PUBLICIDADE

Desde que Karl Lagerfeld faleceu, em fevereiro de 2019, Silvia Venturini, que até então se dedicava às coleções masculinas e de acessórios Fendi, passou a assinar também a linha feminina. Agora, entretanto, a italiana volta para as suas antigas lideranças e a marca contará com um novo reforço. Kim Jones foi anunciado nesta quarta (09.09) como o novo diretor criativo das coleções femininas de prêt-à-porter, alta-costura e peles da Fendi.

"Kim Jones é um grande talento e, desde que se juntou a nós, tem continuamente provado a sua capacidade de se adaptar aos códigos e herança das casas enquanto as revisita com grande modernidade e ousadia. Estou convencido de que, na Fendi, a sua visão e paixão irão contribuir muito", comentou Bernard Arnault, diretor executivo do grupo LVMH, em comunicado. Silvia Venturini também demonstrou ânimo com o seu novo colega de trabalho: "As minhas mais calorosas boas vindas ao Kim, a quem tenho profundo respeito e amizade. Estou ansiosa para levar o universo da Fendi para o próximo nível com ele".

Kim Jones \u00e9 o novo diretor criativo das cole\u00e7\u00f5es femininas da Fendi Kim Jones no final do desfile de inverno 2021 da Dior Homme. Getty Images

O estilista inglês esteve à frente da linha masculina da Louis Vuitton por sete anos em uma direção bem-sucedida, onde destacou-se pelo olhar atento ao comportamento jovem. Durante a passagem, Kim atualizou o DNA da marca e trouxe aspectos característicos do streetwear por meio do filtro elegante da LV, rendendo coleções de sucesso comercial, como a colaboração com a Supreme.

PUBLICIDADE

Em 2018, contudo, deixou a Louis Vuitton e assumiu a direção criativa das coleções masculinas da Dior. Desde então, o designer desempenha um trabalho na marca francesa que chama atenção pela nova estética proposta aos homens e sendo também um sucesso de críticas e vendas. E a contratação da Fendi não é um adeus a Dior: "Trabalhar nestas duas maisons tão prestigiadas é uma honra como estilista. A oportunidade de integrar a equipe da Fendi e continuar o meu trabalho na Dior é um privilégio enorme", afirmou Kim.

Seria o fim do streetwear na moda? Apesar das falas e previsões apocalípticas, é praticamente impossível que o lifestyle vá embora tão cedo – ainda que ele venha se transformando nos últimos anos.



Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE