• ASSINE NOSSA NEWSLETTER
  • O melhor da ELLE direto no seu inbox! Inscreva-se gratuitamente.
  • INSCREVA-SE AQUI
Foto: Divulgação
PUBLICIDADE

No ano passado, quando os eventos presenciais seguiam incertos no mundo todo, o festival britânico Glastonbury anunciou uma série de transmissões de shows no evento online Live at Worthy Farm. E uma banda chamou atenção do público e da mídia quando entrou no line-up como headliner surpresa: a The Smile, grupo formado por Thom Yorke e Jonny Greenwood, do Radiohead, Tom Skinner, do Sons of Kemet, e que conta com produção musical de Nigel Godrich, antigo colaborador do famoso quinteto britânico.

A The Smile estreou apenas online em maio de 2021, e manteve-se discreta nos meses seguintes até aparecer no início janeiro deste ano. Em uma publicação no Instagram, avisaram que o disco estava quase pronto, mas ainda sem data de lançamento, lançaram o single "You will never work in television again" e anunciaram três shows, que aconteceram ao longo de 16 horas no último dia 29.01. O público estava presente na casa de show Magazine, em Londres, e fãs do mundo todo acompanharam a estreia das inéditas ao vivo pelo streaming, em três fusos horários diferentes. Quem garantiu o ingresso virtual também pode assistir aos vídeos nos dois dias seguintes.

Foto: Divulgação


Na segunda-feira, 31.01, a banda anunciou uma turnê de 30 datas entre maio e julho na Europa, onde estão escalados para tocar em festivais como o Primavera Sound (Espanha), e o Montreux Jazz Festival (Suíça).

Antes do Smile, o último trabalho de Yorke e Greenwood com o Radiohead foi o disco A moon shaped pool, de 2016. Conheça mais sobre a banda:

PUBLICIDADE


O trabalho de Jonny Greenwood no cinema:
após quase uma década de Radiohead, no início dos anos 2000, o guitarrista recebeu o convite para assinar a trilha sonora do documentário Bodysong (2003), do diretor inglês Simon Pumell. Pouco tempo depois, colaborou em Sangue negro (2007), de Paul Thomas Anderson. Foi o pontapé inicial para a parceria duradoura com o cineasta estadunidense, que conta até aqui com O mestre (2012), Vício inerente (2014) e Trama fantasma (2017), que lhe rendeu uma indicação ao Oscar como melhor trilha sonora original. No mais recente trabalho de Anderson, Licorice Pizza, com estreia marcada no Brasil em 17.02, Greenwood assina a faixa-título da trilha. Ao todo, ele já trabalhou em 11 produções cinematográficas, incluindo Spencer, do diretor chileno Pablo Larraín, e Ataque dos cães, da diretora neozelandesa Jane Campion, com o qual ele concorre ao Oscar de melhor trilha sonora.

PUBLICIDADE

Spencer www.youtube.com


Os projetos de Thom Yorke:
além de ter três álbuns solo – The Eraser (2006), Tomorrow 's modern boxes (2014) e ANIMA (2019) –, o vocalista do Radiohead soma colaborações com diferentes artistas. Desde a década de 1990, já fez feats em faixas de PJ Harvey, Björk, Modeselektor, Flying Lotus, entre outros. Em 2009, formou o supergrupo Atoms for Peace, ao lado de Flea, baixista do Red Hot Chilli Peppers, do percussionista brasileiro Mauro Refosco, que acompanha David Byrne, do baterista estadunidense Joey Waronker e de Godrich, nos teclados. Eles lançaram apenas um disco, AMOK, em 2013. No cinema, Yorke foi o responsável por criar a trilha sonora de Suspiria (2019), filme de Luca Guadagnino, remake do longa de 1977 do cineasta italiano Dario Argento.

O nascimento do The Smile: o Radiohead foi formado em 1985 com o nome de On a friday, por um grupo de adolescentes em Oxford (Inglaterra). Não demorou muito para o projeto de Yorke, Greenwood, Ed O'Brien, Colin Greenwood e Phil Selway deslanchar. Hoje contam com nove discos na bagagem. Projetos paralelos não são tão comuns aos integrantes e, por isso, a nova banda foi recebida com entusiasmo. Em entrevista à revista NME, Greenwood explicou a motivação para começar o projeto: "A The Smile surgiu do desejo de fazer música com Thom no lockdown. A gente não tinha muito tempo, mas o objetivo era finalizar as músicas juntos. Está sendo um pouco inconstante, mas um jeito feliz de fazer música".

PUBLICIDADE

The Smile - You Will Never Work In Television Again www.youtube.com


O significado do nome da banda:
"Não é um sorriso do tipo gargalhada, mas algo como o sorriso do cara que mente para você todos os dias", disse Yorke durante a live do Glastonbury. Nos shows de janeiro, o trio entrou no palco ao som de uma gravação de spoken word do poema "The smile", do poeta inglês William Blake.

O que podemos esperar: além do primeiro single, lançado em 05.01, o grupo apresentou "The Smoke" no fim de janeiro. Entre as músicas novas, há uma versão de "Skirting on the surface", faixa do Radiohead da época do disco The king of limbs (2011), agora rebatizada de "Skating on the surface". Para os curiosos, Yorke tocou "Free in the knowledge", do Smile, em um show solo no Royal Albert Hall, o seu primeiro desde o início da epidemia. Além das oito músicas tocadas na live de 2021, a Smile apresentou algumas inéditas, caso de "Speech bubbles" e "Waving a white flag".

The Smile - The Smoke (16mm Film) www.youtube.com

Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE

A ELLE Brasil utiliza cookies próprios e de terceiros com fins analíticos e para personalizar o conteúdo do site e anúncios. Ao continuar a navegação no nosso site você aceita a coleta de cookies, nos termos da nossa Política de Privacidade.

Assine nossa newsletter

Doses Semanais de moda, beleza, cultura e lifestyle, além, é claro, de todas as novidades e lançamentos da ELLE no seu inbox.
Increva-se gratuitamente.