lifestyle, além, é claro, de todas as novidades e lançamentos da ELLE no seu inbox.
Increva-se gratuitamente.