• ASSINE NOSSA NEWSLETTER
  • O melhor da ELLE direto no seu inbox! Inscreva-se gratuitamente.
  • INSCREVA-SE AQUI

skincare-bumbum

PUBLICIDADE

Desde 2020, a criadora de conteúdo Mari Rodrigues, do Rio de Janeiro, faz uma rotina de skincare que não inclui apenas o rosto, mas também o corpo. Principalmente o bumbum. “Começa no banho. Além da limpeza habitual, passo esfoliante duas vezes por semana e, uma vez no mesmo período, aplico óleo trifásico que hidrata e acalma a pele. No pós-banho, uso um hidratante para a área dos glúteos e um creme antiatrito entre as coxas, para que não assem com o calor e suor”, explica a influenciadora.

Mas os cuidados não param por aí. “De vez em quando, aplico uma máscara firmadora também.” O produto é semelhante a uma máscara facial, uma película de tecido embebido em ativos, mas que são colocados na pele do bumbum. “Percebi uma diferença principalmente na cor da região. As manchas de acne e atrito sumiram”, diz Mari Rodrigues.

Parecida com a rotina de cuidados com a pele, o skincare de corpo é uma tendência do mercado. De acordo com a agência de pesquisa de mercado Mintel, 33% dos adultos norte-americanos dizem que estão usando produtos corporais com mais frequência do que há um ano. A consultoria de comportamento de consumo WGSN percebeu, em relatório publicado no ano passado, um aumento de 100% nas buscas pelo termo “spa para pés” de 2019 até 2020.

PUBLICIDADE

“O maior interesse que temos acompanhado pelo skincare corporal é resultado de um processo de ‘skinificação’, que é, justamente, dar a outras partes do corpo o mesmo status e qualidade de ingredientes dos cuidados com a pele facial”, fala Raquel Dommarco, especialista em tendências da WGSN. Segundo a empresa, até 2024, a ‘skinificação’ deve chegar a todas as categorias de beleza. “Um motivo importante para essa transformação é que as rotinas de skincare com várias etapas acabaram se tornando ferramentas de relaxamento e descontração durante a pandemia.”

Espera aí, a rotina de cuidados com o corpo já não era algo comum? Nos anos 1990, Xuxa já aparecia de roupão na TV brasileira incentivando as pessoas a hidratar o corpo com loção perfumada. Porém, o que está diferente agora é a tecnologia empregada nesses novos itens, além da especialização deles para diferentes partes do corpo. “Eles devem proporcionar soluções para problemas específicos da pele corporal, atendendo a preocupações normalmente associadas à pele do rosto”, diz Raquel Dommarco. “Estamos observando, por exemplo, que produtos para axilas têm ganhado ‘upgrades’ que incluem a utilização de ingredientes típicos do skincare facial, como ácido hialurônico, prebióticos e CBD”.

PUBLICIDADE

Entre as opções disponibilizadas estão cremes específicos para acne do bumbum, máscaras de colágeno para mãos e unhas, loções para calos de quem levanta peso, máscaras detox para axilas, entre outros. “O mercado está fervilhando com as mais diversas inovações”, aponta Raquel.

A Kiss New York foi uma das pioneiras no Brasil. A marca oferece uma “sheet mask” para o bumbum que, com fórmula enriquecida com colágeno, ácido hialurônico e extrato de pêssego, promete ter ação firmadora nos glúteos. O Boticário incluiu, na linha “Cuide-se”, uma máscara de hidratação e outra de esfoliação para a região do bumbum. Formulados com niacinamida e ácido salicílico, os produtos prometem estimular a renovação celular da pele, evitar acne e pelos encravados, além de hidratar e uniformizar a pele da parte do corpo.

O bumbum pode estar mais em alta, mas não é o único foco dos lançamentos. As marcas Colleen Rothchild e True Botanicals lançaram loções para os seios, além da Dr. Pimple Poppers ter um spray de ácido salicílico para tratar a acne corporal. É bastante coisa nova para colocar no seu armário do banheiro. Mas será que faz sentido?

PUBLICIDADE

Não é mito

É muito difícil não ser cético em relação a esses produtos de skincare corporal depois de tantos anos apenas passando hidratante após o banho. Porém, de acordo com especialistas, faz sentido ter uma atenção especial para as necessidades do bumbum, axilas, cotovelos e outros membros. “Todas as áreas da nossa pele têm necessidade de cuidados diários”, diz a dermatologista Aline Morais. “Principalmente área de dobras como: cotovelos e flexuras dos braços, joelhos e atrás dos joelhos, bumbum e virilhas”.

Ainda assim, o que se passa na cútis do rosto pode não funcionar para o resto do corpo. Principalmente porque a pele do rosto é mais fina e sensível. “Os ativos usados para o corpo costumam vir em concentrações e combinações diferentes da face”, fala a dermatologista Juliana Piquet, do Rio de Janeiro (RJ). “As queixas também são diferentes. Enquanto na face os produtos são para tratar manchas, rugas, acne, poros aparentes, no corpo as queixas são celulite, estrias, ressecamento, foliculite e discromias”.

A esfoliação é, junto com a hidratação, um dos coringas nos cuidados da pele corporal. “O corpo também se beneficia com a remoção da camada mais superficial, melhorando a textura e ajudando no clareamento de alguns tipos de manchas”, afirma Aline Morais. “Para pessoas com tendência à formação de cravos e foliculite, existe um significativo benefício e melhora no quadro com o uso de esfoliante que contém ativos anti-inflamatórios, ceratolíticos e clareadores em sua fórmula”. A especialista lembra, no entanto, que o tratamento não pode ser feito mais do que de uma a duas vezes na semana e que o produto deve ser aplicado com delicadeza.

“Todas as áreas da nossa pele têm necessidade de cuidados diários. Principalmente área de dobras como: cotovelos e flexuras dos braços, joelhos e atrás dos joelhos, bumbum e virilhas” - Aline Morais, dermatologista.

Juliana Piquet também acredita que as máscaras para o bumbum podem ajudar pessoas que vestem roupas apertadas, passam muito tempo com trajes de ginástica ou que ficam sentadas por longos períodos durante o dia. “Elas são mais indicadas para prevenir a acne na região do corpo”, fala a dermatologista. A médica, por outro lado, não é uma fã dos processos de detox de axilas, que inclui lavagem com sabonete de argila e esfoliação da área. “Pode acabar sensibilizando e fazendo com que os próprios desodorantes irritem a pele”, afirma.

Armário cheio

Que a viciada em skincare que nunca deixou um produto vencer no armário do banheiro atire o primeiro sérum. Antes de começar a tratar a pele de seu bumbum, Mari Rodrigues já curtia – até demais – sua rotina de cuidados faciais. “Tinha muitos passos e me tomava tempo demais”, lembra a criadora de conteúdo. Agora, ela tem um combinado consigo mesma: “Só compro uma novidade quando o produto em uso acabar, assim não fico acumulando itens que podem até perder a validade.”

O criador de conteúdo Elisei Matheus, de São Paulo, sempre teve o costume de hidratar o corpo. “Principalmente o cotovelo, joelho”. Sua rotina de cuidados corporais incluem, também, óleo e esfoliante. “Uso, também, uma esponja a seco para dar uma leve esfoliada para renovar a pele”.

Como, antes de trabalhar com seu perfil no Instagram, Elisei era jornalista de beleza, ele sempre teve contato com as novidades das marcas e aprendeu a administrar a vontade de comprar tudo o que via pela frente. “Tive a experiência do excesso e hoje olho dessa maneira muito mais assertiva do que quantitativa. É preciso entender que beleza é um mercado rentável e por isso que há tantas marcas sendo criadas. É um hábito, então então é um consumo recorrente. A partir do momento que você saca isso, vira a chave de que as marcas precisam oxigenar portfólio, cumprir demandas. Se uma marca lança algo que domina o mercado, as outras vão querer essa categoria e ter um ativo específico. E elas são organismos vivos, que ouvem, escutam, então conseguem atender demandas muito rapidamente. Assim, lançamentos vão existir ininterruptamente. Você não vai conseguir ter tudo de skincare e ficar em paz com isso. Aí a questão é escolher marcas que você acredita, que percebe que funcionam na sua pele e ir atendendo o que você de fato precisa aos poucos. Não ter essa pira de ter oito hidratantes, sendo que você tem apenas um corpo”, diz.

“O maior interesse que temos acompanhado pelo skincare corporal é resultado de um processo de ‘skinificação’, que é, justamente, dar a outras partes do corpo o mesmo status e qualidade de ingredientes dos cuidados com a pele facial” - Raquel Dommarco, especialista em tendências da WGSN

E não é apenas o bolso, a pele também diz quando estamos exagerando. O uso excessivo de skincare corporal pode levar ao aparecimento de coceiras, acne e escurecimento das regiões afetadas. Então, por mais que esteja animada para curtir todas as novidades, pense bem nas verdadeiras necessidades de sua pele. “E, caso tenha dúvidas, consulte um dermatologista”, indica Aline Morais.

Segundo as especialistas, a rotina ideal é simples e começa embaixo do chuveiro. “Os banhos devem ser curtos com água morna a fria”, explica Aline Morais. Como a pele do corpo costuma ser mais seca, com menos glândulas sebáceas, o ideal é que o sabonete comum seja substituído por versões mais suaves, sem sabão. “Como os syndets e os óleos de banho”, comenta Juliana Piquet. Eles removem as impurezas e a oleosidade sem ressecar ou agredir a pele do corpo. Esfoliações podem ser feitas de uma a duas vezes na semana. Mas, diariamente, não se pode esquecer de usar loções e cremes hidratantes. “O momento ideal para aplicá-los é logo após o banho, com o corpo úmido, quando a absorção da pele é maior”, complementa Piquet. Deixa a máscara para o bumbum e o spa para os pés para os momentos especiais. "Caso não tenha nenhuma condição de pele, o melhor é que sua rotina seja minimalista e eficaz."

Tenha acesso a conteúdos exclusivos
ASSINE A ELLE

A ELLE Brasil utiliza cookies próprios e de terceiros com fins analíticos e para personalizar o conteúdo do site e anúncios. Ao continuar a navegação no nosso site você aceita a coleta de cookies, nos termos da nossa Política de Privacidade.

Assine nossa newsletter

Doses Semanais de moda, beleza, cultura e lifestyle, além, é claro, de todas as novidades e lançamentos da ELLE no seu inbox.
Increva-se gratuitamente.