O retorno de “A casa do dragão”, “Paris is burning” e mais destaques do streaming em junho

A nova fase da série derivada de "Game of thrones" e o documentário referência sobre a cena ballroom chegam às plataformas neste mês.


A casa do dragão, Paris is burning, Sem coração, Cyndi Lauper: Let the canary sing, alguns dos destaques do streaming no mês de junho



Junho no streaming também traz documentários sobre Celine Dion e Cyndi Lauper, que se juntam a Lady Gaga, que estreou ainda em maio produção sobre sua mais recente turnê. Confira a seleção da ELLE a seguir:

A casa do dragão, 2ª temporada (Max)

Adaptada do livro Fogo & sangue, de George R. R. Martin, a segunda temporada da série – que se passa 200 anos antes de Game of thrones – deve focar na disputa pelo poder dos Sete Reinos entre as personagens Rhaenyra Targaryen (Emma D’Arcy) e Alicent Hightower (Olivia Cooke).
Os novos episódios seguem a tensão criada entre as duas famílias após a morte do rei Viserys I Targaryen (Paddy Considine), entre conflitos e dragões. “Não existe guerra tão odiosa para os deuses como uma entre parentes”, diz Rhaenys Targaryen (Eve Best) no teaser divulgado pela Max.
Matt Smith, que interpreta Daemon Targaryen na superprodução vencedora do Globo de Ouro, reprisa seu papel e está escalado para vir ao Brasil em dezembro como uma das atrações principais da CCXP24.
Estreia em 16 de junho.

LEIA TAMBÉM: JENNIFER LOPEZ FALA À ELLE SOBRE “ATLAS”

Paris is burning (Mubi)

No mês do orgulho LGBTQIA+, a Mubi apresenta uma coleção especial sobre o tema que inclui filmes como Querelle (1982) e Casa Roshell (2017). O destaque fica para Paris is burning (1990), de Jennie Livingston, que retrata a cena ballroom e periférica a qual a comunidade queer nova-iorquina fazia parte na década de 1980. Mais de 30 anos após sua estreia, o premiado documentário segue como um lembrete da luta da comunidade por mais igualdade e direitos na sociedade.
Estreia em 1º de junho.

Yellowjackets, 2ª temporada (Netflix)

Melanie Lynskey (The last of us), Juliette Lewis (Assassinos por natureza), Christina Ricci (A família Addams) e Tawny Cypress (Heroes) retornam como a versão adulta de um grupo de adolescentes que sobreviveu – com muito custo e um pouco de canibalismo – a um desastre aéreo na década de 1990.
Estreia em 1º de junho.

Sem coração (Netflix)
A história nasceu como um curta-metragem de mesmo nome exibido em Cannes em 2014. Em 2023, virou filme e estreou na 80ª edição do Festival de Veneza. Ambientada nos anos 1990, no litoral de Alagoas, a trama com Maeve Jinkings acompanha um grupo de adolescentes da região aproveitando o verão ao lado de uma amiga que está prestes a se mudar para Brasília. Enquanto isso, eles lidam com as descobertas da sexualidade e questões do universo adulto.
Estreia em 2 de junho.

Veja também: No mês de junho, a Netflix celebra o cinema brasileiro com a adição de 17 títulos nacionais, entre eles Central do Brasil (1998), de Walter Salles, e São Paulo Sociedade Anônima (1965), de Luís Sérgio Person. Todos disponíveis a partir do dia 19.

LEIA TAMBÉM: JENNY BEAVAN FALA À ELLE SOBRE FIGURINO DE “FURIOSA”

Cyndi Lauper: Let the canary sing (Paramount+)

Com depoimentos de Billy Porter, Boy George e Patti LaBelle, o documentário narra a ascensão meteórica da cantora, que se apresenta no Rock in Rio em setembro, e seu impacto em gerações com sua música, seu estilo punk e seu ativismo em prol dos direitos das mulheres.
Estreia em 5 de junho.



Eu Sou: Celine Dion (Prime Video)

“Antes, eu não estava preparada para falar sobre isso, mas agora estou”, diz Celine Dion no trailer do documentário assinado pela cineasta indicada ao Oscar Irene Taylor (The final inch). Diagnosticada em 2022 com síndrome de pessoa rígida, uma condição rara que afeta o sistema nervoso central e que pode levar o paciente à rigidez total do corpo, a cantora de 56 anos compartilha com os fãs o que tem enfrentado nos últimos anos e como a música continua guiando sua luta pela vida. Em fevereiro deste ano, ela foi ovacionada no Grammy em uma de suas poucas aparições públicas, quando entregou o prêmio de álbum do ano a Taylor Swift.
Estreia em 25 de junho.

O Rito da dança (Apple TV+)

Lily Gladstone, premiada no Globo de Ouro e indicada ao Oscar de melhor atriz por Assassinos da lua das flores, interpreta Jax, que vive em uma reserva indígena e precisa cuidar da sobrinha após o desaparecimento da irmã. Sob o risco de perder a guarda dela para o pai da garota, Jax viaja com a garota em busca de pistas antes do Powwow, uma tradicional reunião dos povos indígenas da América do Norte.
Estreia em 28 de junho.

Se não viu em maio, vale assistir…

Gaga Chromatica Ball (Max)

Dirigido, produzido e editado por Lady Gaga, a produção mostra o show e os bastidores da mais recente turnê da cantora, Chromatica Ball (2022), em comemoração ao seu sexto álbum de estúdio, Chromatica (2020). “Este filme narra um tempo de imensa criatividade. A moda, a dança, a música. Revisitar a turnê me deixa sem palavras pela maneira como nos conhecemos. Estádio após estádio. Multidões esgotadas. As canções ensurdecedoras”, escreveu Gaga.

LEIA TAMBÉM: O VISUAL DA TERCEIRA TEMPORADA DE “BRIDGERTON”

Para ler conteúdos exclusivos e multimídia, assine a ELLE View, nossa revista digital mensal para assinantes